Vídeo mostra mulher algemada sendo agredida a socos e ponta-pés por PM. em Bonito; OAB-MS exige providências

Reportagem e vídeo (de câmeras de segurança) divulgados ontem (21) com exclusividade pelo site MS Notícias, mostrando uma mulher algemada sendo agredida violentamente por um policial militar no quartel da corporação da cidade de Bonito, causaram revolta na população. O caso ocorreu no dia 26 de setembro deste ano e somente veio a público ontem. A vítima da agressão havia sido detida por desentendimentos momentos antes em um dos restaurantes da cidade. A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional de Mato Grosso do Sul (OAB-MS) divulgou nota e repúdio e exigiu providências urgentes. Veja a nota e o vídeo abaixo:

 

“A Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso do Sul, conjuntamente com a Subseção de Bonito, ao tomar conhecimento pela imprensa, nesta data (22/11/2020), da divulgação de um vídeo onde uma mulher algemada foi violentamente espancada pelo 2º Tenente e Comandante da Polícia Militar em Bodoquena, em 26 de setembro de 2020, na cidade de Bonito, vem a público repudiar o ato perpetrado pelo agente público, que teria o dever de zelar pela segurança das pessoas, inclusive custodiadas como era o caso da mulher algemada dentro de um Órgão Público, e não partir para uma violenta agressão, sob qualquer pretexto que se possa alegar. 

As imagens são estarrecedoras, fortes e somente corroboram, infelizmente, que a violência advinda de onde se espera justamente a proteção, se traduz em banalização e o despreparo do agente para o exercício de uma das funções mais relevantes de Estado que é garantir a proteção e segurança das pessoas, reforce-se, inclusive detidas, sempre com respeito à dignidade da pessoa humana, o que não condiz com aquilo que se espera de um Policial Militar. 

O episódio deve ser severamente apurado, inclusive com o afastamento das funções, sempre observando o devido processo legal para que não restem dúvidas de que o Estado, que tem o dever com o cidadão, com a cidadania e com a Constituição da República, acobertar qualquer tipo de violação às leis deste País. 

Reforçamos a nossa confiança nas instituições de Estado, acreditando que esse tipo de conduta cometida, sempre por uma minoria despreparada, certamente não representa a grandeza da Instituição Polícia Militar de Mato Grosso do Sul.”

 

 

 

 

 

Foto e vídeo: MS Notícias

POLÍTICA