Mãe diz que sabia que namorado adolescente agredia filho que foi encontrado morto em casa: “Achei que ele ia mudar”

A mãe do menino de 2 anos achado morto em casa diz que sabia que o namorado agredia o filho, mas que não acreditou que ele pudesse matar a criança. O adolescente de 17 anos foi apreendido suspeito do ato infracional. Já a jovem, de 21 anos, foi presa por abandono de incapaz.

 

O menino foi morto na madrugada de domingo (3). Segundo a perícia, a causa da morte foi asfixia, mas ele também tinha sinais de agressão e abuso sexual.

 

 

“Aconteceu sim [agressões], mordidas, duas vezes, aí ele parou. Nesse dia agora [da morte] aconteceu novamente. Pra mim ele tinha mudado, ele falou que não ia fazer mais, acreditei nele e quebrei a cara. Ele me falava que as mordidas não eram pra machucar, mas que era carinho. No fundo não acreditava, mas deixei passar porque esperava que ele ia mudar”, afirmou a mãe da criança.

 

A jovem disse que passou o dia na casa de uma amiga e, de madrugada, recebeu uma ligação do namorado falando que o filho estava passando mal. Quando chegou, o menino estava dentro da ambulância dos bombeiros. Ela disse que está se sentindo “culpada”.

 

“No fundo eu me sinto [culpada], porque eu acreditei, confiei nele. Poderia ter tirado ele de lá, não sei”, comentou.

 

Porém, ela diz que não tem certeza se o namorado realmente matou o menino. “Ele me disse que não fez nada. Eu não sei, sinceramente. Mas todos dizem, o laudo mostra, que ele foi abusado e assassinado”, completou.

 

A mãe do menino disse que os dois estavam juntos há um ano, mas que o relacionamento estava desgastado. Sobre sua prisão, ela diz que é suspeita de um crime não cometeu.

 

Segundo o delegado Hellyton Carvalho, ela vai responder por abandono de incapaz e deve passar por audiência de custódia para saber se continuará presa.

 

“A criança foi agredida dias antes, a Ingrid não fez nada e mesmo assim deixou na companhia do padrasto, passou o fim de semana fora de casa e deixou a criança em poder do padrasto”, afirmou.

 

O delegado explicou ainda que, para a namorada, o adolescente negou o crime, mas, em depoimento formal, ficou em silêncio. Ele foi autuado pelo ato infracional equivalente a homicídio qualificado e estupro de vulnerável.

 

“A versão dele para a namorada é que teria levado a criança pra passear no shopping, se perdeu dele e depois uma senhora o encontrou dizendo que o menino tinha caído e batido a cabeça”, disse.

 

Fonte: G1

Foto: Reprodução/TV Anhanguera

 

Mega-Sena sorteia nesta segunda-feira prêmio acumulado de R$ 40 milhões

Os apostadores têm até as 19h (horário de Brasília), desta segunda-feira (4) para fazer seu jogo no concurso 2.204 da Mega-Sena, cujo prêmio principal está acumulado e vai pagar R$ 40 milhões para quem acertar o sozinho as seis dezenas.

 

O bilhete simples, com seis dezenas marcadas, custa R$ 3,50.

 

O sorteio está sendo realizado excepcionalmente hoje, porque no sábado (2) não houve extração devido ao feriado de Finados.

 

As dezenas serão sorteadas a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário do Tietê, na cidade de Paulo. O sorteio é aberto ao público

 

INSS: publicada regra para beneficiário que vive no exterior comprovar vida

Uma resolução publicada pelo Ministério da Economia no Diário Oficial da União de hoje (4) define as regras para a comprovação de vida a ser apresentada por beneficiários que vivem no exterior, amparados ou não por acordos internacionais.

 

De acordo com a Resolução 707/19, a comprovação de vida deverá ser feita anualmente, independentemente da forma de recebimento do benefício. Sua não realização resultará em bloqueio de crédito, suspensão ou cessação do benefício.

 

A documentação de comprovação de vida deverá ser encaminhada ao INSS – Instituto Nacional do Seguro Social –  diretamente pelo beneficiário, por meio de juntada dos documentos no MEU INSS.

 

Segundo o decreto, o registro no MEU INSS não exime o beneficiário da obrigação de entregar os originais da documentação aos órgãos do INSS.

 

No caso em que haja acordos com o país de residência do beneficiário, a comprovação deve ser encaminhada à agência de acordos internacionais responsável.

 

No caso de residentes em países com quem o Brasil não mantém acordos internacionais de Previdência, a documentação deve ser encaminhada por meio da Coordenação-Geral de Pagamentos e Gestão de Serviços Previdenciários da Diretoria de Benefícios.

 

Fonte: Agência Brasil

Vazamento da prova do Enem “aparentemente” foi em PE, diz ministro

O Ministério da Educação (MEC) trabalha com a possibilidade de que o vazamento de uma imagem da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tenha ocorrido em Pernambuco, segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub. Uma foto da prova foi publicada na internet e circulou nas redes sociais.

 

“Isso aparentemente aconteceu em Pernambuco e a gente já está chegando ao nome da pessoa”, disse o ministro em vídeo publicado no Twitter. Segundo ele, o caso está sendo investigado pela Polícia Federal.

 

Em nota, o Inep confirmou que a imagem é real, mas afirmou que ela foi divulgada após a realização dos procedimentos de segurança, quando os estudantes já estavam todos nas salas de aplicação. Portanto, não haverá prejuízo aos participantes.

 

“Todos os procedimentos de segurança já haviam sido realizados, a prova já havia sido distribuída para todo mundo e alguém titou uma foto e colocou nas redes. Isso não compromete em nada tudo, segue normal”, disse o ministro.

 

Pelas regras do exame, é proibido o uso de aparelhos eletrônicos no local de aplicação do Enem, como celulares. Eles devem ser desligados e colocados dentro do envelope porta-objetos que cada candidato recebe. O uso desses objetos leva à eliminação do candidato.

 

Cerca de 5,1 milhões de candidatos estão inscritos no Enem. Ontem (3), eles fizeram provas de redação, linguagens e ciências humanas. No próximo domingo (10), os participantes fazem provas de matemática e ciências da natureza.

 

Fonte: Agência Brasil

Campeonato pesque-solte em Porto Murtinho festejou fim da temporada e a cota zero em Mato Grosso do Sul

Com direito a captura de jaus de até sete quilos em frente ao porto geral da cidade, o 9ª Campeonato de Pesca Esportiva de Porto Murtinho, realizada neste fim de semana, encerrou a temporada de 2019 da atividade turística e comercial em Mato Grosso do Sul. O período de defeso inicia-se amanhã (5), em todos os rios do Estado, estendendo-se até 28 de fevereiro de 2020.

 

Na modalidade de pesque-solte no Rio Paraguai, o torneio teve por objetivo fomentar a prática da cota zero, que entra em vigor em 1º de janeiro do próximo ano por meio de decreto assinado pelo governador Reinaldo Azambuja em 22 de fevereiro desse ano. “Promovemos uma reflexão sobre os novos rumos da pesca esportiva no Estado”, disse Washington Yarzon, um dos organizadores do evento.

 

Uma grande quantidade de peixes foi fisgada durante o campeonato de Murtinho

 

A última semana de pesca movimentou os principais destinos turísticos – Porto Murtinho, Aquidauana, Miranda e Corumbá, lotando barcos-hotéis, pesqueiros e pousadas. O empresariado do setor está otimista para o próximo ano, apostando em uma maior oferta de peixes nos rios com as medidas preservacionistas adotadas pelo Governo do Estado.

 

“Foi uma ótima temporada, com o dourado reaparecendo nos rios depois da proibição de captura e proporcionando grandes emoções aos pescadores. Nossos clientes estão confirmando reservas para 2020 apoiando integralmente a cota zero”, afirma Joice Santana, dona de uma das maiores estruturas de barcos em Corumbá.

 

Crianças e adolescentes também participaram do torneio, com premiação de celular a bicicletas

 

Argentina é exemplo

 

Para Ricardo Senna, secretário-adjunto da Semagro (secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), a nova lei de pesca promoverá um modelo de turismo sustentável, fomentando toda a cadeia produtiva do setor.

 

“O fomento a pesca esportiva, como medida crucial para repovoamento dos nossos estoques pesqueiros, estimula oportunidades de negócios, inclusive na área de entretenimento, impactando na diversificação da economia regional”, disse o secretário-adjunto.

 

Com pontuação máxima, o jau, ao lado do cachara, foi uma das espécies nobres mais fisgadas

 

“O papel do Estado, agora, além de criar programas de apoio e geração de renda ao pescador profissional e ao ribeirinho, será o de atrair novos investidores para esse nicho de mercado, que está em expansão no Brasil”, antecipou.

 

A cota zero tem o apoio do empresariado de turismo e das entidades ligadas à pesca esportiva do Estado e do País. “Proibir a captura dos peixes do Pantanal, como fez Mato Grosso do Sul, é o modo mais prático e sustentável para repovoar os rios e trazer o turista para o Estado, o exemplo está na Argentina”, afirmou o diretor da Confederação Brasileira de Pesca Esportiva (CBPE) e presidente da Federação Paulista de Pesca Esportiva, Ivan Miraldo.

 

Pesca e contemplação

 

O governo estadual, por meio da Semagro, focará os grandes eventos da pesca esportiva pelo país, como as feiras, para divulgar o potencial pesqueiro do Estado e dialogar com a indústria de equipamentos náuticos e de pesca e vestuário esportivos quanto às oportunidades que se abrem em Mato Grosso do Sul para investimentos.

 

Pescadores se preparam para a largada do torneio em Murtinho, que contou com o apoio da Marinha

 

Esse cenário otimista se baseia, também, na perspectiva de crescimento interno do turismo náutico com o retorno ao Estado dos milhares de brasileiros que hoje preferem pescar na Argentina, onde a adoção da cota zero recuperou o estoque pesqueiro.

 

Segundo levantamento do Sebrae, o número de praticantes do pesque-solte no Brasil cresceu de quatro milhões para oito milhões. Em expansão, a pesca esportiva gera R$ 3 milhões de faturamento anual. O Estado quer atrair novos investidores no setor e gerar mais emprego e renda.

 

“Mato Grosso do Sul é o único destino de pesca que tem uma biodiversidade com a do Pantanal, cuja riqueza ambiental deve ser mais explorada e integrada a esse segmento esportivo, afirmou o secretário-adjunto da Semagro. “Vamos promover o Pantanal como um lugar onde se pesca e se faz safari fotográfico.”

 

Pescador devolve o jau ao rio: campeonato fomentou a prática da cota zero, em vigor em janeiro de 2020

 

Jau garante pontuação

 

Porto Murtinho celebrou o fim de uma era da pesca esportiva em Mato Grosso do Sul realizando a nona edição do campeonato de pesque-solte, que atraiu adeptos da modalidade de várias regiões do Estado. O evento, uma iniciativa de empresários locais, contou com o apoio do Governo do Estado e da Prefeitura de Porto Murtinho.

 

A prova principal, realizada no domingo, em frente ao porto-geral da cidade, comprovou que 2019 foi um ano bom de pescaria, se destacando o repovoamento dos rios pelo dourado. A captura da espécie está proibida desde 2007, em Corumbá, e tomou abrangência estadual com a Lei nº 5321, assinada no início do ano pelo governador Reinaldo Azambuja, que estipula uma moratória de cinco anos.

 

Equipe do Paraguai vencedora do campeonato: dois jaus fisgados e um total de 330 pontos

 

Na competição em Porto Murtinho, que reuniu também pescadores do Paraguai, as emoções ficaram por conta da captura do jau, um dos peixes nobres do Pantanal. A equipe campeã, de nacionalidade paraguaia, fisgou dois exemplares da espécie, somando, ao total, 330 pontos. O jau foi um dos peixes com maior pontuação.

 

O campeonato teve início no sábado, com a prova infantil e juvenil (entre seis e 15 anos), lotando a orla portuária da cidade. A prova principal, embarcada, se estendeu por uma área de 1,2 km do rio e durou quatro horas. A premiação dos três primeiros colocados se deu em ato na Praça de Alimentação, no domingo à noite.

Tema da redação do Enem deste ano causa surpresa aos professores

O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano pegou professores de surpresa. Muitas apostas eram nas áreas da saúde, meio ambiente, educação e tecnologia. O tema escolhido é Democratização do acesso ao cinema no Brasil. A prova é aplicada neste domingo (3) junto com linguagens e ciências humanas.

 

O tema foi divulgado após às 13h30min, no horário de Brasília, quando o exame começou a ser aplicado em todo o país. “Eu achei totalmente inesperado, totalmente fora do que a gente estava imaginando”, disse a professora de redação do Colégio Mopi, no Rio de Janeiro, Tatiana Nunes. “Não estava no rol das grandes apostas que os alunos estavam comentando, e isso pode gerar certa ansiedade, mas acho que é um tema legal e acessível ao jovem, algo do tempo dele”, complementa a professora de redação do curso online Descomplica Carol Achutti.

 

Para o professor de redação do ProEnem, plataforma online de preparação para o exame, Romulo Bolivar, no entanto, o tema não surpreende “quem está se preparando há algum tempo para o Enem, que tem o perfil de cobrar temas atuais, sociais, relacionados à realidade brasileira e que não são moralmente polêmicos”. O tema da redação, segundo o professor, é escolhido no primeiro semestre do ano.

 

“Eu acho que é um tema interessante, é bem interessante pensar essa questão cultural no Brasil, principalmente com as questões recentes que vêm acontecendo. Acho que é um tema que tem bastante coisa a ser discutida”, diz a professora do Colégio Seriös, em Brasília, Jade Nobre.

 

A redação do Enem deve ser do tipo dissertativo-argumentativo, com até 30 linhas, desenvolvida a partir da situação-problema proposta e de subsídios oferecidos pelos textos motivadores. Os textos motivadores ainda não foram divulgados. Redações com menos de sete linhas recebem nota zero, assim como as que reproduzem integralmente trechos dos textos motivadores e de itens do Caderno de Questões.

 

Um texto dissertativo-argumentativo deve ser opinativo e organizado para a defesa de um ponto de vista. A opinião do autor deve estar fundamentada com explicações e argumentos.

 

Na opinião dos professores, dependendo conforme o que for pedido na prova e nos textos de apoio, os estudantes podem tratar, por exemplo da expansão do cinema por canais da internet. Podem também tratar de incentivos à cultura e de fechamentos de salas de cinema.

 

“É bom a gente lembrar que em alguns lugares, em alguns centros urbanos do país, tem-se acesso bem fácil ao cinema, com shopping centers, promoções, acesso mais barato para idosos e estudantes. Mas, em muitas cidades, não há sequer uma sala de cinema”, destaca Bolivar.

 

De acordo com a Agência Nacional do Cinema (Ancine), a Região Sudeste concentra 52% de todas as salas de cinema do país. Ao todo, o Brasil tem 3.347 salas de cinema, das quais 373 são salas de rua. Os dados são do Informe Salas de Exibição 2018, que apontou naquele ano um crescimento de 3,8% do parque exibidor em relação a 2017.

 

Segundo Tatiana, dependendo da orientação da prova, é possível também abordar a questão da acessibilidade a pessoas com deficiência e também o incentivo ao cinema brasileiro. “Se o tema tiver falando de questão da acessibilidade, pode-se pensar na necessidade de empresas que detêm esse tipo de entretenimento darem condições para as pessoas com deficiência terem acesso aos cinemas. Também pode-se pensar na valorização do cinema brasileiro, porque nosso cinema ainda é muito visto como sendo menor [que o estrangeiro].”

 

A aplicação do Enem vai até as 19h, no horário de Brasília. O exame segue no próximo domingo, quando os estudantes fazem provas de matemática e ciências da natureza.

 

Veja os temas da redação de edições anteriores:

Enem 2009: O indivíduo frente à ética nacional

Enem 2010: O trabalho na construção da dignidade humana

Enem 2011:  Viver em rede no século XXI: Os limites entre o público e o privado

Enem 2012: O movimento imigratório para o Brasil no século XXI

Enem 2013:  Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil

Enem 2014: Publicidade infantil em questão no Brasil

Enem 2015: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira

Enem 2016: Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil e Caminhos para combater o racismo no Brasil – Neste ano houve duas aplicações do exame.

Enem 2017: Desafios para formação educacional de surdos no Brasil

Enem 2018: Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet

 

 

Fonte: Agência Brasil

Sem previsão de chuvas no Pantanal, Estado reforça combate às queimadas

As condições climáticas não são favoráveis à redução dos focos de calor esta semana no Pantanal de Mato Grosso do Sul, por falta de chuvas, alta temperatura, baixa umidade e vegetação seca. Diante dessa situação crítica, o Governo do Estado reavaliou as ações de combate às queimadas na região e iniciou, nesta segunda-feira (4), o remanejamento do grupamento e aeronaves que estão combatendo o fogo em quatro municípios.

 

Além dos focos no Pantanal, que avançam para a região do Forte Coimbra, entre Corumbá e Porto Murtinho, e para a borda do Parque Estadual do Rio Negro, no centro do bioma, o Corpo de Bombeiros e o Imasul (Instituto do Meio Ambiente de MS) se mobilizam para uma ação preventiva no Parque Estadual das Várzeas do Ivinhema, no extremo Sul, na bacia do Rio Paraná, onde ocorrem focos em área situada na divisa do Estado com o Paraná.

 

O secretário estadual Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), participou de uma reunião na Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), onde foi discutido um novo planejamento da Operação Pantanal 2, incluindo logística, comunicação e liberação de recursos. Presentes o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Joílson Alves do Amaral, representantes do Imasul, Cedec, Ibama, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar Ambiental (PMA).

 

Sala de Situação: planejamento para a semana inclui remanejamento de tropa e recursos para alimentação e combustível

 

Uma semana crítica

 

“A situação é extremamente preocupante, novos focos surgiram de domingo para cá, e decidimos intensificar os combates por terra e ar, de forma coordenada, onde contamos com o apoio do Exército na parte logística”, informou o secretário. “Fizemos um planejamento para a semana com base nas previsões meteorológicas, sabendo que será uma semana crítica com o ponto de vista dos combates devido à ausência de chuvas e altas temperaturas”, completou.

 

Verruck observou que este período do ano sofre uma das maiores estiagens no Estado, exigindo uma atenção redobrada no monitoramento e combate dos focos de calor, para que não ocorra mais prejuízos da biodiversidade e na economia ou perda de vidas. Citou que o Rio Paraguai apresenta um dos menores níveis dos últimos 20 anos, registrando 1,20m nesta segunda-feira na régua de Ladário. Em 2018, no mesmo período, o rio apresentava 2,60m.

 

 

A força-tarefa de combate aos incêndios conta hoje com 120 homens – 70 do Prevfogo do Ibama e 50 bombeiros -, além de três aviões Air Tractor (dois do ICMbio e um do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso) e três helicópteros (Polícia Militar/MS), Ibama e Polícia Rodoviária Federal). O Corpo de Bombeiros do Distrito Federal reforça a operação com 35 homens, dos quais oito já estão na área de combate, e os demais se integram nesta terça-feira.

 

Pantanal: 92% dos focos

 

Segundo dados de satélite do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), os focos em Mato Grosso do Sul, nesta segunda-feira (4), somam 2.228, dos quais 2.088 (92%) concentrados nos pantanais de Corumbá, Aquidauana, Miranda e Porto Murtinho. O fogo que avançava para a região de Forte Coimbra foi combatido e controlado na Fazenda Piúva. Novas queimadas foram registradas no Passo do Lontra, comunidade situada na Estrada-Parque (MS-184).

 

 

O comandante do Corpo de Bombeiros/MS, coronel Joílson Amaral, disse que o novo planejamento vai permitir um combate mais sincronizado entre brigadistas e aeronaves e uma ação mais rápida em áreas de difícil acesso. Informou que os quartéis da corporação, situados na área crítica, estão de prontidão caso haja necessidade de envio de mais bombeiros aos pontos de calor. “Já deslocamos uma equipe para proteger o Parque de Ivinhema”, adiantou.

 

Presente à reunião na Sala de Situação da Cedec, a meteorologista Franciane Rodrigues, do Centro de Centro de Monitoramento do Tempo e Clima de Mato Grosso do Sul (CEMTEC), fez um relato da situação climática e das previsões para o corrente mês, fundamental para o planejamento da Operação Pantanal 2. Ela adiantou que esta semana não chove no Pantanal, com temperatura elevada. As precipitações ocorrerão a partir do dia 11 – e acima das médias pluviométricas.

Conselho Político da CNM discute em Brasília demandas municipais

O presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Pedro Caravina, participa nesta segunda (4), de reunião do Conselho Político da CNM (Confederação Nacional de Municípios), em Brasília.

 

Na pauta do encontro, a entidade municipalista discutirá demandas prioritárias dos municípios brasileiros, algumas das quais, em tramitação no Congresso Nacional e que devem entrar na pauta de votação em breve, como a PEC Paralela da Reforma da Previdência.

 

Entre outros assuntos, a cúpula da Confederação e os dirigentes regionais vão tratar de temas como Royalties na lei 12.734/2012; Lei das Associações e novo padrão; novo marco do Saneamento; Fundeb, prorrogação e proposta municipalista; novos projetos do governo no “Pacto Federativo”; e Reforma Tributária.

 

O Conselho Político da CNM, do qual fazem parte os presidentes de associações regionais de municípios, também tratará da questão do 1% do FPM (Fundo de Participação dos Municípios); ISS, Licitações; Carreiras municipais; Pisos; Previdência; PEC 48/2019; Precatórios; Limite para retenção do FPM e outros temas de interesse das administrações locais.

Ginasta de MS conquista medalha histórica no Torneio Nacional de Ginástica Rítmica

 Lívia Cristiny Parede Brunel conseguiu um feito histórico para a ginástica rítmica de Mato Grosso do Sul. A atleta, com apoio da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte), foi bronze no individual geral, na categoria infantil, da 24ª edição do Torneio Nacional de Ginástica Rítmica. De acordo com a Associação Sul-Mato-Grossense de Ginástica Rítmica (Assumagir), esta foi a primeira vez que uma ginasta do Estado conquista medalha em uma competição nacional envolvendo clubes de todas as regiões do país.

 

A competição foi realizada no Ginásio Poliesportivo Adib Moyses Dib, em São Bernardo do Campo-SP, de 17 a 20 de outubro. O Torneio no interior paulista reuniu aproximadamente 370 atletas de 76 clubes das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil, que participaram nas disputas individual e conjunto, ambas nas categorias pré-infantil, infantil, juvenil e adulto.

 

Lívia Cristiny Parede Brunel: conquista histórica para a ginástica do MS

Lívia ficou em quarto lugar no aparelho corda e na quinta colocação nas mãos livres, no nível dois da categorial infantil. A condecoração bronzeada veio no individual geral da categoria, com soma das notas nos dois aparelhos. “A Lívia fez sua estreia com o pé direito, fazendo duas coreografias belíssimas. Dedicação, persistência e disciplina, aliadas ao talento nato, a graciosidade e a facilidade em se expressar durante as coreografias fazem parte dos pontos fortes dessa pequena ginasta”, afirma a técnica Ianka Soares Cebalho.

 

Este foi o primeiro ano em que Lívia competiu fora do Estado. Em agosto, a ginasta de 13 anos faturou três medalhas de ouro no Torneio Regional Centro-Oeste de Ginástica Rítmica, em Palmas-TO, outra conquista inédita para a ginástica de Mato Grosso do Sul.

 

“Há anos a Assumagir trabalha com o objetivo de inserir a ginástica rítmica sul-mato-grossense no cenário nacional e este ano isso foi possível. Isso representa a evolução da nossa ginástica e a certeza de que estamos no caminho certo”, pontua Ianka Soares.

 

Para a fundadora e presidente da Assumagir, Maria Justina Gimenez, o bronze em São Bernardo do Campo é um marco e um fator motivacional para alavancar a modalidade em Mato Grosso do Sul. “É a esperança de novas conquistas e de reconhecimento. Mostramos que temos potencial”.

 

A dirigente da Associação frisa que a viagem ao interior de São Paulo só foi possível devido ao apoio da Fundesporte. “Esse apoio colaborou para a realização do sonho de uma pequena ginasta, que trabalha com dedicação para a grandeza do nosso esporte. Iniciativas como as da Fundesporte nos fortalece e nos faz acreditar na responsabilidade social do nosso Estado com as nossas crianças”.

 

Ianka Soares define o apoio da Fundesporte como fundamental. “Foi essencial para que pudéssemos participar do Torneio Nacional de Ginástica Rítmica. Sem a iniciativa da Fundesporte, esse sonho não seria realizado e, por isso, agradecemos a confiança e todo o apoio”.

 

A presidente da Federação de Ginástica de Mato Grosso do Sul (FGMS), Elaine Mitsuko Nagano, evidencia que a ginástica rítmica sul-mato-grossense caminha para o sucesso. Para ela, o próximo passo é ter uma atleta do Estado na seleção brasileira. “Esse é o sonho de todo o pessoal que trabalha com a modalidade em Mato Grosso do Sul e estamos caminhando para isso. A medalha histórica da Lívia é um sinal positivo”.

 

“A Fundesporte tem papel fundamental nestes expressivos resultados, pois ajuda com materiais, custeio de viagens, patrocínio cursos, então é uma parceria muito grande. Talvez sem esse apoio a gente não saberia como continuaríamos a desenvolver o trabalho ou despontar nacionalmente. Tudo o que a gente precisa, a Fundesporte disponibiliza. Então, agradecemos por esse incentivo à modalidade”, finaliza.