Novo ataque a tiros deixa nove mortos nos Estados Unidos; tiroteio ocorreu em um bar em Dayton, em Ohio.

Um novo ataque a tiros deixou ao menos nove mortos, incluindo o atirador, e 16 pessoas feridas na cidade de Dayton, em Ohio, nos Estados Unidos. O tiroteio ocorreu apenas algumas horas depois de um incidente semelhante em El Paso, no Texas, que resultou em 20 mortes.

 

“O atirador morreu. Há também outros nove mortos. Pelo menos outras 16 pessoas foram levadas para hospitais da área com lesões”, anunciou o Departamento de Polícia de Dayton. “Tínhamos agentes nas imediações quando começou este tiroteio, pudemos agir e dar fim a ele rapidamente”, acrescentou.

A polícia afirmou que o ataque começou por volta de 1h (horário local) e que o FBI (departamento federal de investigação dos Estados Unidos) está ajudando na investigação. O tiroteio ocorreu no bar Ned Peppers, a oeste do centro de Dayton. “Todo nosso pessoal está a salvo e nossos corações estão com todos os envolvidos enquanto verificamos as informações”, publicou o bar na sua conta do Instagram.

 

A polícia acredita que a ação foi conduzida por apenas um atirador e ainda não identificou o suspeito e os motivos do ataque. O tiroteio ocorreu num bairro histórico da cidade de 140 mil habitantes, onde estão localizados diversos bares, restaurantes e teatros. A região é considerada segura pelas autoridades.

 

“É um incidente muito trágico e estamos fazendo de tudo que podemos para investigar e tentar descobrir a motivação por trás disso”, afirmou o tenente-coronel da polícia, Matt Carper.

 

O porta-voz do hospital local de Miami Valley, Terrea Little, confirmou que a unidade estava atendendo 16 vítimas. Alguns vídeos e fotos foram divulgados nas últimas horas nas redes sociais, nos quais supostamente se vê o atirador e se escutam os disparos de um fuzil.

 

Ataque em El Paso

 

O ataque em Ohio ocorreu algumas horas depois de um jovem de 21 anos abrir fogo num supermercado em El Paso, no Texas, deixando pelo menos 20 mortos e outros 26 feridos. Autoridades investigam a hipótese de o ataque ter sido um crime de ódio. Em um manifesto, o suspeito teria afirmado que a ação era uma resposta à suposta invasão latina no Texas.

 

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, condenou o tiroteio em El Paso e disse que “não só foi trágico”, como também “um ato de covardia”. Em uma semana, já são três tiroteios nos Estados Unidos. No domingo passado, quatro pessoas morreram, incluindo o atirador, e 15 ficaram feridas, em Gilroy, Califórnia.

 

Fonte: Agência Brasil

*Com informações das agências Deutsche Welle e RTP.

Polícia prende quarto acusado de participar de roubo de ouro em São Paulo

Um quarto suspeito de participação no roubo de 718 quilos de ouro foi preso ontem (3), segundo informações da 5ª Delegacia de Patrimônio de São Paulo. O crime ocorreu no terminal de cargas do Aeroporto Internacional Franco Montoro, em Guarulhos (SP), na última quinta-feira (25).

 

De acordo com a polícia, pelo menos dez pessoas participaram do crime. A Justiça prorrogou as prisões temporárias de três suspeitos de participação no roubo.

 

Dois acusados foram presos no último domingo (28) e o terceiro foi detido em flagrante, segundo a polícia, com um carregador de fuzil e munição. Ele teria oferecido apoio logístico para passar a carga roubada dos carros usados no assalto para outros veículos.

 

O roubo

 

O grupo chegou ao aeroporto por volta das 14h30min do dia 25 em dois carros disfarçados de viaturas da Polícia Federal. Fortemente armados, os homens renderam funcionários que faziam a manipulação da carga e os obrigaram a transferir o ouro para uma das caminhonetes. A entrada dos ladrões foi facilitada por um supervisor de logística que havia sido rendido na noite anterior.

 

Na manhã do dia 24, o funcionário foi fechado no trânsito enquanto levava a esposa ao trabalho, na região da Avenida Jacu-Pêssego, zona leste paulistana. A ação foi feita por um veículo caracterizado de ambulância, de onde desceu um criminoso que rendeu o supervisor e obrigou a mulher a entrar no veículo usado pelos criminosos. O ladrão explicou que a esposa permaneceria como refém e ele seria obrigado a auxiliar o grupo no roubo.

 

No final daquela mesma tarde, o funcionário teve um novo encontro com os criminosos, quando foi levado à própria casa e teve toda a família feita refém: a sogra, o cunhado, a cunhada, os dois filhos e uma criança da vizinhança. No dia seguinte, ele foi levado junto aos criminosos para realizar a ação.O metal, dividido em 31 malotes, tinha como destino Nova York, nos Estados Unidos, e Toronto, no Canadá.

 

Após a ação no aeroporto, o grupo foi até um estacionamento em São Miguel Paulista, zona leste da capital, onde transferiu o ouro para outros dois carros encontrados pela polícia. Nenhum dos veículos usados no crime consta como roubado. A polícia suspeita que eles tenham sido comprados no interior do estado por meio de fraudes. Outros dois veículos também foram abandonados pelos ladrões e não se sabe como o ouro foi transportado a partir de então.

 

Depois do roubo, a esposa do supervisor foi liberada em Itaquaquecetuba, município da parte leste da Grande São Paulo. O funcionário também foi libertado ileso.

 

Fonte: Agência Brasil

Isla de Flores: reconstruindo a história de uma ilha que abrigou doentes e presos

A Isla de Flores (Ilha de Flores) está situada no Rio da Prata, no Uruguai, há 20 quilômetros da costa de Montevidéu. Entre o final do século 19 e o início do século 20, a ilha abrigou uma colônia de hansenianos e serviu também de prisão para presos políticos. Em ruínas há cerca de 50 anos, a ilha, agora transformada em um Parque Nacional, é habitada apenas pelos faroleiros da Armada uruguaia.

 

Muitos uruguaios sabem da existência da ilha, que inclusive pode ser vista de alguns pontos de Montevidéu, em dias ensolarados. Mas a maioria deles nunca esteve lá nem conhece bem a sua história.

 

O arquiteto uruguaio Daniel Thul, em 2005, uniu-se a um amigo, o jornalista Javier Benitéz, para desenvolver o projeto de reconstruir virtualmente as antigas edificações da ilha. O que restou são apenas ruínas, alguns muros e a chaminé do crematório.

 

Thul contou à Agência Brasil que, após a fase de investigação e levantamento de materiais históricos, como fotos e arquivos, realizada por Benitéz, o projeto ficou alguns anos parado. “Como foi algo que fizemos por conta própria, sem financiamento, eu ia fazendo quando sobrava tempo. Houve anos que não avançamos nada”, contou.

 

Em 2017, Thul foi à Espanha fazer um curso de “patrimônio virtual”, justamente o que faltava para que ele pudesse dar continuidade ao trabalho. “Com o avanço da tecnologia, que foi enorme, agora tenho ferramentas que me permitiram fazer as animações em um tempo muito mais curto. Nestes últimos anos, agarrei toda a informação que já tinha processada e intensifiquei o trabalho”.

 

O vídeo a seguir mostra as edificações da ilha exatamente como eram no ano de 1911. À época, funcionava no local o Hospital de Imigrantes, um nome eufemístico para a colônia de hansenianos.

 

 

História

 

“Para o Uruguai, o lugar é muito importante. Aqui dizemos que descendemos dos barcos. A maioria da população é descendente de europeus. Num primeiro momento, o mais importante para a ilha foi a construção do farol, porque o Rio da Prata é de difícil navegação. É bastante perigoso, tem um banco de areia que se chama Banco Inglês e o chamam de ‘o inferno dos marinheiros’. Muitos barcos naufragaram nessa zona. Então construíram o farol (na Isla de Flores) pela segurança da navegação, em 1828”, afirma Thul.

 

Durante um século, entre 1869 e 1970, mais de 500 mil pessoas passaram pela ilha, entre militares, policiais, funcionários públicos, pescadores e cientistas. Mas a maioria dos que passaram por ela eram prisioneiros e imigrantes forçados a inspeções sanitárias antes de chegar a Montevidéu. Todos os barcos tinham de parar na ilha, antes que pudessem seguir viagem.

 

“Com a chegada da imigração no Uruguai, entre a segunda metade do século 19 e o início do século 20, para evitar a propagação das enfermidades que vinham de fora, se construiu o lazareto (hospital isolado aonde se tratavam as doenças infecciosas). Todos os barcos que vinham com perigo de ter passageiros portando alguma enfermidade complexa, como febre amarela ou cólera, ou que haviam passado por algum porto que estava infectado, como por exemplo o porto do Rio de Janeiro, tinham que parar na ilha. Então era feita a inspeção sanitária. Algum médico da ilha ia até o barco e via quantas pessoas estavam doentes, quantas tinham sintomas, etc. Não precisavam desembarcar todos, mas os que estavam doentes, sim”, conta Thul.

 

Hospital de Imigrantes

 

A colônia para hansenianos (à época a hanseníase era chamada “lepra”) recebeu o nome de Hospital de Imigrantes e as instalações eram separadas em diferentes partes da ilha. A ilha é composta por três ilhotas.

 

Daniel Thul conta que a primeira parte da ilha, onde estava o atracadouro dos barcos, era destinada a abrigar as pessoas que não tinham sintomas, mas que poderiam ter alguma doença incubada. Lá também estava o hotel para oficiais e visitantes ilustres e o farol. É a chamada “Ilha Grande”.

 

Nessa parte da ilha havia também um prédio de desinfecção para lavar roupas e objetos contaminados, cujas caldeiras enferrujadas ainda representam monumentos peculiares na região rochosa e acidentada.

 

Na segunda parte da ilha (Isla Segunda) estava o cemitério e o hospital que abrigava pessoas que tinham alguma doença, mas sem muita gravidade. Era o “hospital de enfermidades infectocontagiosas”. Quanto mais afastado estivesse da Ilha Grande, mais grave era a situação do doente.

 

E na terceira parte da ilha (Isla Tercera) ficavam os chamados “exóticos pestilenciais”, que eram as pessoas que estavam à beira da morte. Havia uma capela e um crematório, construído em 1909. Antes disso, os corpos não eram cremados, e sim enterrados no cemitério.

 

Confira a entrevista que o arquiteto Daniel Thul concedeu à Agência Brasil:

Agência Brasil: Como foi o seu processo de pesquisa para este projeto?

Daniel Thul: Para reconstruir em 3D (três dimensões) algo que não existe, você depende da informação que tenha disponível. No caso da Isla de Flores o que se fez foi utilizar plantas originais dos diferentes edifícios, não de todos, mas da maioria. Quando fomos à ilha, tiramos muitas fotos, e também contamos com fotos históricas de todos os edifícios. Há documentos, arquivos, ilustrações… tem muitas notas da imprensa do início do século com fotos ou desenhos.

 

Agência Brasil: Qual período é retratado no vídeo que você criou?

Thul: A reconstrução é de 1911 porque foi quando terminaram de construir todas as construções. Começaram com o lazareto, depois foram agregando outros edifícios. E com o avanço das medidas sanitárias, iam requerendo outras coisas, como o desinfectório, onde colocavam as malas que passavam por estufas de vapor.
Em um determinado momento, coincidiram as duas coisas: era lazareto e prisão. Em 1904, houve uma revolução no Uruguai e levaram alguns presos para lá. Depois, em 1933, também. Eram, geralmente, presos políticos. Ainda hoje se vê uns portões, que são como umas celas, creio que foi esse setor que usaram como prisão. Em 1934, deixou de funcionar como lazareto. Sei que no ano de 1968 ainda funcionou como prisão, e acho que essa foi a última época em que foi habitada.

 

Agência Brasil: Qual foi o maior desafio para a reconstrução 3D?

Thul: O projeto é complexo pelo tamanho e pela dificuldade de acesso à ilha. Fui apenas uma vez ao local. O mais complexo (de modelar em 3D) é a ilha em si. Porque, ao ser arquiteto, (modelar) coisas que não são figuras geométricas é mais difícil. Eu tinha que ver muitas fotos, voltar a vê-las, isso me levou muito tempo.

 

Agência Brasil: O trabalho da Ilha terminou ou você ainda tem planos?

Thul: A ideia agora é fazer, pelo menos, mais dois vídeos de 5 minutos, onde vamos percorrer edifício por edifício, explicando o que era cada um. E fazer ainda uma animação para que se possa ver em realidade virtual, com os óculos Googlecardboard (óculos de papelão para assistir em realidade virtual), para que se possa ver no celular.

 

Fonte: Agência Brasil

Foto: Divulgação/Daniel Thul

Ginasta Natália Gaudio conquista medalha de bronze nos Jogos Pan-Americano

Natália Gaudio levou a ginástica rítmica brasileira de volta ao pódio dos Jogos Pan-Americanos ao conquistar ontem (3) a medalha de bronze no individual geral, superando por 0,05 ponto a também brasileira Bárbara Domingos.

 

As norte-americanas Evita Griskenas (75,825 pontos) e Camila Feeley (70,725 pontos) ficaram com o ouro e a prata, respectivamente.

 

As ginastas brasileiras empataram com 67,150 na pontuação geral, que soma os resultados em quatro aparelhos, mas Natália acabou levando a melhor no critério de desempate, que soma os pontos do critério execução, no qual obteve 28,35, ante 28,30 de Bárbara.

 

“A disputa foi muito boa, bem acirrada. Mas a gente mostrou que o nosso trabalho tá melhorando, o Brasil tá subindo porque conquistamos terceiro e quarto”, disse Natália após a final em entrevista publicada pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

 

O desempenho no arco foi crucial para que Natália chegasse à medalha. Ela obteve 18,300 pontos no aparelho, a segunda maior nota, o que compensou o erro que cometeu em seguida, ao deixar cair a bola, aparelho no qual obteve apenas 14,500. Neste sábado, ela marcou 17,800 nas maças e 16,550 na fita.

 

Ambas as ginastas brasileiras ainda vão disputar medalhas nas finais por aparelhos, que serão disputadas neste domingo (4) e na segunda-feira (5): Natália no arco, nas maças e na fita e Bárbara em todos os aparelhos, incluindo a bola.

 

A única outra medalha brasileira no individual geral da ginástica rítmica em Jogos Pan-Americanos havia sido conquistada em 2011, em Guadalajara, por Angélica Kvieczynski.

 

Tênis

 

Na semifinal do tênis, o mineiro João Menezes, 22 anos, conseguiu virar o placar neste sábado e derrotar o argentino Facundo Bagnis, ouro no Pan de Toronto em 2015, por 2 sets a 1, com parciais de 4/6, 6/2 e 6/4. A partida durou duas horas.

 

Na final, Menezes enfrentará o vencedor da partida entre o argentino Guido Andreozzi e o chileno Tomás Barrios.

 

Ao avançar em Lima, Menezes praticamente garantiu uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, necessitando para isso somente manter-se entre os 300 primeiros do ranking mundial até junho do ano que vem.

 

O último ouro do Brasil no tênis simples em Jogos Pan-Americanos foi conquistado em 2007, no Rio de Janeiro, por Flávio Saretta.

 

Nas duplas, as tenistas Luisa Stefani e Carol Meligeni conquistaram o bronze numa partida acirrada contra as chilenas Daniela Seguel e Alexa Guarachi. Após perderem o primeiro set, as brasileiras conseguiram empatar e depois salvar um match point das adversárias no tie-break, antes de selar a vitória. O placar foi 2 a 1, com parciais de 2/6, 7/5 e 11-9.

 

Mais cedo neste sábado, Carol Meligeni foi derrotada na semifinal simples e, com isso, encerrou o sonho de repetir o ouro do tio Fernando Meligeni no Pan, conquistado em 2003. Carol perdeu por 2 sets a 0 (7/6 e 6/2) para a norte-americana Caroline Dolehide e segue para a disputa do bronze no simples.

 

Fonte: Agência Brasil

Polícia Militar Ambiental monitora e protege cardumes nos Rios Taquari e Aquidauana e prende três pescadores em dois dias

Equipes da Polícia Militar Ambiental estão realizando operações de acompanhamento e vigilância de cardumes, especialmente nos rios Aquidauana e Taquari, onde vários cardumes de piavuçu, curimbatá e pacu estão formados e alguns pescadores estão praticando pesca onde eles estão. A operação continua, especialmente, no final de semana. O serviço de inteligência também está trabalhado, tanto para levantar informações de onde estão os cardumes, bem como para fazer levantamentos de possível pesca predatória.

 

A PMA tem priorizado a fiscalização nos rios monitorando e protegendo os cardumes. Assim que consegue informação de localização de onde estão formados, o Comando destina equipes para a proteção, no intuito de prevenir e reprimir a pesca predatória.

 

Com esse tipo de trabalho, há racionalização de recursos, tendo em vista que equipes não precisam descer e subir rios, com auto custo financeiro e de recursos humanos, mantendo a fiscalização exatamente onde estão os peixes, impossibilidade a pesca predatória, ou que se esta ocorra, os infratores sejam presos com pouca quantidade de pescado.

 

O monitoramento e vigilância dos cardumes é fundamental, pois evita que pescadores também possam se utilizar de redes de pesca e tarrafas, petrechos proibidos com alto poder de captura, principalmente nas cachoeiras e corredeiras, pontos críticos onde podem dizimar um cardume rapidamente com esses tipos de petrechos. Os vídeos anexos demonstram como os cardumes ficam vulneráveis.

 

Conforme aproxima-se o período de piracema, a quantidade e tamanho dos cardumes vão aumentando e cada vez mais há a necessidade de Policiais em vigilância e monitoramento. Agosto e setembro são preocupantes e outubro é crítico, pois muitos cardumes estão formados e há grande quantidade de pescadores nos rios. A PMA realiza então a operação pré-piracema no mês de outubro, na qual, infelizmente várias pessoas têm sido presas.

 

No rio Aquidauana, cardumes de piavuçu estão sendo monitorados e três pescadores foram presos, sendo dois no dia 31 de julho e um ontem (1). Como os Policiais estão nos rios, os infratores foram presos com pouca quantidade de pescado e tiveram barcos, motores e petrechos de pesca apreendidos.

 

Mega-Sena: ninguém acerta as dezenas e prêmio acumula em R$ 32 milhões

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.175 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (3) em São Paulo. O prêmio acumulou.

 

Veja as dezenas sorteadas: 07 – 25 – 32 – 43 – 53 -55.

 

A quina teve 73 apostas ganhadoras; cada um receberá R$ 39.289,03. Já a quadra teve 5.485 apostas ganhadoras; cada uma levará R$ 746,99.

 

Fonte: G1

Reinaldo Azambuja começa mês percorrendo interior, levando investimentos

Agosto teve início com uma agenda movimentada do governador Reinaldo Azambuja que lançou com o prefeito Marquinhos Trad um extenso calendário em comemoração ao aniversário de Campo Grande e ainda autorizou e entregou R$ 64,7 milhões em obras em três municípios do interior: Anaurilândia, Amambai e Ponta Porã.

 

Na quinta-feira (1º), Reinaldo Azambuja participou da entrega do calendário de festividades. Prestes a completar 120 anos, no próximo dia 26 agosto, Campo Grande vai receber 155 ações do poder público com entregas de obras, apresentações culturais, eventos esportivos e atividades sociais. O calendário de festividades é da prefeitura de Campo Grande, com parceria do Governo do Estado.

 

“Desde o começo fizemos parceria com as 79 cidades. O Governo soube construir condições para levar investimento, obras, saúde, segurança, infraestrutura e habitação para todas as cidades e, em Campo Grande, temos construído condições para retomada de investimentos paralisados, conclusão de obras iniciadas há muitos anos e resolução de problemas crônicos. Isso faz parte da gestão moderna que olha as pessoas. Temos uma bela sintonia com a equipe da Prefeitura da Capital”, contou Reinaldo Azambuja.

 

Um dos destaques das festividades dos 120 anos é a inauguração pelo Governo do Estado, no dia 24 de agosto, do Centro Esportivo da Vila Almeida, após 15 anos de espera da população.

 

Interior

 

Ainda no dia 1º de agosto, Reinaldo Azambuja seguiu para Anaurilândia, onde entregou diversos investimentos e autorizou a licitação da pavimentação dos 8,7 quilômetros da estrada de acesso ao Balneário Municipal. Além de impulsionar o turismo, o asfalto tira do isolamento uma comunidade de pescadores, que fica “ilhada” sempre que chove. Um investimento prometido por muitos, mas que está prestes a ser concretizado pelo governo Reinaldo Azambuja.

 

“No dia 5 de dezembro de 2004 inauguramos o balneário e já passaram cinco Governos com a promessa de fazer a pavimentação para alavancar o turismo e mostrar ao Brasil as belezas de Anaurilândia”, contou o prefeito Edinho Takasono.

 

Harumitsu Yamamoto, 63

 

Segundo o pescador Harumitsu Yamamoto, 63 anos, quando chove não dá nem mesmo para chegar à área urbana. “Ficamos sem poder se deslocar por até três dias”, explicou. “Deus nos livre de alguém ficar doente em dia de chuva”, acrescentou o também pescador Vandir Lucindo Dias, 50.

 

Já em Amambai, na sexta-feira (2.8), o Governo do Estado lançou e entregou R$ 3,4 milhões em obras, sem contar as em andamento como do Hospital Regional, que está passando por reforma e ampliação, e a pavimentação da Avenida Nicolau Otano.

 

Ainda na sexta-feira (2.8), Reinaldo Azambuja entregou e autorizou R$ 42,6 milhões em ações e obras em Ponta Porã. E se for considerado os R$ 14 milhões em saneamento em execução, o investimento ultrapassa R$ 56 milhões. Uma das obras mais emblemáticas no município foi a assinatura de um convênio para a construção do anel rodoviário, no valor de R$ 22 milhões.

 

Os investimentos no interior abrangeram diversas áreas, incluindo entrega de materiais esportivos, de títulos de propriedades por meio do Programa de Regularização Fundiária, pavimentação e restauração funcional de ruas, avenidas e rodovias e construção de pontes, ampliação do sistema de abastecimento de água, entrega de quadra de esporte, Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), bases habitacionais e revitalização de praça, entre outros.

 

Praça restaurada em Anaurilândia

Cronograma de liberação do FGTS será divulgado nesta segunda-feira

A Caixa Econômica Federal anuncia amanhã (5) o cronograma de liberação do saque imediato de parcela de até R$ 500 por conta ativa ou conta inativa do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Conforme a Medida Provisória nº 889,  as liberações ocorrerão de setembro deste ano a março de 2020.

 

A projeção do Ministério da Economia é alcançar 96 milhões de trabalhadores e injetar R$ 30 bilhões na economia – R$ 28 bilhões em 2019 e R$ 12 bilhões em 2020.

 

A indústria e o comércio têm expectativa de aquecimento econômico com a liberação desses recursos. Segundo o economista Marcelo Azevedo, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), “é uma medida de curto prazo que é fundamental para a retomada da economia. Se as medidas de longo prazo [como as reformas da Previdência Social e tributária] vão ajudar a sustentar [o crescimento], medidas como liberação de recursos têm potencial de, no curto prazo, uma injeção necessária para o primeiro arranque na economia”, defende.

 

Consumo

 

A liberação do FGTS pode estimular o consumo e reduzir o estoque de artigos já produzidos pela indústria, movimento importante para preparar a retomada do ciclo econômico mais positivo. A CNI, no entanto, ainda não tem uma estimativa desse eventual efeito.

 

Com dinheiro extra na mão, o trabalhador poderá ir às compras ou acertar o pagamento de dívidas. Segundo o Ministério da Economia, 23 milhões de pessoas poderão quitar suas dívidas com o saque imediato do FGTS.

 

Lojas de Brasília, comércio, consumo, consumidor, computador, notebook
Marcello Casal Jr./Agência Brasil

 

 

“Mesmo que as famílias priorizem os pagamentos de dívidas. Isso também acaba ajudando o consumo”, assinala Marianne Hanson, economista da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Segundo ela, o pagamento de dívidas diminui o comprometimento da renda das famílias e retiram da inadimplência quem tem contas em atraso.

 

Projeção da CNC indica que com a liberação do FGTS pelo menos R$ 7,4 bilhões poderão migrar para o comércio varejista com a compra de bens duráveis e não duráveis. O efeito poderá ser potencializado, pois durante o período de liberação ocorrerá o pagamento do 13º salário. Hanson tem expectativa de que o crescimento do consumo abra mais vagas temporárias no comércio e aumente a renda das famílias onde há desempregados.

 

O consumo das famílias é responsável por R$ 6 de cada R$ 10 da demanda agregada que estimula o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), indicador que mede o fluxo de novos bens e serviços finais produzidos. No último ano, o PIB do comércio apresentou crescimento de 2,3%; e a indústria aumento de 0,6%. O PIB 2018 de toda a economia cresceu 1,1%.

 

Saque aniversário e construção civil

 

Além do saque imediato, a MP 889 traz a modalidade do saque aniversário que prevê, a partir de 2020, a possibilidade de o trabalhador retirar, anualmente, um percentual de seu saldo no FGTS. A expectativa do Ministério da Economia é de que o saque aniversário dê aos trabalhadores acesso a R$ 12 bilhões.

 

A liberação dos saques depende, no entanto, da adesão individual do trabalhador. As duas modalidades de saque criadas pela MP somam R$ 42 bilhões para serem liberados em 16 meses (quatro de 2019 e doze de 2020).

 

Para o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, a liberação dos saques deve ser efetiva para o aquecimento da economia, por meio do consumo.

 

Ele, no entanto, demonstra preocupação com a manutenção da capacidade de financiamento do FGTS para o setor de construção civil. “Aquecendo a economia e não havendo perda já é muito bom. O que a gente precisa ver é como isso vai ser acontecer para que, ao longo do tempo, não tenha buraco de falta de recurso ou alguma coisa desse tipo”, escreveu em nota à Agência Brasil.

 

Martins sublinha que o anúncio da manutenção do financiamento de obras de habitação e infraestrutura por meio do FGTS deixou o setor otimista. “A veemência com que o presidente, ministros, secretários e presidentes de bancos estatais garantem que não haverá efeitos na construção nos tranquiliza em relação aos contratos que nós temos assinados e que têm desembolsos futuros”.

 

De acordo com o Ministério da Economia, as contas dos trabalhadores no FGTS somam R$ 419 bilhões.

 

Fonte: Agência Brasil

Prefeitura de Campo Grande entregou nove mil cobertores para famílias carentes

O Fundo de Apoio à Comunidade (FAC), com o apoio da Prefeitura de Campo Grande, já entregou nove mil cobertores para famílias carentes da capital. Na sexta-feira (02), as entregas foram realizadas nos bairros Jardim das Hortências, Moreninha e Vila Nogueira.

 

Com as baixas temperaturas previstas para o fim de semana em Campo Grande, as doações vão aquecer os moradores que foram até os locais de entrega. A campanha liderada pela presidente do comitê gestor do FAC e primeira-dama de Campo Grande, Tatiana Trad, devem atender mais de 30 mil famílias neste ano de 2019.

 

Todos os moradores contemplados possuem Número de Identificação Social (NIS) e estão cadastrados no FAC at7Z2A4588 (Copy)ravés das lideranças comunitárias.

 

Onório Centurião, 74 anos, morador da Vila Nogueira, destacou o trabalho realizado pelo prefeito Marquinhos Trad para com os mais pobres. “Os cobertores entregues hoje são um importante benefício que a Prefeitura oferece. A gente precisa muito dessas doações. Eu tenho acompanhado o trabalho realizado pelo prefeito Marquinhos Trad e ele tem ajudado muito as pessoas pobres. Então eu fico muito feliz com essa entrega de cobertores”, disse.

 

“É uma ajuda muito boa para quem não tem condições de comprar cobertores. É um projeto que precisa ser incentivado por todos nós. A qualidade dos cobertores é muito boa, o FAC está de parabéns”, declarou Orante Alves, de 62 anos.

 

FAC- Fundo de Apoio à Comunidade

 

O Fundo de Apoio à Comunidade realiza ações e desenvolve programas e projetos dirigidos prioritariamente às pessoas que se encontram em situação de risco e vulner7Z2A4582 (Copy)abilidade social.

 

O FAC também é um catalisador de doações durante todo o ano, como roupas, calçados, alimentos não perecíveis, móveis, eletrodomésticos, ou seja, tudo aquilo que está em bom de estado de uso.

 

Além disso, o FAC promove cursos de capacitação e oficinas que visão geração de renda e inclusão no mercado de trabalho.