Nasa anuncia descoberta de planeta do tamanho da Terra; ele é chamado de “TOI 700 d” e está a 100 anos-luz de distância

A Nasa, agência espacial norte-americana, anunciou nessa segunda-feira (6) a descoberta de um planeta do tamanho da Terra, a orbitar uma estrela a uma distância que torna possível a existência de água, em área identificada como habitável.

 

O planeta é chamado de “TOI 700 d” e está relativamente próximo da Terra, a 100 anos-luz de distância, informou a agência.

 

A descoberta foi feita pelo satélite Tess, “projetado e lançado especificamente para encontrar planetas do tamanho da Terra e a orbitar estrelas próximas”, explicou o diretor da Divisão de Astrofísica da Nasa, Paul Hertz.

 

Outros planetas semelhantes foram descobertos antes, principalmente pelo antigo telescópio espacial Kepler, mas este é o primeiro do Tess, lançado em 2018.

 

O Tess descobriu três planetas a orbitarem a estrela, denominados “TOI 700 b”, “c” e “d”. Somente o “d” está na chamada área habitável. É quase do tamanho da Terra (20% a mais), circula a estrela em 37 dias e recebe o correspondente a 86% da energia fornecida pelo Sol à Terra.

 

Os pesquisadores geraram modelos baseados no tamanho e tipo da estrela, a fim de prever a composição da atmosfera e a temperatura da superfície.

 

Uma das simulações, segundo a Nasa, indica um planeta coberto por oceanos, com “uma atmosfera densa dominada por dióxido de carbono, semelhante à aparência de Marte quando jovem, de acordo com as suposições dos cientistas”.

 

Uma face deste planeta está sempre voltada para a sua estrela, como é o caso da Lua com a Terra, um fenômeno chamado de rotação síncrona. Essa face estaria constantemente coberta de nuvens, de acordo com este modelo.

 

Outra simulação prevê uma versão da Terra sem oceanos, onde os ventos soprariam do lado oculto em direção à face iluminada.

 

Vários astrônomos estão agora oservando o planeta com outros instrumentos, tentando obter novos dados que possam corresponder a um dos modelos previstos pela Nasa.

 

*Emissora pública de televisão de Portugal

Inmetro dá dicas de segurança na compra de material escolar para o novo ano letivo

No ato de compra do material escolar para o novo ano letivo, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) orienta os pais e responsáveis pelos estudantes que procurem o selo de identificação da conformidade nos 25 produtos que estão na listagem de regulamentação do órgão, ligado ao Ministério da Economia.

 

Os pais devem evitar comprar no mercado informal, porque não há garantia de procedência e também para evitar produtos que ofereçam risco à saúde das crianças, como substâncias tóxicas que podem ser levadas à boca, ingeridas ou inaladas, ou causar acidentes por meio de bordas cortantes ou pontas perigosas. Além disso, devem procurar sempre a indicação de faixa etária, adquirindo artigos de acordo com a idade dos filhos.

 

Venda a varejo de material escolar em lojas da 25 de Março, região central.
Venda a varejo de material escolar em lojas da 25 de Março, São Paulo. – Rovena Rosa/Agência Brasil
Reclamações

 

De acordo com a engenheira Millene Cleto da Fonseca, pesquisadora do Inmetro e responsável pela regulamentação de artigos escolares, os pais e responsáveis devem guardar a nota fiscal do produto, porque ela é a comprovação de origem do artigo e poderá ser utilizada para fazer a troca no caso de problemas de segurança ou qualidade. No caso de ocorrência de acidentes de consumo envolvendo algum produto do material escolar, o consumidor deve relatar o fato no Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo (Sinmac), disse ontem (6) Millene à Agência Brasil.

 

Caso o consumidor encontre produtos escolares sem o selo de conformidade em alguma loja, pode denunciar essa ocorrência à ouvidoria do Inmetro pelo telefone gratuito 0800 285 1818, de segunda a sexta-feira, no horário das 9h às 17h, ou no site do Inmetro.

 

Responsabilidades

 

Millene explicou que o fabricante ou importador é o responsável no caso de defeito ou acidente envolvendo o artigo escolar. Aos distribuidores e lojistas cabe verificar se o produto apresenta o selo de identificação da conformidade, antes de disponibilizarem para comercialização um artigo escolar regulamentado pelo Inmetro. Se tiver motivos para crer que um dos 25 artigos escolares regulamentados não está de acordo com os requisitos estabelecidos na certificação, o distribuidor ou lojista deve informar o fato para o fabricante ou importador, bem como o Inmetro e as autoridades de fiscalização do mercado, para que sejam tomadas as providências cabíveis.

 

Os distribuidores e lojistas devem manter ainda em local visível ao consumidor as informações referentes à identificação da conformidade do artigo escolar, mesmo nos casos em que o produto seja vendido em unidades. Caso de lápis, canetas e borrachas, por exemplo.

 

Confira a lista de produtos regulamentados pelo Inmetro:

• Apontador;

• Borracha e Ponteira de borracha;

• Caneta esferográfica/roller/gel;

• Caneta hidrográfica (hidrocor);

• Giz de cera;

• Lápis (preto ou grafite);

• Lápis de cor;

• Lapiseira;

• Marcador de texto;

• Cola (líquida ou sólida);

• Corretor Adesivo;

• Corretor em Tinta;

• Compasso;

• Curva francesa;

• Esquadro;

• Normógrafo;

• Régua;

• Transferidor;

• Estojo;

• Massa de modelar;

• Massa plástica;

• Merendeira/lancheira com ou sem seus acessórios;

• Pasta com aba elástica;

• Tesoura de ponta redonda;

• Tinta (guache, nanquim, pintura a dedo plástica, aquarela).

 

 

Fonte: Agência Brasil

Presidente Jair Bolsonaro reavalia ida a Davos por questões de segurança,

O presidente Jair Bolsonaro está reavaliando sua ida ao Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, evento que ocorrerá entre os dias 21 e 24 deste mês. A viagem, que estava praticamente confirmada, passou a ser dúvida em meio ao aumento da tensão no Oriente Médio depois do ataque das forças armadas dos Estados Unidos, no Iraque, que resultou na morte de um dos militares de alta patente mais importantes do Irã, o general Qassem Soleimani.

 

“O mundo tem seus problemas, questão de segurança. Pode ser, de acordo com o que acontecer [no Oriente Médio] até lá, a gente acompanha, geralmente via GSI [Gabinete de Segurança Institucional], via Abin [Agência Brasileira de Inteligência] e até via Polícia Federal, e outras fontes, o que acontece no mundo”, afirmou a jornalistas após uma reunião no Ministério das Minas e Energia, em Brasília.

 

Já a viagem para a Índia, no mesmo período, está mantida, garantiu Bolsonaro. O presidente brasileiro é convidado especial para as comemorações do Dia da República da Índia, celebrado em 26 de janeiro.

 

Até o momento, o planejamento da viagem prevê saída de Brasília no dia 20 e participação no Fórum Econômico Mundial no dia 22. O presidente participou do evento no ano passado, em sua primeira viagem internacional após assumir o cargo.

 

Ainda segundo a programação informada pelo porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, Bolsonaro seguiria diretamente da Suíça para a Índia, onde permanece de 24 a 28 deste mês.

 

A agenda internacional do presidente prevê também uma viagem, em março, para os Estados Unidos. Bolsonaro irá para Miami, na Flórida, e depois para Dallas, no Texas. Ele deve se reunir com empresários brasileiros que vivem no país e também com políticos conservadores norte-americanos, mas os detalhes da viagem, segundo o porta-voz, ainda estão sendo planejados pelo Ministério das Relações Exteriores.

 

Descanso  

 

Nesta quinta-feira (9), o presidente viaja para o Guarujá (SP) e deve retornar à Brasília na terça-feira (14). A filha caçula do presidente, Laura, deve acompanhá-lo. Segundo o porta-voz da Presidência da República, Bolsonaro pretende “completar seu período de descanso”. Na semana passada, antes do réveillon, ele antecipou o retorno a Brasília após ficar quatro dias na Bahia, onde pretendia passar o feriado de ano-novo descansando na base naval de Aratu, no subúrbio de Salvacdor.

 

Fonte: Agência Brasil

INSS faz ajuste de atualização em seis sistemas após reforma da Previdência

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) está atualizando os seis sistemas de concessão, manutenção e pagamento de benefícios previdenciários (Prisma, Sibe, Sabi, Plenus, Sispagben e SUB), para adequação à Emenda Constitucional nº 103, que modificou o funcionamento da Previdência Social. O texto base da reforma proposta pelo governo foi aprovado em 22 outubro de 2019.

 

Também está em atualização o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), base de dados que guarda as informações de todos os contribuintes da Previdência Social, assim como o simulador de aposentadoria (acessado no Meu INSS).

 

“No momento”, diz nota divulgada pelo INSS, “estão habilitados para operação os sistemas para concessão de salário-maternidade, auxílio-doença, auxílio-reclusão, benefícios de prestação continuada ao idoso e à pessoa com deficiência e a pensão especial destinada a crianças com microcefalia decorrente do Zika Vírus”. Esses benefícios somam mais da metade de toda demanda de segurados recebida diariamente pelo INSS.

 

A autarquia garante que “as adaptações dos sistemas não geram nenhum impacto na rotina de análise dos requerimentos feitos por quem já possuía direito adquirido antes da publicação da emenda, ou seja, a análise dos requerimentos, feitos conforme as regras anteriores, segue normalmente”.

 

Fonte: Agência Brasil

Acidente com ônibus mata 16 no Peru; brasileiros podem estar entre as vítimas

Ao menos 16 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas em um acidente de trânsito ocorrido na madrugada desta segunda-feira (6), na Rodovia Pan-Americana, em Arequipa, no distrito de Yauca, no Peru. Segundo sites jornalísticos peruanos, entre os mortos estão dois brasileiros e dois alemães. O Itamaraty, contudo, não confirmou tal informação..A reportagem não conseguiu contato com a embaixada brasileira no Peru.

 

Três mortos ainda não tiveram a nacionalidade divulgada.

 

Em nota, a Superintendência de Transporte Terrestre de Pessoas, Cargas e Mercadorias (Sutran) informou que um ônibus interestadual da empresa Cruz del Sur, que seguia de Lima a Arequipa, chocou-se com várias vans próximo ao Km 574 da rodovia.

 

De acordo com a Sutran. existem indícios de que o ônibus da Cruz del Sur trafegava acima do limite de velocidade permitida para a via. “Segundo registros do GPS, o veículo ia a uma velocidade de 106 quilômetros horários quando a velocidade máxima permitida neste trecho da rodovia é 90 quilômetros/hora”, disse a jornalistas o gerente-geral da superintendência, Jorge Beltrán, destacando que a ocorrência será investigada.

Advogados da empresa Cruz del Sur, no entanto, já rebateram as declarações de Beltrán, afirmando que o GPS indica que o ônibus trafegava a uma velocidade entre 40 e 80 quilômetros/hora.

 

Ainda de acordo com a Sutran, o ônibus acidentado era novo, tendo sido fabricado em 2018. Todavia, a superintendência ainda não sabe o real estado do veículo e se problemas mecânicos ou de manutenção já conhecidos podem ter causado o acidente, já que o ônibus ainda não tinha passado pela revisão técnica veicular.

 

“Diante do lamentável fato ocorrido hoje em Arequipa, a Sutran ativou seus protocolos de intervenção imediata a fim de resguardar a segurança dos usuários”, informa a superintendência, em nota.

 

Fonte: Agência Brasil

Foto: Reuters/Divulgação

Definidas regras para comercialização de queijos artesanais em todo o país

O Ministério da Agricultura definiu as regras para que produtores possam comercializar queijos artesanais em todo o país, e não apenas na localidade de produção. A normatização detalha o funcionamento do Selo Arte, criado a partir da Lei 13.680 de 2018, que instituiu legislação específica para a caracterização de alimentos de origem animal, e da regulamentação instituída em decreto editado em julho de 2019.

 

O ministério estima que haja no país 170 mil produtores de queijos artesanais.

 

A normatização vale não apenas para o queijo, mas para todos os derivados de leite, como iogurtes, requeijões, nata e produtos similares, chamados tecnicamente de lácteos.

 

Detalhamentos semelhantes serão estipulados para carnes, pescados e produtos derivados de abelhas, como mel.

 

Pelas regras antigas, um produtor precisava de uma autorização de inspeção federal para comercializar fora de seu local de origem, o que valia tanto para produtos industriais quanto artesanais. Pelas novas normas, quem obtiver o Selo Arte gozará dos benefícios da inspeção federal, tendo autorização para comercializar em outras cidades e estados.

 

Segundo o diretor do Departamento de Cadeias Produtivas do Ministério da Agricultura, Orlando Castro, as exigências permanecerão no patamar da permissão de inspeção federal. Mas o Selo poderá ser concedido pelos serviços de inspeção estaduais, agilizando o processo.

 

Para conseguir o selo, o interessado terá de provar que seu produto se enquadra na modalidade artesanal. Apesar de o termo ser adotado cada vez mais, ele presume uma série de procedimentos. Entre as características está o manejo manual e o emprego de padrões criados e reconhecidos como de uma família, grupo ou região, além da não utilização de maquinário.

 

O candidato ao Selo terá que demonstrar também que cumpre com exigências sanitárias, de higiene e de saúde dos animais, a partir dos quais o leite é produzido. A propriedade deve ter certificação de vacinação contra brucelose e tuberculose. As ordenhas precisam ser separadas do local do armazenamento.

 

A estrutura tem parâmetros como as divisões em vidro e pisos em azulejo. “Situação de ordenha tem que ter vistoria sanitária e procedimento de limpeza. Tem que ter qualificação dos trabalhadores. Tem que ter controle de vacina do rebanho. É Tudo que se exige na unidade de fabrico normal. É a questão de boas práticas de manejo e ordenha”, disse Castro.

 

Avanço

 

Na avaliação do diretor administrativo da Associação Brasileira dos Produtores de Leite (Abraleite), Américo da Silva Neto, o Selo Arte foi um avanço muito importante. Mas alerta que muitos produtores não conseguem seguir as exigências postas.

 

“O pequeno produtor, que faz 200, 300 litros por dia, não tem condição de fazer análise de brucelose e tuberculose, não consegue contratar veterinário para estar na propriedade. Não arca com as estruturas físicas para o ambiente adequado. Agora é promover os meios para que as pessoas que produzem possam atender a esses requisitos”, disse Neto.

 

Uma das medidas que poderia ir neste sentido, segundo o diretor da associação, seria a concessão de empréstimos a juros mais baixos. Outra medida seria a qualificação desses fabricantes. “Precisa ter equipamentos para armazenar e transportar o leite. Não adianta ter equipamento se não sabe nem ler a norma”, disse o representante da Abraleite, que atua na fabricação de queijo fresco e curado.

 

O diretor de Cadeias Produtivas do Ministério da Agricultura, Orlando Castro, também aponta a importância de ações de promoção da qualificação do setor. De acordo com ele, além das ações de empresas de assistência técnica, como a Emater, o ministério pretende desenvolver trabalhos nos estados para que gerem iniciativas multiplicadoras.

 

Fonte: Agência Brasil

Produtos vencidos e publicidade enganosa levam Procon Estadual a autuar Lojas Americanas em Campo Grande

Diversas irregularidades encontradas em produtos e preços na unidade das Lojas Americanas  localizada na rua Cândido Mariano que  poderiam resultar em prejuízos para o consumidor, levaram a fiscalização da  Superintendência para Orientação e Defesa do Consumido – Procon/MS, órgão da Secretaria de Estado  de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho -Sedhast, a autuar o referido estabelecimento comercial.

 

Entre os problemas  detectados destaque para presença de produtos como prazo de validade expirado como é o caso de snacks  ( lanches) de arroz,  crispies de  quinona,  amendoim revestido de chocolate ao leite, granola e mini bolos. Todos os itens vencidos foram danificados e descartados der maneira a não terem mais condições de voltarem às prateleiras.

 

A ação dos fiscais flagrou, também, quantidade considerável de produtos nos quais não constavam preços para comercialização. Entre estes, desodorantes, protetor solar, aparelhos de barbear descartáveis, creme dental, sabonetes diversos, escovas de dente, biscoitos, bombons,  salgadinhos de batata, balas de diversos sabores.

 

Além disso, estabelecimento praticava publicidade enganosa, uma vez que mantinha  informações sobre  promoções que, na realidade não eram efetivadas quando o consumidor se dispunha a adquirir o produto. Na gôndola constava que na aquisição de  dois produtos o terceiro era grátis, entretanto ao chegar ao caixa o calculo  do valor unitário multiplicado pela quantidade  demonstrava não haver o desconto. Isso ocorria em relação a creme dental e tabletes de chocolate, principalmente.

 

Fonte: Procon MS

Saúde: Mato Grosso do Sul terá para próximos anos R$ 125 milhões em recursos

Projetos e emendas encaminhadas pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Saúde (SES), garantem aporte de R$ 125 milhões em recursos federais para Mato Grosso do Sul em 2020. “Em 40 anos de existência de nosso Estado, nunca Mato Grosso do Sul teve tantos recursos federais para investimento na área de saúde. Isso é consequência do trabalho da equipe técnica da Secretaria de Estado de Saúde (SES) em conjunto com os técnicos do Ministério da Saúde, bem como da boa interlocução do governador Reinaldo Azambuja junto ao governo federal”, explica o secretário de Saúde, Geraldo Resende.

 

Segundo ele, esses recursos vão garantir melhorias em todas as áreas, desde compra de equipamentos, construções e ampliações de unidades de saúde, oferta maior de consultas, exames, internações e outros serviços. “Essas conquistas se devem também a outros fatores, como as parcerias com os municípios, a atenção especial do ministro Luiz Mandetta para o nosso Estado, o apoio das bancadas federal e estadual”.

 

O dinheiro que o Governo Federal vai repassar para Mato Grosso do Sul, por meio do Ministério da Saúde, está dividido em recursos para equipamentos (somando emendas parlamentares individuais e de bancada, além de recursos de programação do Ministério da Saúde), para custeio da Média e Alta Complexidade (MAC) e para obras.

 

Equipamentos

 

O Governo do Estado já assegurou também recursos para equipar o Hospital Regional de Três Lagoas, que deve ser concluído em março deste ano

 

A compra de equipamentos para diversas unidades hospitalares de Mato Grosso do Sul este ano vai demandar um aporte de R$ 85.159.746,00. Somente para o Hospital Regional de MS, haverá investimentos de R$ 38.602.982,00, que serão utilizados na compra de mais de 1.100 equipamentos, como mamógrafo, aparelhos de Raios-X móvel e digital, eletrocardiógrafo, sistema de hemodinâmica, endoscópio flexível, eletroencefalógrafo, computadores, autoclaves, lavadoras termodesinfectoras, aparelho de anestesia com monitor multiparâmetros, arco cirúrgico, sistemas de videoendoscopia, entre outros.

 

O Hospital Regional de Três Lagoas, cujas obras devem estar concluídas em março, terá um repasse de R$ 34.890.428,00, possibilitando a compra de todos os equipamentos necessários para o funcionamento daquela unidade, desde ressonância nuclear magnética até mobílias hospitalares, num total de mais de 3.600 itens.

 

Também estão programadas aquisições de aparelhos para o Hospital Regional José de Simone Netto, de Ponta Porã (R$ 5.471.397,00); Hospital de Cirurgias da Grande Dourados, com R$ 3.556.173,00, e para o Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN), que terá R$ 541.120,00.

 

O Hemocentro Coordenador também será contemplado com recursos federais

Receberão investimentos ainda a Rede Hemosul MS, no valor de R$ 1.732.990,00. Destes, R$ 1.283.000,00 para o Hemocentro Coordenador em Campo Grande e R$ 449.990,00 para as demais unidades da rede. Para o banco de leite humano haverá um repasse de R$ 79.890,00. Essas conquistas são resultantes de emendas parlamentares individuais, da bancada federal e recursos de programação do Ministério da Saúde.

 

Média e Alta Complexidade

 

A Média e Alta Complexidade em Mato Grosso do Sul vai receber, em investimentos novos, R$ 26.407.797,00 para custeio dos hospitais da SIAS, de Fátima do Sul, com R$ 1,3 milhão; Hospital e Maternidade Nossa Senhora da Glória, de Glória de Dourados, com R$ 200 mil; o Hospital Rachid Saldanha Derzi, de Sonora, com R$ 250 mil. A Secretaria de Estado de Saúde, por sua vez, disporá de R$ 22,7 milhões para investir em outras ações deste setor.

 

Compõem os recursos destinados às ações, além de programas do Ministério da Saúde, emendas de membros atuais e ex-componentes da bancada federal de Mato Grosso do Sul no Congresso Nacional.

 

 Obras

 

A Secretaria de Estado de Saúde ainda conquistou, junto ao Ministério da Saúde, R$ 13.401.850,00 para obras de ampliação no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HRMS), na construção do CRER-MS (Centro de Reabilitação e Readaptação Estadual), valor que somado a um convênio assinado em 2015 (de R$ 8.874.908,25) totaliza R$ 22.276.758,25. O Estado vai investir, em recursos próprios, R$ 10.408.190,00, somando investimentos de R$ 32.684.948,25.

Últimos dias de inscrições para 680 vagas em cursos gratuitos do IFMS; saiba quais

O Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) está com inscrições abertas em dois processos seletivos com 680 vagas em cursos técnicos gratuitos para ingresso no primeiro semestre. A oferta abrange 13 municípios.

 

edital 071/2019 oferece 480 vagas para cursos subsequentes presenciais e a distância nos municípios de Fátima do Sul, Figueirão, Itaporã, Naviraí, Nova Andradina, Pedro Gomes, Ponta Porã, Rio Negro, Sonora e Vicentina.

 

As opções são Administração, Agricultura, Informática para Internet, Manutenção e Suporte em Informática e Zootecnia. Para concorrer a uma vaga, é preciso ter o ensino médio completo. As inscrições vão até 17 de janeiro.

 

Outras 200 vagas em cursos técnicos integrados, oferecidos na modalidade Educação de Jovens e Adultos (Proeja), são ofertadas por meio do edital 072/2019 em Corumbá, Dourados, Naviraí e Três Lagoas.

 

No Proeja, os interessados podem optar pelos cursos técnicos em Administração ou Manutenção e Suporte em Informática. O candidato deve ter 18 anos, no mínimo, e o ensino fundamental completo. As inscrições seguem até 13 de janeiro.

 

Para ambos editais, a inscrição é gratuita e deve ser feita na Página do Candidato da Central de Seleção do IFMS.

 

Ação Afirmativa (cotas)

 

No ato da inscrição, o candidato pode optar por ser beneficiário de Ação Afirmativa (cotas). Podem concorrer como cotistas aqueles que cursaram todo o ensino fundamental (Proeja) ou todo o ensino médio (subsequentes) na rede pública.

 

Metade das vagas ofertadas é reservada aos cotistas. Desse total, há reserva de vagas aos que comprovarem renda familiar per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio, aos que se autodeclararem pretos, pardos ou indígenas, e a pessoas com deficiência.

 

Seleção – Será feita por sorteio eletrônico, no dia 27 de janeiro, em Campo Grande. A previsão é de que o resultado preliminar seja divulgado dia seguinte.

 

A classificação final e a primeira chamada serão divulgadas no dia 31 de janeiro, com matrículas em 3 e 4 de fevereiro.

 

Dúvidas podem ser encaminhadas para o .

 

Vagas 

 

Cursos técnicos integrados (Proeja) presenciais

Município

Curso

Vagas

Duração

Corumbá

Manutenção e Suporte em Informática

40

3 anos

Dourados

Administração

80

3 anos

Naviraí

Manutenção e Suporte em Informática

40

2 anos

Três Lagoas

Administração

40

3 anos

Cursos técnicos subsequentes presenciais

Naviraí

Agricultura

40

1 ano e meio

Informática para Internet

40

1 ano e meio

Nova Andradina

Zootecnia

40

1 ano e meio

Ponta Porã

Agricultura

40

2 anos

Cursos técnicos subsequentes a distância (EAD)

Itaporã

Administração

40

2 anos

Fátima do Sul

Administração

40

2 anos

Vicentina

Administração

40

2 anos

Sonora

Administração

40

2 anos

Manutenção e Suporte em Informática

40

2 anos

Rio Negro

Administração

40

2 anos

Figueirão

Administração

40

2 anos

Pedro Gomes

Manutenção e Suporte em Informática

40

2 anos