Enem 2019 começa amanhã; saiba como funciona o sistema de correção das provas

Chutar apenas em último caso e só nas questões difíceis e resolver primeiro as questões fáceis das provas. Essas são algumas dicas de especialistas para melhorar o desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O exame começa a ser aplicado neste domingo (3), em mais de 1,7 mil municípios. Cerca de 5,1 milhões de estudantes estão inscritos.

 

Enem
Enem 2019: provas começam a ser aplicadas neste domingo (3) para mais de 5 milhões de estudantes em todo o país – Arte EBC

 

“Chutar ou não chutar é uma questão complexa em se tratando de TRI [teoria de resposta ao item]”, diz o professor de física do curso online Descomplica, Rafael Vilaça. “Se uma questão é fácil, é esperado que aluno saiba fazer. Se ele chuta uma questão fácil, isso é mal interpretado pelo sistema. A meu ver, é mais tranquilo chutar uma questão difícil”, explica.

 

Para ir bem na prova, é preciso conhecer o sistema de correção do exame. No Enem, não há um valor fixo para cada questão. A pontuação varia conforme o percentual de acertos e erros naquele item entre os participantes e, também, de acordo com o desempenho de cada estudante na própria prova. A correção segue chamada teoria de resposta ao item (TRI).

 

“A TRI leva três aspectos em consideração: o conhecimento do candidato; o nível da questão em si, se é fácil, médio ou difícil; e, a aleatoriedade, ou seja, o chute”, diz Vilaça.

 

Candidatos aguardam abertura do portões do UniCEUB em Brasília, para o primeiro dia de provas do Enem 2018
Enem 2019: chegar com antecedência permite ter tempo para verificar com tranquilidade a sala onde fará o exame – Valter Campanato/Agência Brasil

 

Se a questão tiver um grande número de acertos entre os candidatos, ela será considerada fácil e, por essa razão, valerá menos pontos. Por outro lado, o estudante que acertar um item com alto índice de erros, poderá ganhar mais pontos por ele.

 

O sistema de correção permite ainda detectar chutes, pois avalia o comportamento de cada candidato na prova. A TRI pressupõe que um candidato com um certo nível de proficiência tende a acertar os itens de nível de dificuldade menor que o de sua proficiência e errar aqueles com nível de dificuldade maior. É muito comum dois participantes acertarem o mesmo número de itens, mas terem médias finais diferentes no Enem.

 

Na TRI é importante, portanto, que o estudante resolva as questões fáceis, pois, parecerá ao sistema que ele está chutando se acertar apenas questões difíceis. “Se errar as fáceis e acertar as difíceis, a nota é menor”, diz o diretor pedagógico do Curso Anglo, de São Paulo, Renan Miranda.

 

“Se ficou na dúvida, pule a questão e volte depois. Não se desgaste. Tenha um tipo de marcação para as questões que vai pular, mas assinale alternativas em todas as questões. Não deixe nenhuma em branco”, orienta Miranda.

 

Uma dica, segundo ele, é ler com atenção os enunciados da prova. “No tipo de prova do Enem, mesmo não sabendo a resposta, uma boa leitura do enunciado e das alternativas, no mínimo, vai ajudar a eliminar umas duas alternativas, e a chance de acerto será maior. Mesmo o chute, precisa de raciocínio”, afirma.

 

Neste domingo (3), os participantes farão as provas de redação, linguagens e ciências humanas. O Enem continua no próximo domingo (10), quando serão aplicadas as provas de ciências da natureza e matemática. A TRI é usada na correção de todas as provas, com exceção da redação. Ao todo, os estudantes responderão a 45 questões de múltipla escolha em cada uma delas.

 

Atenção!

 

Candidatos chegam para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os portões foram fechados às 13h, horário de Brasília.
Importante chegar com antecedência nos locais de provas para evitar perder o horário de entrada – Wilson Dias/Agência Brasil

 

Os portões abrirão às 12h e fecharão às 13h, no horário de Brasília. A prova começará a ser aplicada às 13h30 e terminará às 19h. O Ministério da Educação (MEC), divulgou a lista dos horários locais do Enem, de acordo com os fusos horários do país.

 

O local de prova de cada candidato está disponível no Cartão de Confirmação da Inscrição, que pode ser acessado na Página do Participante e pelo aplicativo do Enem, que pode ser baixado nas plataformas Apple Store e Google Play.

 

Para fazer o exame, é obrigatório apresentar um documento oficial de identificação, original e com foto. A lista dos documentos aceitos no Enem está disponível na internet. Além disso, é preciso ter uma caneta esferográfica de tinta preta e fabricada em material transparente. Se a prova for respondida com qualquer caneta que não atenda essas especificações, o candidato será eliminado.

 

Aqueles que precisam comprovar que fizeram a prova para justificar falta no trabalho, por exemplo, devem imprimir e levar a Declaração de Comparecimento para ser entregue ao aplicador na sala do exame. Esse documento é personalizado e está disponível também na Página do Participante. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) não fornecerá comprovantes após as provas. Além disso, é aconselhável imprimir e levar o Cartão de Confirmação da Inscrição.

 

Fonte: Agência Brasil

Ministro da Saúde Mandetta manifesta preocupação com a dengue no verão

“Este ano vamos ter um aumento de caso principalmente no Nordeste do país, Bahia. Tivemos a reentrada do sorotipo 2, há dois anos, e no ano passado isso fez um estrago muito grande no estado de São Paulo, na região de Bauru. Depois ela [dengue] reentrou por Goiás, Tocantins – foi um número muito grande de casos, porque o sorotipo 2 há muitos anos não circulava no Brasil, então agora ele volta com força total”, afirmou Mandetta.

 

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ministra palestra de abertura do 5° Fórum FenaSaúde
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta Antonio Cruz/Agência Brasil

 

Apesar disso, o ministro destacou os avanços da pesquisa com a vacina contra a dengue, que poderá ser liberada em 2020. “Estamos na fase final. Quando termina a fase 3, apresentam-se os números, consolida-se e pede-se registro. Acredito que é para um futuro muito próximo. No ano que vem, acho que vamos ter a vacina disponível, acreditando nos números, na ciência, sendo otimistas.”

 

O ministro ressaltou que a vacina poderá ser aplicada em dose única. “Na fase 3, ela [vacina] se revelou com mais de 89% de eficácia para qualquer faixa etária dos 2 aos 60 anos, em dose única. A grande alternativa que o Brasil vai dar para a humanidade é que a vacina possa sair em dose única”, afirmou.

 

Mandetta participou nesta sexta-feira, em São Paulo, da reunião com ministros da Saúde do Mercosul. Os temas discutidos foram cobertura vacinal, banco de leite materno e negociação de compra de medicamentos. Além de Mandetta, participaram representantes da Argentina, do Uruguai e do Paraguai.

 

A reunião foi no Instituto Butantan, responsável pelos imunobiológicos oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), tais como as vacinas contra influenza, hepatite A, HPV, raiva humana (Vero) e dTpa adulto (gestante). Neste ano, o governo federal destinou R$ 1,6 bilhão para aquisição de 81,3 milhões de doses de vacinas do Laboratório Butantan.

 

Sarampo

 

Sobre o surto de sarampo no país no ano passado e neste ano, o ministro disse que trata-se de uma doença que é preocupação em todas as Américas. “Vimos a introdução do sarampo pela Venezuela, depois pelo Porto de Santos, em São Paulo, por turistas europeus no carnaval de 2019, e a vacinação irregular de anos anteriores causa esse surto de sarampo no estado de São Paulo, que é a cidade distribuidora de voos da América do Sul”, explicou.

 

De acordo com Mandetta, a reunião de hoje não foi para tomar nenhuma medida nova quanto à vacinação do sarampo, embora ações já estejam sendo feitas nesse sentido. “Fizemos o lançamento da [pesquisa] Saúde nas Fronteiras em Cuiabá, que é o centro geodésico da América do Sul, depois fizemos a vacinação simbólica, onde estive com o ministro da saúde do Paraguai na cidade de Ponta Porã, do lado brasileiro, e Pedro Juan Caballero, do lado paraguaio. Também tivemos ações na Ponte da Amizade, na Tríplice Aliança, e temos feito campanhas de vacinação nas faixas de fronteira dos dois países [Brasil e Paraguai]”.

 

Para o ministro, o surto de sarampo no país é consequência. “O Brasil vem vacinando mal há mais de 10 anos, o nosso Programa Nacional de Imunizações já foi considerado um programa de excelência, relaxou, desabasteceu várias vezes”, reconheceu.

 

Mandetta lembrou que, durante a campanha de vacinação, praticamente todos os estados bateram a meta, exceto o Rio de Janeiro, o que deve gerar novo surto. “Se o Rio de Janeiro mantiver baixos índices de vacinação, teremos um surto no Rio de Janeiro. A Bahia também não atingiu sequer 80%, o Pará também fez um número baixo de vacinação. O Ceará é o estado que melhor vacina.”

 

O ministro informou que a campanha de vacinação contra o sarampo vai se concentrar agora na população de 20 a 29 anos. “Há 30 anos era recomendada apenas uma dose da vacina, aos 9 meses, mas viram que, com que o tempo passando, essa imunidade é muito baixa. Esse grupo (20 a 29 anos) é o que mais sustenta o sarampo circulando; então, vamos fazer a segunda dose, durante todo o mês de dezembro.”

 

Fonte: Agência Brasil

Jair Bolsonaro afirma que não irá à posse do novo presidente da Argentina

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem (1º) que não vai à posse do novo presidente da Argentina, Alberto Fernández, marcada para 10 de dezembro, em Buenos Aires. Fernández venceu as eleições pela coalizão de esquerda Frente de Todos e sua vice é a senadora Cristina Kirchner, ex-presidente do país. Bolsonaro é crítico do kirchnerismo e apoiou a reeleição do presidente Maurício Macri, derrotado nas urnas no último domingo (27).

 

“Torci pelo outro [por Macri], mas vamos em frente, da minha parte não tem qualquer retaliação. Espero que eles [Fernández e Cristina] continuem fazendo política conosco semelhante ao que o Macri fez até agora”, disse Bolsonaro ao deixar o Palácio da Alvorada, nesta manhã. O presidente não informou, entretanto, se deve indicar alguma autoridade para representar o Brasil, como o vice-presidente Hamilton Mourão ou o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

 

Fernández participou do governo de Néstor Kirchner (marido de Cristina, já falecido), entre 2003 e 2007, como chefe do Gabinete de Ministros, e continuou no primeiro governo de Cristina Kirchner. No ano seguinte, em 2008, Fernández renunciou em meio a uma crise e se tornou crítico do governo de Cristina. No ano passado, houve uma reaproximação entre os dois, e Alberto, então, tornou-se candidato à Presidência, convidado por Cristina para compor a chapa.

 

Fonte: Agência Brasil

Vale recebe autorização para voltar a operar mina em Mariana, Mias Gerais

A Vale poderá voltar a operar a mina de Alegria, no Complexo de Mariana, em Minas Gerais, que foi interditada em março de 2019. A companhia informou ontem (1º) que recebeu o Termo de Desinterdição das operações da mina pela Agência Nacional de Mineração (ANM), suspendendo os efeitos de interrupção na operação feita naquela época.

 

De acordo com a empresa, com a autorização fica liberada a capacidade de cerca 8 de toneladas de ferro por ano (Mtpa) das aproximadamente 50 milhões (Mtpa) que estavam paralisadas, como foi apresentado no Relatório de Desempenho da Vale do 3T19 e possibilitará o retorno parcial das operações a seco na mina de Alegria. “Com a desinterdição, restam paralisadas, aproximadamente, 42 Mtpa de capacidade de produção de minério de ferro”, informou a Vale por meio de nota.

 

Para garantir um retorno seguro da operação, a Vale estimou em 1 Mt o incremento do volume de produção em 2019, sem impacto no total esperado de vendas deste ano. O aumento na produção ocorrerá nos próximos anos. “Para os anos seguintes a produção retornará gradualmente observando-se adicionalmente a estratégia de margem sobre volume”, afirmou.

 

A Vale confirmou, no entanto, seu guidance [o conjunto de estimativas divulgadas pela própria empresa para os resultados futuros] “de vendas de minério de ferro e pelotas de 307-332 milhões de toneladas para 2019, esperando que estas se situem entre o limite inferior e o centro da faixa”.

 

Fonte:Agência Brasil

Em Mato Grosso do Sul, área queimada no Pantanal chega a 122 mil hectares e força-tarefa intensifica combate na região

O Governo do Estado, com o apoio do Exército, Ministério do Desenvolvimento Regional e Corpo de Bombeiros de Mato Grosso e do Distrito Federal, intensifica o combate aos focos de calor no Pantanal, abrangendo uma área retangular dos municípios de Aquidauana, Miranda e Corumbá. A área queimada desde o dia 26/10 e a atingida neste sábado somam 122 mil hectares.

 

O total estimado foi divulgado pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e revela a intensidade do fogo na região, devido a prolongada estiagem e ações humanas, que podem ter causado a maioria dos focos. Técnicos do Imasul (Instituto do Meio Ambiente de MS) e policiais da Polícia Militar Ambiental (PMA) farão um levantamento das áreas afetadas para verificar a origem do fogo, que surgiu em beira de rio e na margem da BR-262.

 

Rio Negro é prioridade

 

O secretário Jaime Verruck, da Semagro (secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), sobrevoará a área queimada na manhã desde sábado, acompanhado do comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Joílson Alves do Amaral. Também visitarão a base avançada da Operação Pantanal 2, instalada na Fazenda BR Pec, a 60 km de Miranda, onde uma extensa área foi queimada.

 

Mapa do Inpe mostra a área queimada no Pantanal, com base em imagem de satélite

 

A situação atual no Pantanal, com o fogo se expandindo com a força do vento e a presença de uma massa de vegetação propensa ao fogo, é priorizar o combate aos focos que ameaçam o Parque Estadual do Rio Negro, para onde se deslocaram de Campo Grande, na manhã desde sábado, 53 brigadistas do Ibama e do ICMbio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). A área foi sobrevoada para definir um plano de ação imediata.

 

Sistema de comunicação

 

Conforme informações da base avançada da operação, em Miranda, o Exército também dará apoio ao combate aos focos no Rio Negro, deslocando para a área uma cozinha de campanha, reservatório de água potável e equipe para instalação de sistema de comunicação, que é uma das dificuldades operacionais no contato entre as ações por terra com as aeronaves. A região terá uma base operacional, que está sendo instalada na Fazenda Barranco Alto.

 

“Estamos atualmente com 91 focos em toda a área monitorada”, informou o coordenado da Coordenadoria de Defesa Civil do Estado, tenente-coronel Fábio Catarinelli, com base em dados de satélites. O comando da Operação Pantanal 2 anunciou para este domingo a chegada do avião Air Tractor do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, que já operou no combate aos incêndios ocorridos na Fazenda Refúgio Caiman, em Miranda, em setembro

Diversificação: Mato Grosso do Sul amplia competitividade do álcool carburante

Com objetivo de aquecer a economia regional e a diversificar a matriz econômica de Mato Grosso do Sul, o governador Reinaldo Azambuja vai ampliar a competitividade do álcool carburante no Estado. Projeto de Lei encaminhado à Assembleia Legislativa (ALMS) nesta quinta-feira (31) prevê a alteração na alíquota de ICMS da gasolina automotiva, que passará de 25% para 30% e a redução na mesma proporção para o álcool, passando de 25% para 20%.

 

De acordo com o secretário de Fazenda, Felipe Mattos, o projeto visa criar um novo mercado de insumos e diversificar a matriz econômica. Atualmente, toda a gasolina consumida pelos veículos automotores do Mato Grosso do Sul é trazida de outros estados.

 

“Além do desenvolvimento regional que o aumento da comercialização do álcool carburante vai proporcionar com a geração de novos postos de trabalho e o aquecimento da economia, está sendo consolidada uma nova matriz econômica no Estado. É imprescindível destacar ainda que a medida atende a apelos ecológicos, haja vista que o álcool é menos poluente à atmosfera”, explica.

 

Contribuição Fundersul

 

Além da alteração de alíquota para a gasolina automotiva, o governo vai alterar algumas contribuições para o Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul (Fundersul). A alteração da carga tributária se dará por meio de redistribuição. O boi, por exemplo, que era contabilizado por cabeça, passará a contribuir por cabeça e era (idade).

 

Além disso, devido a excepcional importância para o desenvolvimento econômico e social do Mato Grosso do Sul, parte dos recursos poderão ser utilizados em colaboração com o Estado para ações de salvaguarda do rebanho e produção agrícola, bem como defesa da sanidade animal e vegetal no Estado.

UFMS: Pesquisa é selecionada para maior congresso mundial de perfomance musical

Selecionada para o Hands-On Research Conference, a pesquisa “Análise de métodos biomecânicos para controle e dinâmica do instrumento bateria” fará parte de um seleto grupo a ser apresentar no maior congresso mundial na área (performance musical), promovido pela Universidade de Aveiro (Portugal), até amanhã (3).

 

 

A pesquisa foi realizada pelo acadêmico do Curso de Música Sandro Moreno,  com orientação do professor do curso William Teixeira. O trabalho é fruto de um projeto PIBIC com bolsa CNPq e teve apoio do Laboratório de Eficiência Energética da FAENG, que cedeu equipamento para a realização de experimentos, em abordagem interdisciplinar.

 

O congresso Hands-On é promovido pelo grupo de pesquisa em performance musical da Universidade de Aveiro, que hoje figura como um dos principais centros de pesquisa da área na Europa e no mundo, segundo o professor William. “Sendo assim, significa a inserção da pesquisa dentro da elite acadêmica, de maneira a fazê-la reconhecida por representantes das principais universidades do mundo que estarão lá presentes”, afirma.

 

Estudos

 

De acordo com os pesquisadores, “o estudo da bateria envolve muitas variáveis, dentre elas a precisão técnica, visando dinâmicas com controle efetivo do volume pelo baterista, o que é algo de extrema complexidade. O músico ao executar dinâmicas com baixa amplitude sonora encontra grande dificuldade em manter sua fluência e confiança musical”.

 

Para determinar o melhor controle e dinâmica da bateria, os músicos utilizaram métodos biomecânicos como a análise física do movimento e mensuração por meio de decibelímetro da energia sonora resultante do movimento. Assim, como método, trouxe uma análise multidisciplinar que explora conceitos e performances musicais baseados nos princípios de Biomecânica, Ergonomia, Mecânica, Ondas e Acústica.

 

“Levando em conta especialmente o baterista, esse método possibilita a performance em baixo volume sem que se perda pressão sonora e fluência musical, permitindo que o instrumento seja inserido em ambientes pequenos e gêneros musicais acústicos”, explica o professor.

 

Analisando os fatores que podem contribuir para essa prática, antes de realizarem a abordagem técnica, os músicos estudaram sobre a massa, densidade e formato das baquetas mais populares do mercado de forma a determinar qual seria a  escolha mais adequada. Quanto as habilidades, foram examinadas as propostas sistemáticas de três educadores e artistas relevantes: George Lawrence Stone (18886-1967), Gladstone (1892-1961) e Sanford A. Moeller (1869-1961).

 

“Como a bateria é um conjunto recente de instrumentos na história da música ocidental, começando a ter sua prática sistematizada entre os séculos 19 e 20, existe um amplo caminho para diferentes abordagens da performance. Esta pesquisa concentrou-se em encontrar o melhor procedimento para desempenho de baixa amplitude usando a empunhadura correspondente como base, tendo como objetivo expor as técnicas manuais e os gestos corporais envolvidos na produção de um som de baixa amplitude durante a prática da bateria”, apontam.

 

Para afirmar um parâmetro de análise, o músico Sandro Moreno irá apresentar no Congresso um vídeo com uma performance ao vivo de uma dupla – violoncelista e baterista – mostrando os resultados da pesquisa em uma consumação musical real.

 

Sandro Moreno é músico profisisional desde 1992. Já foi integrante de diversas bandas e tocou com nomes como Zé Ramalho, Tetê e Jerry Espíndola, Almir Sater, Leila Pinheiro, Zélia Duncan, Alzira E., Mariana Aydar , Felipe Cato, Thiago Iorque, Ney Mato Grosso, Zeca Baleiro, Paulo Moska, entre outros. Foi primeiro colocado no Batuka Music Fest (maior concurso brasileiro de bateria) 2001, entre outros destaques.

 

O professor William Teixeira, Mestre em música pela UNICAMP e Doutor em música pela USP, pesquisa as relações entre a retórica e a música contemporânea a partir do referencial das neorretóricas do século XX. Seu trabalho já foi exposto em eventos nas áreas de música, teologia e análise do discurso em diversos estados do Brasil, além de Portugal, Reino Unido e Estados Unidos. Ao violoncelo, já atuou como solista frente a grupos como Orquestra Sinfônica da Unicamp, Orquestra Sinfônica de Rio Claro, Orquestra de Câmara da USP, USP-Filarmônica, Fukuda Cello Ensemble e Camerata Madeiras Dedilhadas UFMS. Tem desenvolvido trabalho dedicado à interface entre aspectos teóricos e práticos da música contemporânea, tendo estreado dezenas de obras de diversas gerações de compositores brasileiros.

 

De 5 a 7 de novembro, o professor William fará parte da mesa-redonda sobre performance musical no 5º Encontro Internacional de Teoria e Análise Musical, principal evento científico na área de teoria musical no Brasil, a ser realizado na Unicamp.

CNC divulga pesquisa de endividamento e inadimplência dos campo-grandenses

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), apurada pelaConfederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostra que o percentual de famílias endividadas em Campo Grande teve um aumento no mês de outubro com 58,6%% ante 56,7% do mês anterior, e acima do registrado em outubro do ano passado quando foi de 58,1%.

 

Em números absolutos, são 182.067 famílias endividadas, seja com cartões de crédito (68,1%), carnês de lojas (19,2%), financiamento de casa (16 %) e prestações de carro (14,4%).

 

Para a economista do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecompercio-MS (IPF MS), Daniela Dias, um aspecto positivo é que os indicadores de inadimplência e de contas em atraso mantiveram-se praticamente estagnados. “Isso leva a dizer que tudo bem se endividar, desde que consiga pagar, ou seja, que haja um consumo consciente”. Ela lembra que neste segundo semestre, o apelo comercial é mais forte e, por isso, tradicionalmente o consumo também é maior, gerando um crescente endividamento da população. “O importante é que se houver endividamento, há necessidade de que ele não provoque o desequilíbrio orçamentário das famílias”.

 

Entre os que possuem dívidas em atraso, o maior percentual está na faixa que recebem até 10 salários mínimos, 59,4%. Também é essa faixa que acumula o maior índice dos que acreditam não terem condições de pagar as dívidas em atraso no próximo mês, 37,8%. Entre os que responderam ao questionário, 48,9% afirmam que as dívidas estão em atraso há mais de 90 dias.

 

Confira a pesquisa na íntegra:

PEIC OUTUBRO

 

 

Fonte: Fecomércio MS

Procon Estadual volta a autuar CEF e Itaú devido a repetidas irregularidades

Antevendo a ocorrência de problemas de atendimento em agências bancárias de Campo Grande equipe de fiscalização da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor – Procon/MS, órgão integrante da Secretaria de Estado de  Direitos Humanos. Assistência Social e Trabalho – Sedhast realizou diligência em unidades de duas redes na Capital tendo constatado irregularidades que podem ser consideradas recorrentes.

 

As unidades de crédito fiscalizadas no decorrer desta semana foram as agências da Caixa Econômica Federal (na  avenida  Gury Marques) e do Itaú-Unibanco (localizado na avenida  Afonso Pena). Entre os problemas detectados, vale ressaltar a demora excessiva para atendimento cujo tempo considerado razoável é de 15 minutos. No caso da Caixa, em apenas  três  senhas verificadas, foram constatadas esperas de uma hora e 36 minutos, uma hora e dois minutos e, a última, de 30 minutos.

 

Outras irregularidades na mesma agência foram a inexistência do símbolo de  clientes portadores de autismo entre  as prioridades de atendimento, o registro da espera para atendimento em mesas feito à mão e, ainda,  comprovantes de atendimento em papel termossensível, o que também é proibido por Lei, infrações que se repetiram em relação à agência do Banco Itaú.

 

Nesses casos há que se atentar para o detalhe de que a fiscalização se deu fora do período considerado crítico para atendimento bancário que ocorre, geralmente, em época de liberação de pagamento das folhas de funcionários públicos das três esferas (federal, estadual e municipal) ou de vencimento da maioria dos compromissos pagos em boletos, o que denota a falta de preocupação dos responsáveis por tais estabelecimento em se adequar ao que determinam as leis.

 

Em relação  às constatações da equipe do Procon Estadual o superintendente  Marcelo Salomão disse que “temos procurado orientar as instituições. Já realizamos várias reuniões com os principais responsáveis pelas diversas  redes de crédito, principalmente superintendentes locais, além de termos nos reunido com representante da Federação Brasileira de Bancos –Febraban, no sentido de encaminhar soluções. Entretanto, o consumidor não tem tido retorno e, em função de  denúncias, a fiscalização tem agido”.