Trump pede a líderes que não matem manifestantes: “O mundo está olhando. E, mais importante, os EUA estão olhando”

O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, pediu hoje (12) às autoridades de Teerã que não matem os manifestantes que participam dos protestos por causa do abate de um avião ucraniano.

 

“Aos líderes do Irã — não matem os VOSSOS MANIFESTANTES”, escreveu Trump na rede social Twitter, recorrendo a letras maiúsculas para acentuar o conteúdo da mensagem.

 

“O mundo está olhando. E, mais importante, os Estados Unidos estão olhando”, acrescentou o governante, reiterando o teor de outra mensagem, divulgada no sábado (11), na qual alertou o regime de que “não poderia acontecer outro massacre de manifestantes pacíficos”.

 

Donald Trump referia-se às manifestações contra o aumento do preço da gasolina, ocorridas em meados de novembro no Irã e que foram fortemente reprimidas pelas autoridades do país.

 

Mais de 300 pessoas morreram durante os protestos de novembro, segundo denunciou a Anistia Internacional.

 

Ontem, as agências internacionais relataram que centenas de iranianos estavam se manfestando em Teerã, gritando palavras de ordem contra o sistema e a Guarda Revolucionária do Irã por causa do abate do avião ucraniano, um Boeing 737 da companhia Ukraine International Airlines (UIA).

 

Todas as 176 pessoas, incluindo 82 iranianos, que seguiam a bordo do aparelho morreram no acidente.

 

Os manifestantes concentraram-se inicialmente na porta da Universidade de Tecnologia Amir Kabir, em Teerã, para acender velas em homenagem às vítimas, mas a vigília acabou em um protesto contra as autoridades iranianas.

 

A manifestação foi marcada também pela detenção, durante curto período, do embaixador britânico no Irã, Rob Macaire, por suposta participação nos protestos. Ele negou ter participado da manifestação contra as autoridades.

 

O protesto aconteceu após o Irã ter admitido responsabilidade na queda do avião da companhia ucraniana.

 

Teerã admitiu que o avião foi abatido inadvertidamente por militares iranianos, que o confundiram com um míssil de cruzeiro devido ao estado de alerta decretado por causa da recente escalada de tensão entre Washington e Teerã.

 

A declaração de Teerã foi dada depois de informações de alguns países, especialmente dos Estados Unidos e do Canadá, de que o aparelho poderia ter sido abatido, inadvertidamente, pelo sistema de defesa antiaéreo iraniano.

 

Fonte: Agência Brasil

*Emissora pública de televisão de Portugal

Saiba mais

Pesquisa na internet: veja o que esteve em alta no Google no mundo em 2019

As notícias mais pesquisadas no mundo no principal buscador em 2019 reuniram desde esportes como a Copa América (primeiro lugar), a igreja francesa de Notre Dame, em segundo lugar, que ficou em evidência após incêndio no começo do ano, e a Copa do Mundo de Cricket, esporte muito comum na Índia, país com mais de 1 bilhão de habitantes.

 

O Furacão Dorian, que atingiu as Bahamas em setembro e seguiu para os Estados Unidos, ficou em quarto lugar nas buscas de notícias disponibilizada pelo Google Trends, a ferramenta do buscador que indica o que tem sido mais pesquisado pelos usuários de acordo com a localização em um determinado período. Em quinto lugar o destaque foi a Copa do Mundo de Rugby.

 

Dentre os assuntos mais procurados apareceram, em primeiro lugar, Índia X África do Sul, seguida do ator americano Cameron Boyce (que morreu em julho de 2019) , Copa América, Bangladesh X Índia e o celular iPhone 11. Todas as principais buscas realizadas em 2019 podem ser conferidas no link.

 

Fonte: Agência Brasil

Iranianos saem às ruas de Teerã para protestar contra governo do Irã

Milhares de pessoas saíram às ruas de Teerã, ontem (11), para protestar contra o governo iraniano. A manifestação foi causada pela indignação com o fato de militares iranianos terem derrubado, por engano, na última quarta-feira (8), um Boeing 737 da companhia Ukraine Airlines que transportava 176 pessoas de várias nacionalidades. Mais cedo, o presidente Hassan Rouhani admitiu publicamente a responsabilidade iraniana, afirmando que o avião foi derrubado “por acidente”, ao ser confundido com um míssil.

 

Entre os passageiros e tripulantes do avião havia dezenas de iranianos. Segundo a emissora pública de TV do Japão NHK, os manifestantes ficaram furiosos com o que eles chamaram de tentativa do governo de encobrir o fato de que vários mortos eram cidadãos iranianos. Eles criticaram o líder supremo do país, o aiatolá Ali Khamenei, gritando “Morte ao ditador”.

 

Mais cedo, logo após Hassan Rouhani admitir que o Irã abateu o avião, Khamenei divulgou uma nota em que atribui o incidente a um “erro humano” o “trágico acidente”.

 

Os manifestantes disseram que o governo provavelmente sabia desde o início o que realmente aconteceu, mas que mentiram sobre os fatos.

 

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, usou sua conta no Twitter para comentar a situação no Irã. “Ao corajoso e sofredor povo do Irã: estou ao seu lado desde o início do meu mandato e meu governo continuará ao seu lado. Estamos acompanhando de perto seus protestos e somos inspirados por sua coragem”, escreveu Trump em um primeiro tuíte. “O governo iraniano deve permitir que grupos de direitos humanos monitorem e denunciem fatos sobre os protestos em andamento. Não pode haver outro massacre de manifestantes pacíficos, nem um desligamento da internet. O mundo está assistindo”, acrescentou o mandatário norte-americano.

 

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, também usou as redes sociais para comentar os protestos. “A voz do povo iraniano é clara. Eles estão fartos das mentiras, da corrupção, da inaptidão e da brutalidade do regime do IRGC [Guarda Revolucionária Iraniana] sob a cleptocracia de Ali Khamenei. Estamos do lado do povo iraniano que merece um futuro melhor”, escreveu Pompeo em uma postagem acompanhada por um vídeo com supostas imagens dos protestos nas ruas de Teerã.

 

Fonte: Agência Brasil

Foto: Agência Brasil/Reuters/Divulgação

* Com informações da NHK – Emissora pública de televisão do Japão

 

Continue reading “Iranianos saem às ruas de Teerã para protestar contra governo do Irã”

Setores de TI e internet dominam ranking sobre mercado de trabalho, segundo estimativa da rede social profissional LinkedIn

As profissões ligadas ao setor de tecnologia da informação e internet devem predominar no mercado de trabalho em 2020. A estimativa é da rede social profissional LinkedIn. O levantamento “Profissões Emergentes” aponta que o gestor de redes sociais ocupa a primeira posição do ranking, seguido pelo engenheiro de cibersegurança e o representante de vendas.

 

ranking é realizado a partir de informações do LinkedIn e destaca as profissões que têm se destacado. O levantamento mostra 15 profissões que devem liderar o mercado de trabalho. Destas, 13 estão associadas ao setor de tecnologia da informação ou à internet.

 

Esta é a primeira vez que a lista é segmentada por país. Além do levantamento no Brasil, a pesquisa aponta as habilidades mais requisitadas e os setores que mais contratam cada uma delas. A lista completa e o detalhamento das profissões podem ser acessadas no LinkedIn.

 

“O mercado de trabalho, assim como outras esferas da vida na era da digitalização, vive uma dinâmica acelerada de transformações, às quais, muitas vezes, parecemos não ter tempo disponível para nos adaptar. Escolher o melhor caminho para nos prepararmos às novas demandas da nossa profissão ou, mais ainda, de uma outra carreira para a qual queiramos migrar é cada dia mais desafiador”, afirmou o diretor-geral do LinkedIn para a América Latina, Milton Beck.

 

Profissões

 

Segundo o levantamento, o gestor de mídias sociais aparece como o profissional com demanda mais aquecida no mercado: a procura por ele cresceu anualmente no Brasil em média 122% entre 2015 e 2019. Os profissionais da área são responsáveis pela imagem, pelo relacionamento e engajamento e pela prospecção de uma empresa nos canais digitais.

 

O engenheiro de cibersegurança é o segundo profissionais mais buscado no mercado de trabalho e apresenta um crescimento anual de 115%. O aumento na demanda pela profissão é reflexo da conectividade atual, onde qualquer dispositivo ligado à internet é vulnerável a ataques cibernéticos e, dessa forma, a segurança de dados na rede se tornou central para as empresas.

 

A pesquisa também mostra o aumento no uso de aplicativos para transporte privado de passageiros e entregas em domicílio e de logística. Esse comportamento coloca a profissão de motorista entre as 15 em ascensão no próximo ano. A demanda anual por essa função aumentou uma média de 68% nos últimos cinco anos. Além de estar habilitado para dirigir, o profissional procurado precisa saber técnicas de negociação e atendimento ao cliente.

 

O mercado financeiro também é destaque no ranking. Seis das profissões em alta são fortemente procuradas por empresas do ramo financeiro, como mercado de capitais, investidoras, bancos e serviços afins. Entre os destaques está o consultor de investimento, que orienta os clientes na tomada de decisão de como aplicar os recursos deles, de acordo com as expectativas e necessidades de cada pessoa. Este profissional precisa dominar as carteiras para direcionar as melhores estratégias àquele perfil. A carreira tem crescimento anual de 61%.

 

Confira a lista das 15 profissões emergentes no Brasil em 2020, segundo LinkedIn:

1. Gestor(a) de mídias sociais

2. Engenheiro(a) de cibersegurança

3. Representante de vendas

4. Especialista em sucesso do cliente

5. Cientista de dados

6. Engenheiro(a) de dados

7. Especialista em Inteligência Artificial

8. Programador(a) de JavaScript

9. Investidor(a) Day Trader

10. Motorista

11. Consultor(a) de investimentos

12. Assistente de mídias sociais

13. Desenvolvedor(a) de plataforma Salesforce

14. Recrutador(a) especialista em Tecnologia da Informação

15. Coach de metodologia Agile

Massoterapeuta Paty Bumbum é condenada a sete anos de prisão

Patrícia Silva dos Santos, conhecida como Paty Bumbum, e a sua sócia, Valéria dos Santos Reis, foram condenadas a sete anos de pena, que serão inicialmente cumpridas em regime semiaberto.

 

Patrícia era suspeita de realizar procedimentos estéticos irregulares na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ela não era formada em medicina e, de acordo com a sentença, aplicava silicone industrial em algumas pacientes.

 

Pelo crime de lesão corporal gravíssima, que deixou enfermidade permanente, elas foram condenadas a cinco anos de reclusão. Pelo crime de exercício de profissão sem autorização legal, elas foram condenadas a dois anos de detenção. A decisão é do dia 19 de dezembro do ano passado.

 

Josman Francisco da Silva, que foi apontado como ajudante das duas, foi absolvido.

 

“Ocorre que, quando da realização do procedimento, era, de fato, injetado no corpo das pacientes silicone industrial, produto este que, por suas propriedades, não é destinado a tal finalidade, sendo nocivo à saúde e causando alteração permanente no corpo das vítimas, eis que não é absorvível como o hidrogel”, afirma o texto da sentença.

 

Ela também é suspeita de envolvimento na morte de Mayara da Silva dos Santos, de 24 anos, após passar por procedimentos nos glúteos, coxas e abdômen.

 

Na casa onde realizava os procedimentos, policiais da Delegacia do Consumidor (Decon) e funcionários da Anvisa encontraram seringas, silicone industrial e equipamentos médicos.

 

Fonte: G1

Fundação Jardim Zoológico de Brasília recebe maior espécie de cobra do mundo

A Fundação Jardim Zoológico de Brasília anunciou que a espécie de cobra do mundo – Eunectes murinus, conhecida como sucuri-verde – passa a fazer parte do serpentário da capital a partir de segunda-feira (13). A serpente atinge em média seis metros de comprimento e pode pesar 100 kg.

 

A cobra é uma fêmea filhote e deve crescer no Zoológico. Atualmente, ela tem seis meses de idade e mede cerca de 90 cm, de acordo com a Fundação.

 

A sucuri deu entrada no Zoológico em agosto, após um resgate feito pelo Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). A administração do parque não confirmou ao G1 em qual região a serpente foi encontrada.

 

 

Ainda de acordo com a Fundação, é comum encontrar a espécie em áreas alagadas com incidência de alta vegetação e elas se alimentam de todos os grandes grupos de vertebrados.

 

Enquete para o nome

 

A escolha do nome da serpente foi feita por enquete nas redes sociais. O público escolheu o nome Nagini, por meio do perfil da Fundação Zoológico do Instagram.

 

Veja como foi a votação:

  1. Nagini: 521
  2. Oliva: 208
  3. Sogra: 183
  4. Caipora: 148
  5. Eva: 140
  6. Ekns: 95

Total: 1295 votos

 

O serpentário do Zoológico de Brasília está aberto para visitação de terça a domingo e feriados, de 8h30 às 17h.

 

Fonte: G1

HU Maria Aparecida Pedrossian participa de projeto do Ministério da Saúde

O Projeto Lean nas Emergências, que tem como objetivo reduzir a superlotação dos serviços de urgência e emergência do SUS, chega ao 4º ciclo e o Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HU), em Campo Grande, esá incluído, juntamente com outros 39 de 17 estados.

 

A partir de fevereiro essas unidades de saúde começam a receber as visitas das equipes do Hospital Sírio-Libanês, parceiro do Ministério da Saúde no Lean nas Emergências.

 


Veja a lista dos 40 hospitais selecionados para o 4º Ciclo
MUNICÍPIO UF UNIDADE
Rio Branco AC Hospital Geral das Clínicas de Rio Branco
Manaus AM Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto
Manaus AM Hospital e Pronto Socorro Dr. João Lúcio Pereira Machado
Manaus AM Hospital e Pronto Socorro Dr. Aristóteles Platão Bezerra de Araújo
Salvador BA Hospital Eládio Lasserre
Fortaleza CE Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes
Fortaleza CE Hospital Infantil Albert Sabin
Vila Velha ES HIMABA – Hospital Infantil e Maternidade Alzir Bernardino Alves
Goiânia GO Hospital de Urgências de Goiânia – HUGO
Anápolis GO Hospital de Urgências Dr. Henrique Santillo
São Luis MA Hospital Municipal Dr. Odorico Amaral de Matos – Hospital da Criança
São Luis MA Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão
Belo Horizonte MG Hospital João XXIIII
Belo Horizonte MG Hospital Risoleta Tolentino Neves
Contagem MG Hospital Municipal de Contagem
Juiz de Fora MG Hospital de Pronto Socorro Dr. Mozart Geraldo Teixeira – HPS
Campo Grande MS Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian
Marabá PA Hospital Municipal de Marabá
Belém PA Hospital Pronto Socorro Municipal Mario Pinotti
João Pessoa PB Complexo Hospitalar de Mangabeira Tarcísio de Miranda Burity
João Pessoa PB Hospital da Polícia Militar General Edson Ramalho
Teresina PI Hospital Getúlio Vargas
Londrina PR Hospital Evangélico de Londrina
Campina Grande do Sul PR Hospital Angelina Caron
Porto Velho RO Hospital Estadual de Pronto Socorro João Paulo II
Porto Velho RO Hospital Infantil Cosme e Damião de Porto Velho
São Leopoldo RS Fundação Hospital Centenário de São Leopoldo
Porto Alegre RS Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre – HPS
Santa Maria RS Hospital Universitário de Santa Maria
Passo Fundo RS Hospital São Vicente de Paulo
Florianópolis SC Hospital Infantil Joana de Gusmão
Florianópolis SC Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago da Universidade Federal de Santa Catarina
Aracaju SE Hospital Governador João Alves Filho
Cotia SP Hospital Regional de Cotia
Campinas SP Hospital de Clínicas da UNICAMP
Indaiatuba SP Hospital Augusto de Oliveira Camargo
São Paulo SP Hospital Municipal Dr. Carmino Caricchio
São Paulo SP Hospital Municipal Dr. Arthur Ribeiro de Saboya
Itapecerica da Serra SP Hospital Geral de Itapecerica da Serra
Cantaduva SP Hospital Padre Albino

 

Nos últimos seis meses, mais 20 hospitais do SUS participaram do 3º ciclo do Projeto Lean nas Emergências. As unidades apresentaram um resultado médio de redução de 43% do indicador de superlotação, 39% no tempo para chegada em um leito de internação hospitalar e 37% na redução do tempo de passagem pela urgência até a alta. Isso significa, que o paciente que busca atendimento nessas emergências fica em média quase 12 horas a menos no pronto-socorro, considerando o período desde a entrada na unidade.

 

Para o secretário de Atenção Especializada à Saúde do Ministério da Saúde, Francisco de Assis Figueiredo, o Projeto Lean nas Emergências veio para atender uma grande demanda, que é diminuir a superlotação nas portas de entrada dos serviços de saúde de Urgência e Emergência do SUS, por meio da melhoria da capacidade operacional, da organização dos fluxos e processos de trabalho e principalmente do envolvimento da equipe com a gestão do hospital. “Com certeza todas essas ações trazem um atendimento mais resolutivo e com qualidade para os pacientes que utilizam os serviços do SUS”, explica o Secretário.

 

A iniciativa é uma parceria do Ministério da Saúde com o Hospital Sírio Libanês e faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS) para o triênio de 2018 a 2020. Outros 57 hospitais já passaram pelo processo de intervenção.

 

Mato Grosso d Sul também no 3º Círculo

 

Entre os hospitais que se destacaram nessa etapa estão o Hospital Regional do Cariri, no Ceará, e o Hospital Municipal Dr. José de Carvalho Florence, em São Paulo. A unidade cearense apresentou melhora de 66% na superlotação e diminuiu o tempo de espera para cirurgia na ortopedia para 24h.

 

Já o hospital paulista teve 65% de melhora na superlotação e aumentou o giro de leitos com redução do tempo médio de permanência do paciente internado em 14%. Na prática os hospitais diminuíram consideravelmente a superlotação e com a organização dos fluxos e o menor tempo de permanência do paciente ter outros resultados positivos na oferta dos serviços prestados pelas unidades de saúde.

 

foto

**Antes (Jul/2019) e depois (Nov/2019) do Hospital Regional do Cariri

 


Veja a lista dos 20 hospitais que participam do 3º ciclo do projeto
Cidade Estado Nome do Hospital
Fortaleza CE Hospital Geral de Fortaleza
Juazeiro do Norte CE Hospital Regional do Cariri
Brasília DF Hospital Regional de Ceilândia
Goiânia GO Hospital Materno Infantil
São Luiz MA Hospital Municipal Djalma Marques – Socorrão 1
Belo Horizonte MG Hospital Júlia Kubitschek
Belo Horizonte MG Hospital Infantil João Paulo II

Campo Grande

MS

Hospital Regional Rosa Pedrossian

    João Pessoa PB Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena
Campina Grande PB Hospital Regional de Emerg. e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes
Petrolina PE Hospital Universitário de Petrolina
Recife PE Hospital da Restauração
Curitiba PR Hospital Universitário Cajuru
Curitiba PR Hospital Universitário Evangélico Mackenzie
Florianópolis SC Hospital Governador Celso Ramos
Joinville SC Hospital Regional Hans Dieter Schimidt
    Jundiaí SP Hospital São Vicente de Paulo
São Jose dos Campos SP Hospital Municipal Dr. José de Carvalho Florence
São Paulo SP Hospital Municipal Tide Setubal
São Paulo SP Hospital Municipal Prof. Dr. Alípio Corrêa Neto – Ermelino Matarazzo

 

A fase de intervenção dura em média seis meses. Após o término desse período, a equipe de controle do projeto acompanha os resultados por mais 12 meses para garantir a manutenção a longo prazo das melhorias introduzidas nas unidades.  Ao final desse ano, fim do triênio, a meta é chegar a 100 serviços de emergência com intervenção e até 200 hospitais participando da Comunidade.

 

 

Saiba mais sobre o Projeto Lean nas Emergências

Procon MS autua curso profissionalizante que praticava publicidade enganosa

Diante de prejuízos comprovados por consumidores por meio de  reclamação apresentada à Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor – Procon/MS, órgão integrante da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho – Sedhast,  equipe  de fiscalização do Procon Estadual realizou diligência na sede da empresa Comércio de Livros  e Cursos Ltda, que detém o nome de fantasia Cedaspy, onde  confirmou as  irregularidades relatadas.

 

Reincidente, uma vez que foi alvo de  autuação  há menos de um ano (fevereiro de 2 019), infração pela qual foi multada em  300 Uferms, o que equivale, hoje, a R$ 8.796,00. Mesmo assim a empresa não se mobilizou no sentido de evitar práticas abusivas, e permaneceu gerando despesas ao consumidor vulnerável, uma vez que está em busca de oportunidades de trabalho. A Cedaspy oferecia cursos que, na propaganda, seriam gratuitos mas que ao serem estimulados por ligações de telemarketing, as pessoas encontravam realidade completamente diferente,  sendo obrigadas a pagar taxa de matrícula e parcelas mensais.

 

Durante a diligência pessoa responsável pela empresa apresentou um script (roteiro padrão) utilizado pelas operadoras de telemarketing e, ao ser constatada a gravidade do conteúdo, se negou a entregar um exemplar à fiscalização. Segundo integrantes da equipe,  a afirmação foi que ninguém o faria entregar e, diante disso, foi solicitada presença de integrante da Delegacia do Consumidor (Decon/MS) e, só aí, o documento foi entregue possibilitando a continuidade dos trabalhos de fiscalização. Durante a ação os fiscais foram abordados por pessoas responsáveis pelos alunos que relataram a maneira com que eram abordadas e o processo de pressão sofrido durante entrevista.

 

A empresa utiliza como slogan a frase “Nosso objetivo é fazer com que você conquiste uma vaga de trabalho de maneira rápida e fácil”, entretanto o que ocorre na realidade é completamente diferente do que tenta fazer entender na sua publicidade. Não há perspectiva de vagas e os cursos, todos pagos com valores pouco acessíveis,  são essencialmente ligados à conhecimentos de informática.

 

De acordo com denúncias de consumidores, na tentativa de  convencer as pessoas a  se inscreverem nos “cursos profissionalizantes” os responsáveis pela “organização de ensino com futuro profissional”, como se auto intitulam, promovem ameaças e coação quando a pessoa se recusa  a aceitar suas ofertas. Ao atender ligação telefônica, uma mãe afirma que ficou sabendo que seu filho, de 17 anos, teria sido “sorteado” com uma bolsa para frequentar curso e, ao verificar que não era verdade a oferta, recebeu a ameaça de que o filho seria bloqueado para qualquer vaga de emprego até que completasse 21 anos.

 

Pesquisa, mesmo que superficial, por meio do Google, dá noção exata de que não se trata de empresa confiável. Há reclamações em todos os municípios onde existe uma unidade do pseudo curso profissionalizante. Apesar disso, no seu perfil consta que um dos principais objetivos é  “ser reconhecida como a empresa mais tradicional do setor, e aquela com maior sensibilidade às reais necessidades das famílias brasileiras, atuando em todas as cinco regiões do Brasil, nas principais cidades do território nacional. A mesma publicação demonstra que o que chamam de  “centro de excelência em capacitação profissional” conta com mais de 45 unidades em todo o Brasil.  E afirma que são milhares de  jovens recebendo orientação e qualificação” para garantir um futuro melhor.

 

Fonte: Procon MS

Prefeitura de Bataguassu vai divulgar potencialidades econômicas do município

Durante a 10ª Feicc-MS (Feira de Calçados, Couros e Acessórios de Mato Grosso do Sul), que será realizada no Centro de Convenções e Exposições Albano Franco, em Campo Grande (MS), de 26 a 28 de janeiro, a Prefeitura de Bataguassu vai aproveitar para divulgar as potencialidades econômicas do município e os benefícios que são oferecidos pela administração municipal para a instalação de novos empreendimentos industriais. Conforme o prefeito de Bataguassu e atual presidente da Assomasul (Associação dos Municípios do Mato Grosso do Sul), Pedro Arlei Caravina, a Prefeitura participará da Feira, que é um evento voltado exclusivamente para os lojistas de calçados, couros e de acessórios do Estado, para “vender” o município aos possíveis empreendedores do segmento da indústria calçadista.

 

 

“Na minha administração, foi criado o Programa de Desenvolvimento de Bataguassu, que, na busca pela geração de emprego e renda, oferece aos empresários que pretendem se instalar na cidade desde a doação de áreas para a construção da indústria e apoio na terraplanagem até a redução do ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) da construção, que pode chegar a até 2%, e isenção do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) do prédio construído por um período de 10 anos”, informou Pedro Caravina.

 

Ele acrescenta ainda que, além desses benefícios, o Governo do Estado também oferece redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e Mato Grosso do Sul dispõe de linhas de crédito do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste), que podem ser utilizadas para a implantação da indústria e para a compra de equipamentos. “Esse conjunto de benefícios da Prefeitura e do Governo do Estado contribui para a atração de empresas com o objetivo de gerar emprego e renda. Já temos várias empresas instaladas no município que se beneficiaram disso, como a Regina Festas, o Marfrig, a Refricom e a Regional Telhas”, enumerou.

 

O chefe da Divisão da Indústria, Comércio e Serviços da Prefeitura de Bataguassu, Rafael de Souza Muchon, acrescenta que o polo empresarial do município tem uma área destinada exclusivamente para a instalação de indústrias com mais de 330 mil m², incluindo rede de energia elétrica e de água tratada, bem como terrenos já demarcados. “Além disso, temos a possibilidade de expansão para uma área ao lado, que seria uma segunda etapa da industrialização do município, que tem mais de 96 mil m². Ou seja, temos mais de 400 mil m² de área para a instalação de indústrias”, ressaltou.

 

Ele destaca que no polo empresarial já há indústrias de vários segmentos, desde a metalurgia, construção civil até as de proteína animal e artigos para festas. “O grande objetivo do prefeito é promover a transformação da matriz produtiva, trazer as indústrias para Bataguassu, deixar de ser apenas produtor de proteína animal, mas também industrializar outros produtos para comercializar dentro do Estado e para outros locais do Brasil. Além disso, não podemos deixar de citar o posicionamento logístico que Bataguassu dispõe frente a outras cidades, pois fazemos divisa com o Estado de São Paulo e estamos a 170 quilômetros da divisa com o Paraná”, importantes regiões de consumo nacional, informou.

 

Rafael de Souza Muchon também relata que, a partir deste ano, a Prefeitura e o Senai vão atuar em conjunto para a qualificação de mão de obra. “Ainda neste ano de 2020 teremos uma unidade do Senai, que receberá investimento de R$ 2 milhões para a construção. Porém, já estamos ofertando cursos de qualificação profissional para a Global Fantasias, que está se instalando na cidade e precisa de profissionais na área de costura industrial. Por isso, em parceria com o Senai, estamos capacitando 200 pessoas para atender a indústria, que pertence ao grupo Regina Festas, que está aqui há mais de 10 anos e o proprietário fez questão de instalar na cidade esse novo braço do grupo”, destacou.

 

O município de Bataguassu tem também no polo empresarial a indústria Blue Brasil, que produz couro semiacabado e isso para as indústrias de calçados possibilita baratear os custos, fazendo com que as empresas do segmento que se instalarem na cidade sejam mais competitivas no mercado. “Além disso, em Nova Andradina (MS), a 150 quilômetros de Bataguassu, tem um curtume que faz o couro acabado, reduzindo ainda mais os custos e tornado as empresas mais preparadas economicamente frente às concorrentes”, reforçou.

 

A Feira

 

A Feicc-MS, evento voltado exclusivamente para os lojistas de calçados, couros e de acessórios do Estado, chega à 10ª edição com a previsão de atrair mais de 250 lojistas dos 79 municípios sul-mato-grossenses ao Centro de Convenções e Exposições Albano Franco, localizado na Avenida Mato Grosso, 5.000, Bairro Carandá Bosque, em Campo Grande (MS), nos próximos dias 26, 27 e 28 de janeiro.

 

Para comemorar as dez primeiras edições, os organizadores da Feira vão sortear uma motocicleta Yamaha, zero quilômetro, entre os lojistas visitantes, bem como disponibilizar uma série de atrativos, como preços com descontos e mais prazos para pagamento. Além disso, a exemplo das edições anteriores, os lojistas das cidades do interior terão direito a uma diária em hotel da Capital por conta do Sebrae/MS e do Sindical/MS (Sindicato da Indústria de Calçados de Mato Grosso do Sul).

 

Segundo o presidente do Sindical/MS, João Batista de Camargo Filho, além do sorteio de uma motocicleta nova entre os lojistas visitantes, os representantes comerciais das principais marcas nacionais de calçados vão oferecer prazos diferenciados para o pagamento das novas coleções. “Algumas marcas vão oferecer até 120 dias para o início do pagamento, ou seja, até quatro meses, enquanto outras marcas vão dar descontos especiais no valor dos calçados e acessórios”, revelou.

 

Neste ano, a feira de calçados, que é realizada duas vezes por ano pelo Sindical/MS em parceria com os empresários Alan Augusto Brilhador, Francisco de Sales Garcia Borges, Reinaldo de Oliveira Ney, André Arruda e Marcelo de Oliveira Adão, será das 8 às 19 horas, com expectativa de receber, nos três dias, mais de mil visitantes.

 

Segundo João Batista de Camargo Filho, a 10ª Feicc terá 50 expositores apresentando e comercializando novidades e tendências da moda calçadista, bolsas e acessórios de couro de mais de 175 marcas. Ele reforça também que, focada no lançamento da coleção outono-inverno 2020, essa edição do evento tem os patrocínios da Marfil Móveis, VitLog Transportes e Café 3 Corações e apoio da Fiems, Senai, Sebrae/MS, Governo do Estado, Prefeitura de Campo Grande, Mega Stands e Berthô Brasil.

 

Ainda de acordo com o presidente do Sindical/MS, a realização da 10ª edição é resultado do sucesso das nove primeiras edições. “Mais uma vez vamos realizar a Feira no Albano Franco, que já é um espaço conhecido pelos empresários de todo o Estado e, além de ser bem mais amplo e agradável, tem toda a infraestrutura necessária para receber os lojistas visitantes, bem como os expositores”, afirmou.

 

O evento também vai contribuir com a divulgação das indústrias já instaladas no Estado e também as que estarão presentes na Feira, demonstrando todo o potencial da economia sul-mato-grossense. “Além de ser uma vitrine do segmento, a Feicc-MS tem a projeção de movimentar algo em torno de R$ 16 milhões nos três dias do evento, ou seja, 3% maior que os R$ 15,6 milhões da edição passada”, disse o presidente do Sindical.