Celibato: Bento XVI rejeita “duas vocações ao mesmo tempo”; defesa foi feita em livro escrito em parceria com cardeal

Num livro escrito em parceria com o cardeal Robert Sarah, Bento XVI defende que o celibato sacerdotal “tem grande significado”. As declarações surgem no momento em que o papa Francisco avalia um pedido para que, na Amazônia, homens casados possam ser padres.

 

Bento XVI escreve, na obra Das profundezas dos nossos corações, que a tradição secular dentro da Igreja é essencial para que os padres se concentrem nos seus deveres. “É indispensável para que o caminho na direção de Deus permaneça o fundamento da nossa vida”. Para o papa emérito, não é “possível realizar as duas vocações (sacerdócio e o casamento) ao mesmo tempo”.

 

Em outubro, vários bispos católicos reuniram-se para discutir o futuro da Igreja na Amazônia.

 

Ao fim da reunião, foi lançado um documento onde estavam detalhados vários problemas que afetam a Igreja.

 

Os bispos sul-americanos sugeriram que, em algumas partes da Amazônia, alguns homens mais velhos e casados poderiam ser ordenados padres, defendendo que isso seria um esforço para combater a escassez de sacerdotes na região.

 

Foi também pedido ao Vaticano que reabra o debate sobre a ordenação de mulheres como diáconos, alegando que “é urgente que a Igreja promova e confira na Amazônia ministérios para homens e mulheres de maneira equitativa”, cita a agência Associated Press.

 

No mesmo livro, Bento XVI e Robert Sarah defendem que “é urgente, necessário, que todos, bispos, sacerdotes e leigos, redescubram um olhar de fé na Igreja e no celibato sacerdotal que protege o seu mistério”. Além disso, citando Santo Agostinho, ambos afirmam: “Non possum silere (Não posso ficar calado)!”.

 

Todas as propostas foram colocadas em documento, aprovado no final de um sínodo de três semanas sobre a Amazônia, convocado pelo papa Francisco em 2017, com o objetivo de alertar para as ameaças à floresta tropical e melhorar o sacerdócio junto aos povos indígenas.

 

O papa Francisco tem sido advertido de que qualquer abertura papal a sacerdotes casados ou mulheres diáconos pode levar a Igreja à ruina, culpando a organização do sínodo e o próprio papa de heresia, uma vez que consideram o celibato sacerdotal obrigatório.

 

Fonte: Agência Brasil

*Emissora pública de televisão de Portugal

No Irã, polícia e forças de seguranças usam balas reais contra manifestantes

A polícia e as forças de segurança iranianas dispararam balas reais e gás lacrimogêneo para dispersar manifestantes que protestavam contra as autoridades, que negaram inicialmente ter abatido um avião ucraniano, informou hoje (13) a agência Associated Press (AP).

 

Os veículos de comunicação estatais do Irão não noticiaram imediatamente o incidente perto de Azadi, ou Praça da Liberdade, em Teerã, na noite desse domingo (12). No entanto, organizações não governamentais de defesa de direitos humanos já pediram ao Irã que permita que as pessoas protestem pacificamente, conforme permitido pela Constituição.

 

“Após traumas nacionais sucessivos em curto período de tempo, as pessoas devem poder expressar o luto e exigir responsabilidades em segurança”, disse o diretor executivo da organização não governamental (ONG) Centro para os Direitos Humanos no Irã, com sede em Nova Iorque.

 

“Os iranianos não deviam ter de arriscar a vida para exercer o direito constitucional de se reunir pacificamente”, acrescentou a ONG.

 

Vídeos enviados à organização e posteriormente analisados pela AP mostram uma multidão correndo, depois de uma granada de gás lacrimogêneo atingir os manifestantes.

 

As pessoas tossem e espirram enquanto tentam escapar, com uma mulher a gritar, em farsi: “Eles dispararam gás lacrimogêneo contra as pessoas! Praça Azadi. Morte ao ditador!”.

 

Outro vídeo mostra uma mulher sendo carregada, em meio a marcas de sangue no chão. Pessoas ao seu redor gritavam que ela foi baleada na perna.

 

“Ela sangra sem parar!”, disse uma pessoa.

 

Fotos e vídeos após o incidente mostram poças de sangue na calçada.

 

A Polícia antimotim, com uniformes e capacetes pretos, reuniram-se na Praça Vali-e Asr, na Universidade de Teerã, e em outros pontos da capital.

 

Membros da Guarda da Revolução patrulhavam a cidade em motos, e outras forças da segurança à paisana também foram mobilizados para as ruas. As pessoas olhavam para baixo, enquanto passavam rapidamente pela polícia, aparentemente para tentar não chamar a atenção.

 

Na quarta-feira (8), a queda do avião ucraniano, abatido por um míssil, causou a morte de todas as 176 pessoas que se encontravam a bordo, a maioria iranianas e canadenses.

 

Inicialmente, as autoridades iranianas negaram qualquer culpa das Forças Armadas no acidente. Após três dias, o Irã admitiu que o avião foi derrubado acidentalmente, diante das crescentes provas e acusações apresentadas por vários líderes ocidentais.

 

Fonte: Agência Brasil

*Emissora pública de televisão de Portugal

Mercado financeiro reduz estimativa de inflação este ano para 3,58%

As instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) reduziram a estimativa para a inflação este ano. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país) caiu de 3,60% para 3,58%. A informação consta no boletim Focus, pesquisa semanal do Banco Central (BC) que traz as projeções de instituições para os principais indicadores econômicos.

 

Para 2021, a estimativa de inflação se mantém em 3,75%. A previsão para os anos seguintes também não teve alterações: 3,50% em 2022 e 2023.

 

A projeção para 2020 está abaixo do centro da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

 

Selic

 

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente definida em 4,5% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

 

De acordo com as instituições financeiras, a Selic deve se manter em 4,5% ao ano até o fim de 2020. A manutenção da Selic, como prevê o mercado financeiro, indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

 

Para 2021, a expectativa é que a taxa básica suba para 6,25%. E para 2022 e 2023, as instituições estimam que a Selic termine os dois períodos em 6,5% ao ano.

 

Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

 

Atividade econômica

 

A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – se mantém em 2,30% para 2020. As estimativas das instituições financeiras para os anos seguintes, 2021, 2022 e 2023 também continuam em 2,50%.

 

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar está em R$ 4,04 para o fim deste ano e R$ 4,00 para 2021.

 

Fonte: Agência Brasil

Humanos artificiais marcam maior feira de tecnologia do mundo realizada nos EUA

Humanos artificiais em 3D, com quem indivíduos podem interagir em várias situações e para distintas tarefas, foram a principal novidade da maior feira de tecnologia do mundo, a Consumer Eletronics Show, realizada na última semana em Las Vegas, nos Estados Unidos. Entre os destaques também estiveram novos dispositivos inteligentes, especialmente veículos e equipamentos domésticos.

 

A Samsung roubou as atenções com o Neon, projeto que cria avatares digitais gerados por computador, simulando humanos artificiais que podem conversar e expressar emoções. Dados sobre imagens de pessoas e comportamento humano alimentam sistemas de aprendizado de máquina e inteligência artificial para gerar novos “seres”.

 

Eles são projetados em telas, ainda não em 3D. A diferença, prometem os responsáveis pelo projeto, é que não se trata de um vídeo, mas de um sistema que consegue reagir em tempo real, buscando espelhar atitudes de seres humanos (veja um exemplo)

 

No grupo de inovações inteligentes, uma que chamou a atenção foi o robô da Samsung, apelidado de Ballie, desenvolvido na forma de uma bola de tênis. Ele funciona como um assistente, não somente recebendo os comandos dos moradores, como interagindo com outros equipamentos da residência, acionando, desligando ou alterando parâmetros (veja o vídeo).

 

Carros voadores

 

Entre os vários automóveis expostos, a Uber e a Hyundai anunciaram um táxi voador que poderá ser usado para evitar o tráfego. A inovação não foi lançada, e um protótipo só deverá ser entregue em 2023. Ele dever ser 100% elétrico, atingir até 300 quilômetros por hora (km/h) e poderá até ser autônomo, sem a necessidade de um motorista.

 

Outra novidade foi um modelo da Sony (empresa especializada em áudio e vídeo, mas não integrante da indústria automotiva). A companhia lançou o carro elétrico, apontando-o como vanguarda em veículos inteligentes. O automóvel é equipado com 33 sensores internos e externos, conexão já compatível com 5G, assistentes para motoristas (confira).

 

Privacidade

 

Em meio a denúncias nos últimos anos, como a do uso de dados para manipulação eleitoral (como o do Cambridge Analytica) ou grandes vazamentos de dados (que atingiu do Facebook ao Uber), a privacidade surgiu como um aspecto de diversas inovações.

 

O sistema de segurança da Vayyar faz o monitoramento utilizando ondas de rádio, e não por meio de câmeras. Essa ferramenta vem sendo bastante questionada, como no caso do sistema de vídeo doméstico Ring, da Amazon, cuja falta de segurança foi denunciada no ano passado. O produto permite que o armazenamento seja feito em um servidor do morador, evitando acesso aos dados na nuvem.

 

Duas das maiores plataformas digitais do mundo, Google e Facebook aproveitaram a ocasião para anunciar novas ferramentas de privacidade. A primeira informou que seus assistentes virtuais, como o Nest, terão a possibilidade de apagar o registro de um comando de voz se o usuário assim solicitar ao equipamento. O Facebook criou novos recursos, com a promessa de facilitar o manejo pelos usuários das configurações de privacidade.

 

Dobráveis

 

Já sinalizados na edição do ano passado, os aparelhos “dobráveis” se multiplicaram. A nova forma começou nos smartphones. Mas, neste ano, a Lenovo mostrou um notebook que também pode ser movido dessa maneira. Ele estará disponível no mercado dos Estados Unidos por US$ 2.500 (R$ 10,1 mil).

 

A Samsung inovou no conceito ao expor não um monitor dobrável, mas curvo, com capacidade de dar outra impressão realista das imagens exibidas. Com cerca de 50 polegadas, ele tem como foco os jogadores de video-game.

 

Saúde

 

Muitas inovações focaram em benefícios à saúde. A startup AO apresentou uma máscara de ar pessoal batizada de Atmos. Ela cobre nariz e boca e, por meio de filtros específicos, purifica o ar que o usuário respira. O item será lançado em julho, ao preço de US$ 350 (R$ 1.425). A Segway S-Pot é uma cadeira de rodas motorizada que pode alcançar até 40 km/h. Ela pode ser controlada por um aparelho, como um joystick de video-game.

 

A MamaRoo lançou um berço eletrônico com recursos de balanço, de modo a simular cinco tipos de movimentação, de trajeto de carro a balanço de árvores. Além disso, o aparelho também emite sons que podem contribuir no relaxamento do bebê para dormir. Por meio da tecnologia bluetooth, os pais podem definir tempos e que recursos desejam usar por meio de um app. O produto custará US$ 329 (R$ 1340).

 

Fonte: Agência Brasil

 

Rainha Elizabeth II convoca reunião para discutir decisão de duques de Sussex

A rainha Elizabeth II convocou para esta segunda-feira (13) uma reunião de emergência com integrantes da família real britânica para discutir o futuro papel na monarquia dos duques de Sussex, Harry e Meghan.

 

De acordo com a imprensa britânica, será o primeiro “frente a frente” do príncipe Harry, de 35 anos, com a sua avó, depois de ter anunciado na quarta-feira (8) a vontade de ter sua “independência financeira” com a mulher Meghan, e de viver uma parte do ano na América do Norte.

 

Além de Harry, vão estar presentes na residência da rainha, em Sandringham, o príncipe William e o seu pai, o príncipe Charles, herdeiro da coroa, enquanto Meghan participará por telefone do Canadá, informou hoje um porta-voz do Palácio de Buckingham.

 

Harry e a mulher anunciaram a intenção de “recuar” dos deveres de membros seniores da família real do Reino Unido, para se tornarem financeiramente independentes. O Palácio de Buckingham disse que essas questões são complicadas.

 

“Depois de muitos meses de reflexão e discussões internas, decidimos fazer uma transição este ano para começarmos a construir um novo papel progressivo nesta instituição. Queremos recuar, enquanto membros seniores da família real [do Reino Unido] e trabalhar para nos tornarmos financeiramente independentes”, declararam os duques de Sussex, em publicação no Instagram.

 

A mensagem acrescenta que os duques de Sussex vão dividir o tempo entre o Reino Unido e os Estados Unidos, de onde é natural a mulher do príncipe Harry, Meghan Markle.

 

Na reunião de amanhã vão ser analisados os próximos passos a serem tomados em relação aos duques e os planos que foram estudados, em coordenação com os funcionários do governo britânico e do Canadá, onde, ao que tudo indica, os duques querem estabelecer residência.

 

O inesperado anúncio de Harry e Meghan, que asseguram ter a intenção de “trabalhar para ser financeiramente independentes”, provocou mal-estar entre o resto dos membros da monarquia e levantou dúvidas sobre as futuras fontes de financiamento dos duques.

 

Segundo a imprensa, prevê-se uma “atmosfera tensa” numa “família real ferida”, que foi surpreendida pelo anúncio do casal, revivendo a memória da abdicação em 1936 do rei Eduardo VIII para casar com Wallis Simpson, uma norte-americana divorciada, como Meghan.

 

A rainha Elizabeth II, de 93 anos, pediu aos membros da família que encontrem rapidamente “uma solução” para o neto, sexto na sucessão, e a sua mulher.

 

Entre os assuntos da reunião, estará o valor da doação financeira que o príncipe Charles atribuirá ao casal, da reserva pessoal, que representa a maior parte do seu rendimento, bem como a questão dos títulos reais e o perímetro das transações comerciais que Harry e Meghan serão autorizados a fazer.

 

De acordo com o jornal The Guardian, Harry e Meghan receberam cerca de 5 milhões de libras (5,87 milhões de euros) em 2018-2019.

 

A notícia da intenção dos duques de Sussex causou inquietação pública e indignação, difundida pelos meios de comunicação social britânicos. Até o museu Madame Tussauds, em Londres, que exibe 250 estátuas de cera das grandes figuras do mundo, agiu rapidamente e separou Harry e Meghan do resto da família real.

 

Fonte: Agência Brasil

*Emissora pública de televisão de Portugal

Imasul investiga origem de material orgânico vegetal que obstruiu parcialmente calha do Rio Miranda no fim de semana

Técnicos do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) estão investigando a origem do material orgânico vegetal que obstruiu trechos do Rio Miranda no último fim de semana. “O fenômeno é conhecido da população local, ocorre todos os anos nessa época de chuvas mais intensas”, explica o comandante da Polícia Militar Ambiental (PMA) em Miranda, tenente Antônio Rondon da Silva. Nesse ano, entretanto, o volume de sedimentos carreado pelas águas foi maior e acabou criando uma barreira para navegação na altura da Ponte do Calcário, área urbana da cidade de Miranda.

 

O tenente conta que trabalha há 30 anos na região e isso ocorre com frequência. O material orgânico desce até parar em alguma curva do rio ou, no caso desse ano, na ponte, de onde está sendo retirado com auxílio de máquinas da Prefeitura de Miranda. “Esse tipo de vegetação é característica do rio Miranda. No rio Paraguai acontece algo parecido, mas com plantas aquáticas. Formam blocos tão maciços que é possível caminhar por cima. Lá, o material é retirado por navios”, explica.

 

Recorte de uma reportagem publicada em fevereiro de 2007 mostra que a situação se repete no Miranda, sempre nessa época do ano. Na ocasião, a imagem mostra o leito do rio tomado por material orgânico muito semelhante ao verificado atualmente.

 

 

O secretário adjunto da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar), Ricardo Senna, salienta que o material é composto basicamente por vegetação nativa das margens do rio, como taquaras e bambus. O que pode ter acontecido é que, com a intensidade das chuvas ocorridas nos últimos dias na região, a força das águas tenha arrancado essa vegetação. Outra explicação pode estar nas queimadas ocorridas no fim da Primavera e que atingiram sobremaneira o Pantanal. O material lenhoso que resistiu ao fogo pode ter sido arrastado para o rio pela enxurrada.

 

De qualquer forma, o secretário determinou ao Imasul que faça um estudo para tentar identificar a provável origem do fenômeno. O diretor presidente do Imasul, André Borges, e fiscais do órgão se deslocaram a Miranda para verificar ‘in loco’ o ocorrido. “Delimitamos uma área e vamos fazer sobrevoo com drones para investigar se houve algum desmatamento irregular, mas de antemão nosso entendimento é que esse material tenha sido arrancado das margens pelas fortes chuvas”, disse.

 

Enquanto isso, técnicos do Imasul analisam imagens de satélite feitas nos últimos dias para comparar a geografia da região antes e depois das chuvas e identificar eventuais alterações na paisagem.

 

Importante observar a elevação súbita no nível do leito do rio. No dia 31 de dezembro a régua marcava uma lâmina d’água de 3,86 metros e hoje, no mesmo ponto, o leito do rio está com 5,28 metros de volume de água. Conforme dados do CEMTEC (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima), órgão ligado à Semagro, choveu 138,4 milímetros na região desde o início do mês até esta segunda-feira. Em apenas um dia (13) o volume de chuva chegou a 119,8 milímetros, segundo registro da Estação Meteorológica instalada em Miranda.

Federação do Comércio de Mato Grosso do Sul dá aval para Nota MS Premiada

Criado pelo Governo do Estado para promover a cidadania fiscal e combater a sonegação de impostos no atacado e no varejo, o programa Nota MS Premiada conta com a aprovação da Federação do Comércio de Mato Grosso do Sul (Fecomércio-MS) – a maior representante sindical e política dos empresários do ramo no Estado.

 

Presidente da instituição, Edison Ferreira de Araújo avalia que o programa é uma “parceria do Governo com o consumidor” que torna as relações de consumo mais transparente. “Solicitando o CPF na nota, o consumidor combate a sonegação e, de certa forma, a corrupção. Em troca, concorre a prêmios. Assim, o Governo pode aumentar a arrecadação e os investimentos nas áreas da saúde, educação, segurança e infraestrutura”, afirma.

 

Desde 1º de janeiro de 2020, todos os cupons fiscais emitidos por empresas contribuintes de ICMS no Estado já possuem oito dezenas geradas aleatoriamente para participar do sorteio dos prêmios – a ser realizado de acordo com números de concursos da Mega-Sena.

 

Nesse primeiro mês, algumas notas fiscais não são impressas com as oito dezenas por causa da atualização dos sistemas dos lojistas. Mas os números podem ser conferidos no site www.notamspremiada.ms.gov.br, na aba “Consulte suas notas”. Comerciantes do Estado têm até o dia 31 de janeiro para adequarem as impressoras de emissão de nota fiscal.

 

O Governo comunica os comerciantes sobre a necessidade da atualização do software que emite os documentos fiscais, informou o chefe da Unidade de Educação Fiscal da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), Amarildo Cruz. Segundo ele, a atualização não gera custo ao contribuinte (empresa) e será feita com apoio de empresas especializadas.

 

Prêmios

 

Compras a partir de R$ 1 já podem participar do sorteio, que será sempre no mês posterior à emissão da nota fiscal. Ou seja, documentos autorizados em um respectivo mês concorrerão no mês seguinte.

 

A cada sorteio, o programa Nota MS Premiada vai distribuir dois prêmios em dinheiro líquido de imposto de renda. O primeiro deles é de R$ 100 mil para os acertadores de seis dezenas. O segundo é de R$ 200 mil para ganhadores de cinco dezenas.

 

Não havendo sorteados para as seis dezenas o prêmio de R$ 100 mil será juntado ao prêmio de R$ 200 mil. E caso não haja ganhadores para as seis dezenas e nem para as cinco dezenas os prêmios retornarão ao fundo do programa.

Bradesco recebe auto de infração e pode ser multado por demorar atendimento

Apesar de insistentes intervenções de equipes da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor – Procon/MS, órgão integrante da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho – Sedhast no sentido de orientar o atendimento de modo a  cumprir o que determina a legislação de consumo, redes bancárias insistem em transgredir e  prejudicar o consumidor.

 

Desta vez foi na agência do Bradesco localizada na  Rua Cândido Mariano 1 541 que, fiscais do Procon Estadual, atendendo a  denúncias de consumidores, constataram irregularidades, principalmente no que diz respeito à demora excessiva no atendimento. De cinco senhas verificadas, três consumidores foram prejudicados com a demora havendo caso em que a demora  chegou a 1 hora e 17 minutos pra atendimento geral e outra em que a espera foi de 1 hora e três minutos para cliente  que se dirigia ao caixa.

 

Ressalta-se  que em dias normais a legislação prevê pera de, no máximo, 15 minutos enquanto em dia de pagamento de servidores públicos ou de maior incidência de vencimento de boletos este tempo pode  chegar a 20 minutos. Dada a insistência da unidade bancária, alvo de fiscalizações anteriores, foi, mais uma vez, expedido auto de infração que poderá, após análise do setor jurídico do Procon Estadual,  culminar em multa para o banco em questão.

Quando começa a década de 2020 do século 21? Historiador explica

Com a chegada de 2020, teve início uma discussão antiga acerca do calendário ocidental. Seria o novo ano a inauguração também da nova década? Estaríamos entrando na década de 2020 do século 21? A Agência Brasil conversou com historiadores para explicar a polêmica.

 

Segundo Daniel Gomes de Carvalho, docente da Universidade de Brasília e um dos integrantes do canal de YouTube Se Liga Nessa História, afirma que formalmente a década só começará no próximo ano, em 2021.

 

Isso ocorre porque no calendário cristão não houve o ano zero. Ele teve início já no ano 1 depois de Cristo. Assim como o século 21 não começou em 2000, mas em 2001, as décadas também só começam no ano 1 de cada uma delas. “É meramente uma questão convencional”, explica Carvalho.

 

Calendário fevereiro 2020
No calendário cristão não houve ano zero. Ele já teve início no ano 1 depois de Cristo  – Bruna Saniele/Agência Brasil

 

Contudo, ele pondera que na história há pesquisadores que não trabalham com divisões rígidas ou com coincidências exatas dos anos. Para historiador britânico Eric Hobsbawn, por exemplo, o século 20 (ou curto século 20, como define) teria começado em 1914, com o início da primeira Guerra Mundial, e terminado em 1991, com a dissolução da União Soviética.

 

“Na história, é bastante comum trabalhar décadas e séculos às vezes de maneira diferente do que a data diz. Se para o historiador tem alguma coerência, isso não tem problema. No trabalho historiográfico, as datas podem ser mais fluídas de acordo com o que você quer entender. Às vezes tem um ciclo econômico”, ressalta.

 

Mas no caso da mudança de décadas formalmente é utilizada a numeração do calendário cristão e a virada no ano 1.

 

O historiador Fred Tomé vai em sentido semelhante. Ele reforça que como na história cristã o calendário foi dividido entre antes e depois de Cristo e não foi convencionada a figura do ano zero, tradicionalmente a década só começaria no próximo ano.

 

Entretanto, o tempo pode ter percepções diferenciadas não apenas para pesquisadores como para os indivíduos, que podem compreender seus próprios momentos e transições de vida a partir de marcos específicos.

 

“Em termos cronológicos conceituais convencionais, estaríamos equivocados em falar que houve virada de década. Mas é uma convenção. Isso não impede que as pessoas entendem os anos fechados como fechamento de um ciclo e abertura de um outro ciclo. A polêmica está situada nas diferentes formas de percepção tempo”, observa Tomé.

 

Fonte: Agência Brasil