Ministério da Saúde tira dúvidas sobre transmissão do sarampo, doença altamente contagiosa e cujo vírus ressurgiu em 2017

No último balanço apresentado pelo Ministério da Saúde, o Brasil registou, entre os dias 5 de maio e 3 de agosto, 907 casos confirmados de sarampo em três estados: São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia. A doença circula no país desde dezembro de 2017 e o ressurgimento do vírus, que não era registrado desde 2015, fez o país perder o Certificado de Eliminação do Sarampo, entregue pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).  A doença é altamente contagiosa. Pode ser transmitida pela respiração, tosse ou espirro da pessoa contaminada. Para tirar dúvidas sobre o sarampo, a Agência Brasil entrevistou diretor do Departamento de Imunizações e Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Júlio Croda.

 

 

Agência Brasil: Quais são os principais sintomas do sarampo?

Júlio Croda: Os principais sintomas são febre e pele avermelhada, conhecida como exantema. Também podem ser apresentados coriza e conjuntivite.

 

Agência Brasil: O contágio da doença é fácil?

Croda: É muito fácil. O sarampo é uma doença transmitida pelo ar, por gotículas e é o que apresenta a maior transmissibilidade das doenças transmitidas pelo ar. Uma pessoa infectada pode transmitir a doença para 15 a 20 pessoas em um mesmo ambiente.

 

Agência Brasil: Existe risco de morte?

Croda: Existe para alguns grupos populacionais especiais, principalmente crianças desnutridas, imunossuprimidos e crianças abaixo de um ano.

 

Agência Brasil: Como a doença pode ser detectada?

Croda: A doença geralmente é detectada através dos sinais e sintomas clínicos. Também existe o exame laboratorial que pode confirmar a doença.

 

Agência Brasil: Quais são os locais no Brasil com maior incidência da doença?

Croda: Atualmente nós temos três estados com casos notificados e confirmados. São Paulo concentra 90% dos casos. A gente tem um caso na Bahia e cinco casos no Riode Janeiro.

 

Agência Brasil: A vacinação do sarampo faz parte do calendário nacional de vacinação?

Croda:: A vacinação faz parte do calendário nacional. Ela é dada dos 12 aos 15 meses. Toda a população entre um ano e 49 anos deve ter duas doses no seu cartão vacinal. Importante ressaltar que os profissionais de saúde devem tomar essas duas doses. Eles fazem atendimento à população e isso evita a infecção e adoecimento desses profissionais.

 

Agência Brasil: A vacina é segura?

Croda: A vacina é muito segura. Essa vacina tem décadas de uso, uma dose protege 93% e duas doses têm uma eficácia de 97%.

 

Agência Brasil: Quem pode vacinar?

Croda: Quem pode vacinar são crianças a partir de 12 meses até 49 anos de idade. Todos devem ter, idealmente, uma dose entre um ano e 29 anos e tomar a segunda dose entre 30 e 49 anos.

Atualmente, por conta do aumento do número de casos, nós estamos recomendando que crianças de seis meses a um ano que residam em municípios onde há transmissão da doença tomem uma dose extra da vacina. Crianças da mesma idade que vão viajar para esses municípios também precisam de uma dose extra.

 

Agência Brasil: Existem medidas que as pessoas podem tomar para evitar a doença?

Croda: As principais medidas para a prevenção são lavagem de mãos adequadamente, proteger o espirro com a mão e evitar locais aglomerados. O paciente que for diagnosticado com a doença deve ficar em seu domicílio. Essa medida é chamada de isolamento domiciliar, e evita que outras pessoas da comunidade sejam infectadas.

 

Fonte: Agência Brail.

Equipes de atletas brasileiros fazem história nos Jogos Pan-Americanos

Os jogos Pan-Americanos de Lima terminam amanhã (11) e a equipe brasileira tem feito história. Até agora são 142 medalhas conquistadas, sendo 46 de ouro, 37 de prata e 59 de bronze, mas o Brasil está na disputa em várias modalidades.

 

O país caminha para seu melhor desempenho na história dos jogos. O melhor resultado foi em 1963, em São Paulo, quando ficou em segundo no quadro de medalhas. Na ocasião, porém, foram 52 medalhas no total. Atualmente o número de países participantes, modalidades e atletas é muito maior.

 

As competições de hoje poderão trazer mais medalhas e chances de ouro, para consolidar o Brasil em segundo lugar no quadro geral. O país está na final do golfe masculino e feminino; no remo, e nas categorias de quatro remos e oito remos masculino. O Brasil também briga por medalha em finais na vela, no ciclismo de estrada e na patinação de velocidade.

 

Estarão em disputa ainda o bronze no polo aquático feminino, contra Cuba, e na natação 1.500 metros estilo livre masculino e 1.500 metros masculino e feminino. No basquete feminino, a seleção brasileira disputa a medalha de ouro contra os Estados Unidos.

 

No tênis de mesa feminino, o Brasil pode garantir uma medalha se vencer os Estados Unidos em uma das semifinais. Ontem (9) à noite, Jéssica Yamada e Caroline Kumahara venceram as chilenas por 3 sets a 0. Na mesma situação está o time feminino de vôlei. A vitória por 3 x 0 sobre os Estados Unidos garantiu a seleção na semifinal, hoje, contra a Colômbia.

 

Fonte: Agência Brasil

Estudantes do ensino médio são premiados em olimpíada internacional de economia

Criar estratégias para solucionar problemas financeiros, fazer um modelo de negócios, ampliar a área de atuação de uma empresa. As tarefas não eram voltadas para administradores, mas para estudantes que participaram da Olimpíada Internacional de Economia, no mês de julho, em São Petesburgo, na Rússia. Mesmo sem ter essa disciplina no currículo, dois estudantes brasileiros do ensino médio conseguiram trazer medalhas de ouro e bronze para o país. Com outros cinco membros na competição, o time brasileiro recebeu o Troféu de Melhor Equipe do Mundo.

 

Guilhermo Costa, 17 anos, morador de São Paulo, participou pela primeira vez da olimpíada de economia neste ano, mas já tem experiência em outras provas semelhantes, nacionais e internacionais, como as olimpíadas de física. Mesmo estreante, saiu com a medalha de ouro na prova.  Segundo ele, o diferencial do exame de economia foi a dificuldade dos conteúdos cobrados. “Na prova de economia você tem que avaliar se uma decisão de negócios faz sentido ou não, fazer uma apresentação oral em relação a isso, para convencer os jurados que fazem parte de uma renomada consultoria internacional. Então é uma prova menos conteudista, que me marcou”, comenta.

 

“Eu pretendo participar novamente da olimpíada, seguir uma carreira em ciência da computação porque combina a modelagem de matemática com a física, duas áreas em que me interesso muito, com uma parte mais prática de como pegar modelo matemático teórico e transformar em uma simulação que pode ser aplicada no mundo real”, destaca Guilhermo.

 

Na prova, dividida em três fases, foram cobrados conceitos básicos de micro e macroeconomia, além de economia comportamental e finanças.

 

Os alunos Rafael Akira e Guilhermo Costa, medalhistas na Olimpíada Internacional de Economia
Os alunos Rafael Akira e Guilhermo Costa, medalhistas na Olimpíada Internacional de Economia – Roberta Abrahão

 

Medalhista de bronze, Rafael Akira, 17 anos, conta que já participou de competições semelhantes de informática, física, biologia e ciências, tanto no Brasil quanto no exterior.

 

“Me interesso muito pelas áreas de engenharia aeroespacial e biomédica, também sou fascinado pela parte de programação que envolve inteligência artificial e machine learning [área que estuda meios para que máquinas possam fazer tarefas que seriam executadas por pessoas]”, disse Rafael, destacando que espera repetir a experiência no próximo ano.

 

Alunos do 3º ano do ensino médio do Colégio Objetivo Integrado, na capital paulista, Guilhermo e Rafael receberam orientações de vários professores, entre eles, Raphael Zimmermann. Para o professor, trazer o troféu de melhor equipe do mundo deve servir de inspiração para o país.

 

“Esse prêmio veio muito a calhar porque o Brasil passa por um momento de restrição econômica e é importante lembrar que temos muito potencial e falta colocar isso na mesa e fazer as coisas acontecerem.”

 

Realizado de 24 a 31 de julho, o evento reuniu estudantes de 24 países. O resultado final da Olimpíada Internacional de Economia classificou, em primeiro lugar geral, o Brasil; em segundo e terceiro lugares, dois times da China. A organizadora da olimpíada foi a High School Economics (HSE).

 

Amanhã (11), a Agência Brasil publica uma matéria sobre a importância da participação dos estudantes em olimpíadas do conhecimento.

 

Fonte: Agência Brasil

Agricultura: contratações de crédito rural somaram R$ 16,5 bilhões em julho

A safra 2019/2020 teve início com forte aumento das contratações de crédito rural em relação a julho de 2018. O total financiado em julho deste ano foi de R$ 16,5 bilhões, com aumento de 23% em relação ao mesmo período do ano passado.

 

Do total financiado, R$ 11 bilhões foram para custeio e R$ 2,7 bilhões para investimentos. A contratação de pequenos e médios produtores somou R$ 4,48 bilhões para custeio (+40%) e R$ 906 milhões para investimentos (+34%).

 

Fonte: MAPA

 

Os números fazem parte do Balanço de Financiamento Agropecuário Safra 2019/2020, divulgado nesta sexta-feira (9) pela Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), tendo como fonte de dados o Sistema de Operações do Crédito Rural e do Proagro, do Banco Central. 

 

“O desempenho do crédito rural neste início de safra é superior ao da safra passada e flui normalmente em todas as linhas de financiamento”, afirmou Wilson Vaz, diretor de Financiamento e Informação do Mapa.

 

Crescimento

 

As contratações para comercialização tiveram crescimento de 39% em relação ao ano passado, influenciado pela retração nos preços dos grãos. Já os desembolsos para investimentos tiveram alta de 35% e para industrialização, de 42%.

 

O aumento no valor dos financiamentos ao setor foi particularmente elevado no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), com 34%, e no Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), com 38%.

 

Fontes de recursos

 

Os financiamentos agropecuários, realizados com recursos dos Fundos Constitucionais das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, aumentaram 63%, se situando em R$ 1 bilhão, dos quais R$ 661 milhões para a região Nordeste.

 

Outro destaque é a contribuição dos recursos provenientes da emissão de Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) para o “funding” do crédito rural, cujas contratações com recursos dessa fonte aumentaram de R$ 827 milhões em julho de 2018 para R$ 2 bilhões em julho último (+146%).

Terceiro sorteio da Mega-Sena nesta semana deve pagar R$ 5 milhões

O concurso 2.178 da Mega-sena, que será sorteado hoje (10) às 20h, poderá pagar um prêmio de R$ 5 milhões a quem acertar as seis dezenas. As apostas podem ser feitas até as 19h em qualquer lotérica do país ou pela internet.

 

A Caixa promove nesta semana três concursos da Mega-Sena – terça, quinta e sábado – por causa do Dia dos Pais.

 

Nenhum apostador acertou as seis dezenas do concurso 2.177, realizado quinta-feira (8) em São Paulo. As dezenas sorteadas foram: 09-11-14-31-48-51.

A aposta mínima custa R$ 3,50.

 

 

Fonte: Agência Brasil

Ministro Fachin nega recurso contra prefeita Ilda Machado e seu vice; ‘’prova’’ é considerada armação feita pelos adversários

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF) e membro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou, em decisão monocrática, seguimento ao agravo de instrumento e ao recurso especial da coligação adversária e do Ministério Público Eleitoral contra a prefeita Ilda Machado e seu vice Altair Vieira Albuquerque, de Fátima do Sul, que teve no comando da defesa a advogada Caroline Mendes Dias, de Campo Grande. Na realidade, a ‘’armação’’ sobre denúncia de compras de votos caiu por terra na maior Corte Eleitoral do país. ” (…)  declaro ilícita a prova constante dos autos que lastrearam a propositura desta representação, ante a vedação de sua utilização no processo eleitoral pela Constituição”, conforme trecho da decisão do dia 6 de agosto.

 

Em seu julgamento, o ministro  afirma que o Regional ( Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS),  “assentou premissa fática a qual não pode ser alterada em sede especial, a saber, a gravação ambiental decorreu de “armação” (…)” e prossegue afirmando que “(…) Consignou-se tratar de encomenda do principal adversário político da candidata ao eleitor, que a atraiu até sua residência, onde tinha uma câmera preparada para este fim, provocando o fato ilícito imputado à recorrente. Tal circunstancia inviabiliza a utilização da prova obtida como as dela derivadas”.

 

A decisão de um dos ministros da mais alta Corte de Justiça do país reafirma vitórias anteriores da prefeita Ilda Machado, vítima de tentativas dos seus adversários em criar escândalos para prejudica-la. A ‘’armação’’ contra a chefe do Executivo e do seu vice foi feita ainda no período da campanha eleitoral de 20016, mas em toda as instâncias Ilda e Altair foram vitoriosos.

 

Antes das férias, governador acertou compra de remédios e sobre projeto chinês

Pautas importantes para Mato Grosso do Sul avançaram nesta semana com a atuação do governador Reinaldo Azambuja nas cidades de Brasília (DF) e Curitiba (PR). Antes de sair de férias, no dia 8 de agosto, o governador acertou com a compra compartilhada de medicamentos entre sete estados brasileiros e tratou de investimentos chineses no novo projeto da Estrada de Ferro Paraná Oeste (Ferroeste), cujo traçado deve beneficiar Mato Grosso do Sul. O gestor ficará fora do comando do Estado até 20 de agosto. Neste período, o vice-governador Murilo Zauith assume o Executivo.

 

Desde que assumiu em janeiro deste ano a presidência do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central, Reinaldo Azambuja tem trabalhado para viabilizar a compra compartilhada de medicamentos entre o Distrito Federal e os estados de Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins – membros do bloco econômico. Na terça-feira passada, ele assinou um memorando de entendimento com o Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (Unops) que viabiliza a aquisição, que objetiva aumentar o poder de compra e reduzir o preço de remédios e equipamentos.

 

“Comprando conjuntamente, a gente espera baratear o custo. Vamos ter condições de ter um valor menor. Planejando a compra, vamos ter um ganho de escala porque vamos comprar todos os estados conjuntamente e a Unops tem uma experiência nisso. Ela é um braço da ONU que organiza as questões de saúde. Não é só medicamento. Nós podemos comprar equipamentos”, afirmou Reinaldo Azambuja. Segundo ele, os estados já se preparam para fazer a primeira aquisição, com pagamento à vista, usando recursos dos Tesouros estaduais. “Dentro de 15 dias já temos a lista toda fechada dos medicamentos e os valores”, declarou.

 

Reinaldo Azambuja este em Brasília na reunião do Consórcio Brasil Central

 

Ferroeste

 

Já no Paraná, o governador se reuniu na última quarta-feira com representantes de grupos empresariais chineses e portugueses no Brasil para discutir formas de investimento no novo projeto da Ferroeste, que pretende ligar os portos de Paranaguá (PR) e Antofagasta, no Chile, passando por Mato Grosso do Sul. Possibilidades de rotas e ramais que ligarão Brasil e Chile, cortando o Paraguai e a Argentina, foram apresentadas no encontro na sede do governo paranaense. Um grupo de trabalho do estado vizinho vai avaliar qual o melhor modelo a ser seguido. Atualmente, a Ferroeste liga as cidades de Cascavel a Guarapuava.

 

Mato Grosso do Sul tem interesse na construção de uma nova linha de escoamento da produção por meio do Oceano Pacífico. “Seremos mais competitivos com essa nova saída. Agora é olhar a melhor lógica e modelagem”, afirmou Reinaldo Azambuja. Ele ainda defendeu a discussão conjunta do traçado, uma vez que a integração logística dá mais competitividade aos produtos brasileiros e asiáticos. O governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, também reafirmou a relevância do projeto. “É um sonho tirar do papel o corredor bioceânico, mas qualquer decisão depende do Governo Federal. Precisamos vencer a burocracia”, destacou.

6ª etapa da Stock Car terá início neste sábado no Autódromo Internacional

Após reformas e manutenções em sua infraestrutura, o Autódromo Internacional de Campo Grande passou por última avaliação ontem (9), quando o prefeito Marquinhos Trad visitou o local e conversou com pilotos da 6ª etapa da Stock Car, que acontece neste fim de semana na Capital. Neste sábado (9) haverá definição do grid de largada a partir das 14h30min e, no domingo, a primeira largada será às 14h e a segunda às 15h. Com 30 carros em Campo Grande, a expectativa é movimentar mais de 10 mil pessoas no Autódromo.

 

Entrando novamente para o cenário de grandes eventos Automobilísticos, o Autódromo Internacional de Campo Grande passou por readequações que visaram um melhor desempenho dos pilotos. O trabalho compreendeu adequações na pista, recomendadas pela Confederação Brasileira de Automobilismo; limpeza de todo complexo, que abrange uma área de 50 hectares; revestimento primário e desobstruçãIMG_4732o da pista lateral de acesso.

 

Em conversa com pilotos o Prefeito destaca o planejamento até a chegada das provas. “Estamos preparando o autódromo para amanhã (11) desde quando assumimos. Foram reuniões, eventos, manutenções e estamos trazendo uma opção de lazer aos campo-grandenses e para todos os sul-mato-grossenses. Com este evento, a gente movimenta toda a rede financeira da cidade, desde hotéis a táxis, visitas aos shoppings e isso movimenta o comércio da cidade”, comenta Marquinhos.

 

Convidando a população para assistir, o piloto Cesar Ramos, da equipe Blau, disse que não tem combinação melhor para o dia dos pais. “Venham prestigiar e assistir com seu pai, sua família, os carros mais rápidos do país, onde os carros da Prova da Stock Car podem chegar  até 260 km por hora. Só aventura e emoção”, disse ele que fez sua primeira temporada na Stock Car em 2015, mas participa de corridas desde 1998 quando estreou no Kart.

 

Ontem (09) a população pode fazer pit stop dos carros da prova no estacionamento da Prefeitura. A ação, promovida pela equipe da Stock Car garantiu diversão e a experiência de troca de pneu no carro da Stock Car, como os mecânicos fazem durante os pit stops nas corridas.

Programação


Sábado

8h – Abertura dos Portões ao Público Credenciamento
8h30 – Shake-Down Stock Car (máximo 6 voltas)IMG_4652
8h55 – 1º Treino – 1º Grupo Stock Car
9h45 – 1º Treino – 2º Grupo Stock Car
10h45 – Shake-Down – Volta Rápida Volta Rápida – Reunião com Equipes
11h35 – 2º Treino – 1º Grupo Stock Car
12h20 – 2º Treino – 2º Grupo Stock Car
14h30 – Classificação Stock Car

Domingo

10h45 – Volta Rápida Na Pista
12h –  Visitação aos Boxes
12h25 – Abertura de Box
14h00 : largada da primeira corrida
14h47 – Pódio
15h00 : largada da segunda corrida
15h47 – Pódio

IFMS: pesquisas visam aumentar produtividade agropecuária

O incremento da produção agropecuária tem sido o ponto de partida para várias pesquisas de iniciação científica e tecnológica desenvolvidas no Campus Nova Andradina do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS).

 

Parte dos cursos ofertados se concentra no eixo tecnológico Recursos Naturais, que abrange as produções animal, vegetal, mineral, aquícola e pesqueira, além da tecnologia de máquinas e implementos. Estruturados e aplicados às necessidades de produção, esses elementos visam à qualidade e sustentabilidade econômica, ambiental e social.

 

Dessa forma, as pesquisas desenvolvidas por estudantes e docentes do campus combinam diferentes elementos presentes nos cursos técnicos em Agropecuária (integrado) e Zootecnia (subsequente), além das graduações em Agronomia (bacharelado) e Produção de Grãos (tecnologia), atendendo à demanda regional do setor agropecuário.

 

O fato de também ofertar cursos do eixo tecnológico Informação e Comunicação – casos do técnico integrado em Informática e da graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas – permite ainda que os projetos incorporem o uso de tecnologias para o aprimoramento dos estudos.

 

Produtividade 

 

Uma das pesquisas desenvolvidas durante o ciclo 2018-2019 da Iniciação Científica e Tecnológica do IFMS era referente à produção de amendoim no Vale do Ivinhema, região de abrangência do campus.

 

Intitulado “População fitopatogênica em sementes de cultivares de amendoim e uso de ozônio como método de controle físico”, o estudo se concentrou na identificação e controle, por meio da exposição ao ozônio, das doenças que atacam as sementes de amendoim nas variedades plantadas na região.

 

Atualmente, o amendoim é a 4ª oleaginosa (vegetal que possui óleos e gorduras passíveis de serem extraídos) mais produzida no mundo. No Brasil, a safra 2016/2017 alcançou 438 mil toneladas. A demanda crescente nas últimas décadas, em virtude dos produtos e derivados disponíveis no mercado, aumentou a preocupação com a produtividade.

 

“O amendoim é uma cultura de alta demanda de produtos, no entanto é alvo constante do ataque de fitopatógenos em sementes. Devido ao potencial de controle de micro-organismos do ozônio, justifica-se verificar as consequências do seu uso sobre a patologia e o potencial fisiológico das sementes”, comenta o coordenador da pesquisa,  Denis da Costa, professor de Ciências Agrárias e coordenador do curso superior de tecnologia em Produção de Grãos.

 

“Com a participação no projeto adotei rotinas relacionadas ao cumprimento de horários  e tempo de permanência em laboratório. A apresentação suscitou questões para o estudo. Como pretendo seguir na carreira acadêmica, foi uma experiência muito importante”, comenta a estudante Izamara Machado. 

 

A pesquisa contou também com a participação de outro docente de Ciências Agrárias, Francisco José Gonçalves, e mais três estudantes bolsistas, Nataly Silva, Luiz Inácio e Izamara Machado, do 8º semestre de Agronomia, que apresentaram parte do trabalho desenvolvido na edição 2019 do Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica do IFMS (Semict), realizado em Campo Grande, no mês de passado.

 

“Com a participação no projeto, adotei rotinas relacionadas ao cumprimento de horários para desenvolvimento da pesquisa e tempo de permanência em laboratório. A apresentação do trabalho também suscitou questões para o estudo. Como pretendo seguir na carreira acadêmica, foi uma experiência muito importante”, comenta Izamara.

 

Inovação tecnológica 

 

Outra pesquisa desenvolvida no Campus Nova Andradina durante o último ciclo da iniciação científica no IFMS dedicou-se  à conservação dos recursos naturais aliada ao aumento da produtividade agropecuária por meio da inovação tecnológica.

 

Com o título “Tecnologias aplicadas ao monitoramento da qualidade físico-química do solo”, o projeto se concentrou na possibilidade de avaliação dos atributos físicos e químicos do solo por meio da construção e calibração de protótipos a partir da plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre Arduíno.

 

As atividades foram divididas de forma a desenvolver um fotômetro (aparelho que mede a intensidade da luz) para o monitoramento de matéria orgânica presente no solo, além de um sistema automático para controlar a temperatura e o teor de água no solo.

 

Por fim, a pesquisa visava a construção de um sistema automatizado para a determinação da taxa de gás carbônico, emitido para atmosfera durante o processo de decomposição dos restos depositados sobre o solo.

 

O responsável pelo projeto, Wagner Henrique Moreira, docente de Ciências Agrárias e coordenador de Pesquisa e Inovação do campus, destaca que algumas metodologias permitem acompanhar a dinâmica da matéria orgânica do solo em função da umidade, temperatura, teor de água e emissão de gás carbônico.

 

“Porém, tais metodologias exigem procedimentos e análises que só são possíveis em laboratórios, tornando-as custosas, além de exigir tempo considerável para sua execução. Nesse contexto, buscamos viabilizar formas alternativas de quantificar esses atributos”, explica Wagner.

 

 

Integração 

 

A pesquisa contou ainda com a participação do professor de Física do IFMS, Fernando da Conceição. Devido ao caráter multidisciplinar, atuaram como bolsistas acadêmicos de diferentes cursos da unidade.

 

Um deles foi Carlos Henrique da Costa, do 4º semestre da graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. O trabalho “Desenvolvimento e otimização de um fotometro para o monitoramento de matéria orgânica presente do solo”, produzido como parte do projeto de pesquisa, foi apresentado no Semict e ficou com o 1º lugar do evento.

 

Carlos, que há dois anos concluiu o curso técnico integrado em Informática, ressalta como a experiência da pesquisa no ensino médio o auxiliou nas atividades do projeto.

 

“Trata-se de um aprofundamento das pesquisas que iniciei no ensino integrado. Com isso, consegui obter resultados melhores e mais satisfatórios daquilo que já havia sido feito anteriormente. A pesquisa desde o ensino médio foi enriquecedora para os conhecimentos que utilizo na graduação”, disse Carlos.

 

“Trata-se de um aprofundamento das pesquisas que iniciei no técnico integrado. A pesquisa desde o ensino médio foi enriquecedora para os conhecimentos que utilizo na graduação”, disse Carlos. 

 

Os outros dois bolsistas, Igor Dantas e Jean Araújo, cursam Agronomia. Igor, do 6º semestre, comenta a importância das ferramentas voltadas à inovação tecnológica no desenvolvimento do projeto. “Com o passar do tempo, a agricultura está ficando mais tecnológica. Por isso é necessário vislumbrar maneiras de utilizar essas inovações, ampliando a produtividade sem deixarmos de lado o aspecto sustentável”.

 

Com atividades nos laboratórios e áreas experimentais do campus, ambos projetos foram contemplado com bolsas de iniciação científica e ainda receberam recursos para o custeio de despesas.

 

A duas pesquisas desenvolvidas em Nova Andradina terão continuidade no ciclo 2019-2020, sendo mais uma vez contempladas com bolsas de iniciação científica.

 

Investimentos

 

No ciclo 2018-2019 foram investidos R$ 86 mil nos projetos do Campus Nova Andradina, em recursos próprios do IFMS e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). No total, 23 estudantes foram contemplados com bolsas de iniciação científica.

 

Desde 2014, foram desenvolvidos no campus 48 projetos de iniciação científica, que envolveram 128 estudantes entre bolsistas e voluntários. No mesmo período, os projetos da unidade receberam R$ 11,3 mil como apoio e incentivo à pesquisa e inovação, para o custeio de despesas com os projetos.

 

Feiras 

 

As últimas cinco edições da Feira de Ciência e Tecnologia de Nova Andradina (Fecinova) reuniu 341 trabalhos de estudantes do ensino fundamental, médio e técnico integrado, de escolas públicas e privadas, de Nova Andradina e de municípios do entorno, que fazem parte da área de abrangência do campus do IFMS.

 

As inscrições para a edição 2019 seguem abertas. O evento é destinado a estudantes das escolas de Anaurilândia, Angélica, Bataguassu, Batayporã, Ivinhema, Nova Andradina, Novo Horizonte e Taquarussu e será realizado nos dias 1º e 2 de outubro, no Tatersal de Leilões.

 

Desde 2014, outros 40 trabalhos do Campus Nova Andradina do IFMS foram apresentados no Semict, espaço destinado aos projetos de iniciação científica desenvolvidos por estudantes da graduação da instituição.

 

As pesquisas desenvolvidas por estudantes e docentes da unidade nos últimos cinco anos acumulam 34 participações e 29 prêmios em eventos estaduais, nacionais e internacionais, como a Feira de Tecnologias, Ciências e Engenharias de MS (FetecMS), Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia (Mostratec) e Feira Internacional de Ciências e Engenharia (Intel/ISEF).

 

No mesmo período, 41 estudantes do IFMS em Nova Andradina receberam apoio institucional para participar de eventos.