Polícia Rodoviária Federal cumpre determinação de Bolsonaro e retira radares móveis da fiscalização das rodovias federais

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), em cumprimento aos despachos do presidente da República, Jair Bolsonaro, que determinou a suspensão do uso de radares estáticos, móveis e portáteis nas rodovias federais, mandou recolher esses equipamentos do serviço diário de fiscalização. A decisão vale até que o Ministério da Infraestrutura conclua a reavaliação da regulamentação dos procedimentos para fiscalização eletrônica de velocidade em vias públicas.

 

Nessa quinta-feira (15), a instituição emitiu nota circular administrativa, ordenando gestores e servidores que cumpram a determinação.

 

A nota assinada pelo diretor-geral da PRF, Adriano Marcos Furtado, prevê também a revogação dos atos administrativos internos que dispõem sobre a atividade de fiscalização eletrônica de velocidade em rodovias e estradas federais. O diretor determinou também que sejam priorizadas a revisão dos normativos para simplificação e desburocratização para que contemplem instrumentos que fomentem o “caráter pedagógico e a otimizar a eficiência das ações para incremento da segurança viária”.

 

Ao deixar o Palácio da Alvorada, na manhã de ontem, Bolsonaro disse que os radares fixos, aqueles instalados em postes ao lado das rodovias, não entram nessa suspensão, pois o governo tem contratos com empresas que operam esses equipamentos. “Não vamos alterar contratos”.

 

Fonte: Agência Brasil

Ministro Guedes: Brasil sai do Mercosul se Argentina frear abertura do bloco

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse na noite desta quinta-feira (15) que, caso a oposição vença as eleições presidenciais na Argentina e apresente resistência à abertura econômica do Mercosul, o Brasil deixará o bloco. As primárias realizadas no último fim de semana  pelo país vizinho, que servem como uma pesquisa nacional, indicou o favoritismo da chapa encabeçada pelo peronista Alberto Fernández, que tem como vice a ex-presidente Cristina Kirchner. Eles receberam 47% dos votos. O atual presidente, Mauricio Macri, ficou com 32%.

 

O primeiro turno está marcado para 27 de outubro e, caso algum candidato obtenha mais de 45% dos votos, não há necessidade de segundo turno. “Se vence o Macri, o Bolsonaro se dá bem com ele e os dois se dão bem com o Trump. Então tudo caminha em alta velocidade. Se der errado, der o outro lado? A pergunta é simples. Nós vamos continuar abrindo. Vocês também? Se não vão, então tchau. A gente sai fora do Mercosul e vamos embora. Acho que vamos ser muito práticos. E não tememos o efeito disso. O Brasil precisa retomar sua dinâmica de crescimento”, disse Guedes.

 

Sem crise

 

As declarações foram dadas em discurso na cerimônia de encerramento do Seminário sobre Gás Natural, evento organizado há cada dois anos no Rio de Janeiro pelo Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP). Em junho, o Mercosul fechou um acordo de livre comércio com a União Europeia. Segundo o ministro, os Estados Unidos também manifestaram interesse em um acordo comercial com o bloco. Ele disse ainda que a disposição do Brasil em abrir o seu mercado faz o país ser disputado. “Todo mundo está fechando para balanço e nós somos a única moça da festa disponível para dançar. Então todo mundo quer dançar com a gente”.

 

Ao final do evento, Guedes conversou com jornalistas e argumentou que o Brasil não precisa se preocupar com crise externa se o dever de casa for bem feito, porque dispõe de uma economia com dinâmica própria de crescimento. Segundo ele, houve momentos em que o mundo estava crescendo aceleradamente e o país não se beneficiou.

 

“Se há uma momento favorável lá de fora, valoriza o câmbio, mas em compensação você vende menos móveis, têxteis. O Brasil foi até desindustrializado mais rapidamente durante o período em que o câmbio se valorizou. Agora pode ser contrário. O mundo pode desacelerar e nós podemos acelerar. De repente, com energia barata e um câmbio um pouco mais alto, você vai reindustrializar autopeças, móveis, sapatos, indústria têxtil. Não devemos temer o efeito contágio. O Brasil tem uma dinâmica própria como poucos países: os Estados Unidos, a China, a Índia”, disse Paulo Guedes. “Se o dólar quiser ir para R$4 ou mais de R$4 por causa da eleição na Argentina ou pelo vento lá fora, deixa ir. Estamos preparados”, acrescentou.

 

Pacto federativo

 

O ministro defendeu ainda um novo pacto federativo entre União, estados e municípios. Para ele, esse novo pacto pode se beneficiar de um interesse internacional no Brasil. “Estivemos em Dallas há pouco tempo e falava-se da nossa fronteira de pré-sal. Os cálculos eram de US$500 bilhões, US$600 bilhões, até US$900 bilhões e US$1 trilhão em reservas. É um valor colossal pensar que tem quase US$1 trilhão para extrair do chão ao longo dos próximos 25 anos e isso tudo é o que vai reavivar o nosso pacto federativo. O dinheiro que sair do chão vamos jogando para os estados e municípios para reconstruir a federação. São eles que financiam saúde, educação, saneamento, segurança pública”.

 

Uma proposta está sendo elaborada, de acordo com Guedes, para que o percentual da arrecadação do pré-sal que fica com a União seja encolhido gradativamente. Ao final de oito anos, estados e municípios ficariam com 70% desses recursos. Ao mesmo tempo, o ministro defende a desvinculação e desindexação das despesas dos orçamentos de todos os entes federativos, assim como o fim das verbas carimbadas.

 

“A principal função da classe política é administrar os recursos públicos, é alocar os recursos de forma mais eficiente. Vou dar um exemplo. O ministro da Justiça, Sérgio Moro, precisa de R$500 milhões para reequipar a Força de Segurança Nacional. Mas ele tem R$1,5 bilhão do fundo penitenciário. Ele não consegue pegar esse dinheiro. O natural era ele poder remanejar esses recursos. E aí no final do ano, falta dinheiro para todo mundo, mas sobra dinheiro congelado nos diversos fundos”.

 

Privatizações

 

Guedes disse ainda que o presidente da República, Jair Bolsonaro, está cada vez mais sintonizado com a agenda de privatizações e tem cobrado mais agilidade de Salim Matar, secretário especial de desestatização e desinvestimento do Ministério da Economia. “Eu durante a campanha falava: vamos privatizar todas. Minha obrigação é recompor as finanças da União. E estou convencido que as estatais esgotaram o seu ciclo de financiamento, foram perdendo a capacidade de investimento e foram ficando para trás”, analisou o ministro.

 

Segundo ele, a capacidade de investimento que o Brasil necessita não é compatível com monopólios e demanda de capital privado. Ele não descartou a privatização da Petrobras. De acordo com o ministro, apesar de estar se recuperando, a estatal não tem capacidade de investimento para fazer frente à extração dos R$700 bilhões em reservas do pré-sal.

 

Fonte: Agência Brasil

Julho de 2019 foi o mês mais quente da história, segundo agência americana

O mês de julho foi o mais quente no planeta nos últimos 140 anos, informou ontem (15) a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos (NOAA na sigla em inglês).

 

Os dados da agência americana confirmam conclusões divulgadas no início do mês pelo serviço europeu Copernicus sobre mudança climática, que também havia apontado julho deste ano como o mês mais quente já registrado.

 

Segundo os cientistas da instituição americana, durante o mês de julho a média global das temperaturas foi 0,95°C superior à média de todo o século 20, que foi 15,77°C, o que torna julho de 2019 o mês mais quente nos registros da agência, que começaram em 1880.

 

No relatório, a NOAA lembrou que nove dos dez meses de julho mais quentes da história foram registrados desde 2005, sendo os dos últimos cinco anos os que tiveram as maiores temperaturas.

 

O calor sem precedentes em julho reduziu o gelo nos Oceanos Ártico e Antártico a mínimos históricos. O gelo do Oceano Ártico atingiu uma baixa recorde em julho, ficando 19,8% abaixo da média – superando a baixa histórica anterior, de julho de 2012. O gelo marinho médio da Antártica, por sua vez, ficou 4,3% abaixo da média de 1981-2010, atingindo seu menor tamanho para julho nos registros de 41 anos.

 

A NOAA afirmou que 2019 foi o ano com maiores temperaturas até o momento em partes da América do Sul e do Norte, Ásia, Austrália e Nova Zelândia, assim como na metade meridional da África e em porções do oeste do Oceano Pacífico, do oeste do Oceano Índico e no Oceano Atlântico. O Alasca teve seu mês de julho mais quente desde que começou a fazer registros, em 2005.

 

Recordes de temperatura também foram quebrados em diversos países europeus, como a Alemanha, Bélgica ou Holanda. Em Paris, por exemplo, os termômetros marcaram 42,6°C, a temperatura mais alta já registrada na capital francesa, ultrapassando o recorde anterior de 40,4°C alcançado em 1947.

 

Nesse sentido, o relatório americano ressaltou que entre janeiro e julho deste ano, a temperatura global esteve 0,95 graus acima da média do século passado, que foi de 13,83 graus centígrados, empatando com 2017 como o segundo ano mais quente até o momento (2016 é considerado até hoje o ano mais quente).

 

As conclusões confirmaram os dados divulgados pelo Serviço de Mudança Climática Copernicus, da União Europeia, em 5 de agosto, embora a margem do novo recorde em comparação com o último, em julho de 2016, tenha sido maior de acordo com os dados dos Estados Unidos.

 

O novo recorde é ainda mais notável porque o anterior seguiu um forte El Niño, que aumenta a temperatura média do planeta independentemente do impacto do aquecimento global.

 

Fonte: Agência Brasil

Financiamentos imobiliários poderão ser indexados à inflação; CMN autorizou

Os bancos poderão oferecer crédito imobiliário corrigido pela inflação. O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou resolução que permite que novos financiamentos do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) tenham o saldo devedor atualizado por índices de preços.

 

A resolução foi aprovada na reunião extraordinária do CMN na manhã de quarta-feira (14), mas só foi divulgada pelo Banco Central (BC) ontem (15) no fim da noite, depois de o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, teranunciado que o banco passará a conceder crédito imobiliário corrigido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mais uma taxa de juros fixa.

 

Os financiamentos habitacionais são corrigidos pela Taxa Referencial (TR), atualmente zerada, mais juros fixos que variam conforme o perfil do mutuário. Em julho do ano passado, o conselho havia autorizado a concessão de crédito corrigido pela inflação. A resolução, no entanto, não alcançava as operações do SFH, nas quais o tomador usa o saldo da conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para pagar as prestações e amortizar o saldo devedor.

 

Em nota, o Banco Central explicou que a medida ajuda a tornar o mercado imobiliário menos dependente da poupança e do FGTS, cujos recursos são em parte usados para empréstimos habitacionais. Segundo o BC, os financiamentos corrigidos pela inflação podem servir de lastro (base) e ampliar a participação de instrumentos voltados para o crédito imobiliário negociados no mercado financeiro, como os certificados de recebíveis imobiliários e as letras imobiliárias garantidas.

 

Segundo o comunicado, a medida é derivada da agenda de modernização do sistema financeiro e beneficiará o consumidor ao ampliar as modalidades de financiamento imobiliário disponíveis, aumentar a concorrência entre os agentes financeiros e reduzir os juros finais para o tomador.

 

Fonte: Agência Brasil

Como governador, Londres assinou o plano salarial do Magistério e conduziu MS em momento de crise política

Nos dois momentos de crise política – em 1979 e 1980 – que o recém-criado Estado de Mato Grosso do Sul viveu com exonerações de governadores, o deputado Londres Machado foi responsável em comandar a administração até que os novos nomes fossem aprovados pelo Senado e, posteriormente,  nomeados pelo presidente da República. “Eu sabia das minhas limitações constitucionais. E o que eu fiz?  Fiz o Estado funcionar: coloquei a folha em dia, paguei fornecedor. O momento era de agir com sabedoria, não fiz nenhuma loucura. Entreguei o Estado tanto para o Marcelo Miranda, quando ele chegou, como para o Pedro Pedrossian, quando ele também chegou, funcionando perfeitamente”, afirmou. Foi ele quem também quem assinou o plano salarial do Magistério e fixado o salário base dos professores. Na realidade, o nome do parlamentar de 44 anos de mandatos – sete vezes como presidente do Poder Legislativo estadual – se confunde com a história sul-mato-grossense.

 

Esse reconhecimento pela sua contribuição à história ocorreu noite de terça-feira (14), quando o parlamentar, pela proposição do deputado Lídio Lopes, foi um dos homenageados pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul em sessão solene que concedeu a Comenda do Mérito Legislativo aos ex-governadores. Londres Machado assumiu a primeira vez o cargo de governador no dia 13 de junho de 1979. No dia anterior, o então governador Harry Amorim Costa, que havia assumido em 1º de janeiro, havia sido exonerado. “No dia 12 tivemos a notícia que o governador Harry tinha sido exonerado. No dia 13 nós promulgamos a Constituição: de manhã e eu fui eleito presidente e, à tarde, eu já era governador”, contou ele. Na época, enquanto era aguardada a aprovação do nome de Marcelo Miranda, o Ministério da Justiça comunicou a Londres que quem deveria assumir o Governo era quem comandava a Assembleia Legislativa, no caso, ele. Em 1980, com a também exoneração de Marcelo Miranda, Londres voltou a ocupar a cadeira. “Fui um governador constitucional. Fui chamado para assumir o Governo por ser o presidente da Casa de Leis. Assinei diversos atos, inclusive em prol do ensino naquela época e dos profissionais da Educação”.

 

 

Ao fazer uma análise da gestões dos ex-governadores, Londres Machado afirmou que cada um deles tem seu estilo de administrar, mas foi categórico: ‘’Posso dizer que o Estado de Mato Grosso do Sul teve muita sorte com os governadores. Claro que tivemos alguns problemas na hora de nomeação”, disse ele, afirmando que se fosse eleição direta – como é hoje – ‘’o caso tinha sido resolvido e o Estado ganharia muito mais”.

 

 

Na questão de relacionamento da Assembleia Legislativa, a qual comandou por sete ocasiões, a parlamentar afirmou que pela própria Constituição ‘’os poderes têm de ser independentes, porém harmônicos e, hoje, eu acho que deve ter mais do que isso’’.  Segundo o parlamentar, as dificuldades como no Estado e em nível nacional são muitas. “Então, além de se conviver harmonicamente, temos de dividir responsabilidades também com o governador para que a gente possa achar caminhos para beneficiar o povo e o nosso Estado caminhar tranquilamente”,afirmou.  Londres destacou ainda que para o avanço do desenvolvimento e modernização toda a representatividade do poder público se ‘’sente na mesma mesa’’ e discuta soluções.

 

 

Foto: Giuliano Lopes

Unicef alerta que crianças no Congo ficaram órfãs devido ao ebola

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) informou que cerca de 4 mil crianças na República Democrática do Congo ficaram órfãs ou foram deixadas desacompanhadas em consequência da epidemia de ebola.

 

O surto da doença tem se expandido nas províncias de Kivu do Norte e Ituri, na parte leste do país, desde o mês de agosto do ano passado, deixando mais de 1.800 pessoas mortas.

 

Segundo a agência, mais de 1.300 crianças perderam um ou ambos os pais por conta da enfermidade desde o início do surto.

 

Mais de 2.400 crianças têm sido separadas de seus país ou cuidadores e deixadas sozinhas enquanto os adultos se submetem a exames e tratamentos, ou ficam isolados por terem tido contato com alguém infectado. O Unicef diz que muitas dessas crianças necessitam de ajuda alimentícia e se deparam também com discriminação por suspeita de infecção.

 

A instituição opera três creches nas proximidades dos centros de tratamento do vírus ebola, nas localidades em que ocorrem a epidemia. As crianças são cuidadas nas instalações até seus pais concluírem o tratamento. O Unicef também tem treinado profissionais que fornecem assistência às crianças.

 

A agência alerta que o número de crianças órfãs ou desacompanhadas está se elevando rapidamente e pede à comunidade internacional que amplie o apoio ao governo do país.

 

Fonte: Agência Brasil

Ilustração: Fausto Brites/ Agência de Notícias Zero Um Informa

Pesquisa do Procon registra acréscimo de até 182% em produtos de higiene pessoal

Equipes de pesquisadores da Superintendência para Orientação Defesa do Consumidor (Procon/MS), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast) realizaram verificação de preços de produtos de higiene pessoal e limpeza no período de 31 de julho a 14 de agosto.  Foram visitados 11 estabelecimentos comerciais em Campo Grande e verificados preços de 236 produtos com caraterísticas iguais, dos quais 183 foram liberados para divulgação.

 

A pesquisa leva em consideração, para divulgação, a existência de produtos iguais em pelo menos três dos estabelecimentos onde foram feitos os levantamentos. Foram detectadas diferenças de preços  que vão de 10,97% no caso de  amaciante de roupas Minuano, que pode ser encontrado a  R$ 6,29 na loja  do Fort Atacadista  da  avenida Guri Marques, enquanto é vendido por R$ 6,98 na unidade da rede Legal de Supermercados da avenida José Nogueira Vieira (bairro Tiradentes). A pesquisa verificou ainda diferença de 182,96% no preço do aparelho de barbear Prestobarba, que custa R$ 11,29 no Carrefour, podendo ser adquirido por R$ 3,99 no supermercado São João, na avenida Tancredo Neves, no bairro Aero Rancho.

 

Para maior abrangência, neste levantamento foram pesquisados estabelecimentos localizados nos mais diversos pontos de Campo Grande, como é o caso do Assai Atacadista (avenida Cônsul Assaf Trad), Atacadão (avenida Duque de Caxias), Carrefour (avenida Afonso Pena), Comper Hipermercado (avenida Günter Hans), Extra Supermercados (rua Maracaju), Fort Atacadista (avenida Guri Marques). Rede Econômica Pague Poko (Taquaral Bosque), Supermercado Pires (avenida Guaicurus), Supermercado Legal (avenida José Nogueira Vieira), Supermercado São João (avenida Presidente Tancredo Neves) e Walmart (avenida Mato Grosso).

 

O setor de pesquisas do Procon Estadual realizou, também, verificação para estabelecer termos comparativos entre os valores praticados no trimestre anterior, bem como no ano passado e, para isso, teve como parâmetros produtos com características iguais aos que foram vistos na pesquisa atual. Entre os itens verificados alguns sofreram aumento, a exemplo de desodorante roll-on Rexona, que no trimestre passado era vendido a R$ 8,01 e agora chega a ser vendido a R$ 12,77, o que configura 37,27% a mais. No entanto, foi detectado produto com decréscimo de preços. O shampoo Tresemé com 400ml era vendido por R$ 14,25 e pode ser encontrado por R$ 8,32 – redução de 71,27%.

 

Em se tratando de preços praticados no ano passado, também foram estabelecidas as variações. Tanto houve acréscimo como defasagem. Coincidentemente o desodorante roll-on Rexona apresentou o mesmo índice de acréscimo (37,27%) tanto na comparação trimestral como anual, enquanto o shampoo Tresemé também foi o produto com maior decréscimo de preço (-67,79%). Novamente ficou demonstrado que o consumidor que pesquisa preços tem possibilidade de pagar mais barato pelo produto que deseja adquirir.

 

Confira abaixo as pesquisas:

http://www.ms.gov.br/wp-content/uploads/sites/150/2019/08/PRODUTOS-DE-HIG-E-LIMP-DIVULGAÇÃO-1.xlsx

 

http://www.ms.gov.br/wp-content/uploads/sites/150/2019/08/PRODUTOS-DE-HIG-E-LIMP-DIVULGAÇÃO-1.xlsx

 

http://www.ms.gov.br/wp-content/uploads/sites/150/2019/08/PRODUTOS-DE-HIG-E-LIMP-DIVULGAÇÃO-1.xlsx

http://www.ms.gov.br/wp-content/uploads/sites/150/2019/08/PRODUTOS-DE-HIG-E-LIMP-DIVULGAÇÃO-1.xlsx

Limpa Pátio: Começa nesta sexta-feira leilão de veículos apreendidos

O Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) dará início em dois leilões nesta sexta-feira (16.8). Os lances online para veículos de circulação e sucatas, fazem parte da Operação Limpa Pátio e a captação de lances tem encerramento previsto para às 17h do dia 30 de agosto.

 

Estão disponíveis 140 veículos para circulação. Destes, 131 motocicletas e 09 automóveis que poderão ser visitados entre os dias 26 a 30 de agosto no pátio da leiloeira Aparecida Maria Fixer, localizado em frente a agência do órgão em Três Lagos, localizado na Rua João M. Montalvão, 288 – Jardim Morumbi das 08h30min às 11h30min e das 13h30min às 16h30min.

 

O edital de sucatas traz 25 toneladas de material ferroso. Os lotes poderão ser arrematados de acordo com as normas do edital, por empresas que atestem as exigências de comprovação do ramo de atividade reciclagem siderúrgica.

 

Os leilões estão na responsabilidade do leiloeiro oficialmente credenciado pelo Departamento, Aparecida Maria Fixer e os produtos estão à disposição pelo site http://www.leiloesjudiciais.com.br.

 

De acordo com o responsável do setor de leilões do Departamento, Diego Fernando de Arruda Soares, no total 20 certames estão previstos até o fim do ano, mas ainda não há uma estimativa de quantos veículos estarão disponíveis. “Para cada leilão de circulação deverá ser lançado também um para sucatas”, comentou.

 

Os certames fazem parte da Operação Limpa Pátio, elaborada com o objetivo de desafogar os pátios no Estado onde cerca de 50 mil veículos apreendidos se encontram atualmente.

 

Black Friday Fronteira é lançada em Campo Grande nesta sexta-feira

Será lançada nesta sexta-feira (16/08), às 10 h, a 8ª edição do Black Friday Fronteira, com a presença de lideranças empresariais de Ponta Porã e do Paraguai. O evento será realizado no Senac Turismo e Gastronomia, em Campo Grande, e é uma promoção da Câmara de Indústria, Comércio, Turismo e Serviço de Pedro Juan Caballero (PY) e Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã,  com o apoio da Fecomércio- MS.

 

A campanha 

 

Nos dias 5, 6, 7 e 8 de setembro, o Black Friday Fronteira vai abranger as lojas de Pedro Juan Caballero e, nas lojas brasileiras, serão três dias somente: nos dias 5, 6 e 7 de setembro. “São mais de 100 lojas participantes que vão conceder descontos de até 50%”, explica o presidente do Sistema Fecomércio MS, Edison Araújo. “Os organizadores fizeram um amplo estudo para ofertar os melhores preços, inclusive comparando preços de produtos até com plataformas digitais aqui do Brasil para poderem deixar o preço bem competitivo e atraente”.

 

Histórico da Campanha

 

No ano passado a Black Friday Fronteira atraiu mais de 70 mil turistas, de acordo com a organização, lotando 100% os hotéis das fronteiras. Foram 17 mil veículos circulando entre as duas cidades (Ponta Porã e Pedro Juan Caballero) durante os quatro dias de campanha e o comércio das duas cidades receberam o aporte de mais de 27 milhões de dólares no período.