Em Três Lagoas, governador assina ordem de serviços; investimentos já chegam a meio bilhão

O governador Reinaldo Azambuja autoriza, nesta sexta-feira (15.12), em Três Lagoas, abertura de licitação de obras de restauração de asfalto das principais vias, acesso ao Distrito Industrial, construção de reservatório e implantação de rede de água. Ele assina também ordem de serviço para etapa de restauração de pavimentação já licitada. Esse pacote de obras representa investimento de R$ 33.605.217,91.

 

A soma de todos os investimentos públicos feitos nos últimos três anos em Três Lagoas chega a R$ 466,7 milhões. A cidade é a que tem o maior investimento em obras de sistema de água tratada e esgotamento sanitário do Estado. São R$ 146.780.379,25. Os investimentos incluem recursos próprios do Estado e do Governo Federal, através de convênios e transferências, além de verbas alocadas por meio de emendas parlamentares.

Em Três Lagoas, o governador participa, ainda, da inauguração do Instituto Senai de Inovação em Biomassa (ISI Biomassa), que vai dar suporte tecnológico às indústrias locais. Reinaldo Azambuja participa do evento junto com o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, do presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems), Sérgio Longen, e do diretor-regional do Senai, Jesner Escandolhero.

 

Durante a agenda, a Câmara Municipal fará a entrega do título de Cidadão Treslagoense, concedido ao governador em reconhecimento “aos investimentos e ações que sustentam o desenvolvimento econômico, social e urbano” da cidade. Os dirigentes da CNI, Fiems e Senai também serão homenageados pela Câmara de Vereadores.

 

O plano de revitalização das principais avenidas e o programa de universalização dos serviços de água tratada e esgotamento sanitário é comemorado pelo prefeito Ângelo Guerreiro.

 

“As obras do Governo do Estado são muito bem-vindas. Além de embelezar a entrada da cidade e facilitar o fluxo, reduzindo acidentes na rua Clodoaldo Garcia, facilita o trânsito também com o recapeamento de uma parte e pavimentação de outra parte da avenida Olyntho Mancini. As obras de drenagem e pavimentação nas ruas do Detran e da 1ª Delegacia de Polícia vão resolver um problema crônico em um local de grande fluxo. Além disso, têm as obras de pavimentação do acesso ao núcleo Industrial e os recursos para o saneamento”, diz Guerreiro.

 

O governador Reinaldo Azambuja chega no início da manhã e fala à imprensa ainda no aeroporto de Três Lagoas. Em seguida, assina autorização para licitações de restauração de asfalto, ordem de serviço para a pavimentação do acesso que liga o aeroporto ao Distrito Industrial; construção de reservatório, implantação de 26 mil metros de rede de distribuição de água e ativação de três poços.

 

Ele ainda participa da solenidade de inauguração do Instituto Senai de Inovação em Biomassa de Três Lagoas, no bairro Santa Luzia. Em seguida, no mesmo local, o presidente da Câmara Municipal, André Luiz, faz a entrega solene do Título de Cidadão Três-Lagoense ao governador Reinaldo Azambuja.

 

A cidade é a que tem o maior investimento em obras de sistema de água tratada e esgotamento sanitário do MS

 

Potencial econômico

 

Para o governador, todos os investimentos públicos têm impacto nos elos da cadeia industrial, no comércio e setor de serviços, gera empregos e oportunidades de renda. Reinaldo Azambuja considera o investimento do Senai, de R$ 35 milhões, na construção do instituto de inovação tecnológica, com laboratórios de ponta, “um suporte importante ao polo Industrial de Três Lagoas e também aos demais parques industriais do Estado e do País”.

 

A indústria é o segmento que mais contribui para a geração de riquezas e detém 52% do PIB total do município. O PIB Industrial de Três Lagoas, de R$ 3,3 bilhões, é o segundo maior de Mato Grosso do Sul, atrás apenas da Capital com R$ 3,9 bilhões. Os quatro núcleos industriais comportam cerca de 423 estabelecimentos, que empregam 11.680 trabalhadores. Hoje Três Lagoas é o carro-chefe das exportações de produtos industrializados do Estado. Até novembro as vendas externas somaram US$ 964,7 milhões, superando em 192% as exportações de Campo Grande.

 

Todas as principais vias serão recuperadas

 

O pacote de obras em Três Lagoas inclui recuperação da pavimentação nas principais vias, asfalto novo, drenagem de águas pluviais e saneamento básico. Será licitada a restauração do asfalto nos seguintes trechos: Rua Dr. Oscar Guimarães, entre a avenida Capitão Olyntho Mancini e a rua Zuleide Perez Tabox, e as ruas Coronel Josino da Cunha e Egídio Tomé, numa área de 2.500,00 m². Serão investidos R$ 260 mil.

 

Ainda estão incluídas, as vias Zuleide Perez Tabox, entre a rua Duque de Caxias e Aldair Rosa de Oliveira, numa área de 20.500 m². Investimento de R$ 1,4 milhão. A Avenida Clodoaldo Garcia, entre a avenida Rosário Congro e a rua New York, numa área de 54.000 m². Investimento de R$ 4,5 milhões.

 

O pacote de obras em Três Lagoas inclui recuperação da pavimentação nas principais vias, asfalto novo, drenagem de águas pluviais e saneamento básico

 

Restauração do asfalto da avenida Capitão Olyntho Mancini, entre as avenidas Ranulpho Marques Leal e Ponta Porã, e pavimentação e drenagem entre as ruas Alba Cândida Pereira e avenida Ponta Porã, numa área de 5.000,00 m². Investimento de R$ 3,9 milhões.

 

Restauração de asfalto e pavimentação de acesso ao Detran, entre as ruas Mario Mancine e Dr. Oscar Guimarães; avenida Antonio Trajano, trecho da avenida Dr. Oscar Guimarães, entre as ruas Mário Cesar e Joaquim Tiago da Silva, numa área de 4.000 m². Investimento de R$ 550 mil.

 

Assinatura de ordem de serviço para a pavimentação do acesso que liga o aeroporto ao núcleo Industrial, numa extensão de 1,338 Km. A obra está orçada em R$ 2.369.858,98.

 

Licitação de um reservatório de 4.000 m³, implantação de 26 mil metros de rede de água e ativação de três poços tubulares profundos. Investimento de R$ 20.625.358,93.

 

Para as obras de drenagem, há recursos de duas emendas, uma da senadora Simone Tebet, no valor de R$ 620.214,95 (em análise) e outra do deputado Carlos Marun, no valor de R$ 404.033,02 (contingenciada).

MPE vai à Justiça pela transferência de presos da delegacia de Bonito

O promotor de Justiça João Meneghini Girelli propôs Ação Civil Pública com Pedido de Liminar contra o Estado de Mato Grosso do Sul e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso do Sul). Ele pede a transferência imediata de todos os presos provisórios e condenados detidos atualmente na Delegacia de Polícia de Bonito (MS) para estabelecimento prisional adequado, localizado preferencialmente em cidade próxima ao Município.

 

De acordo com os autos, no dia 04 de novembro deste ano, custodiados da Delegacia de Polícia de Bonito, aproveitando-se de problemas estruturais das celas, fugiram do local. Considerando a forma com que foi relatada a fuga dos detentos pela Delegada de Polícia, o Ministério Público entende que isso só foi  possível graças à fragilidade da carceragem.

 

Ainda de acordo com os autos, foi concedida, em 29 de outubro de 2013, medida liminar no sentido de que o Estado e Agepen providenciassem em 15 dias, a presença diária, 24 horas por dia, de pelo menos um Polícial Militar ou agente da Agepen para proceder exclusivamente aos cuidados dos presos da delegacia local, cautelar esta, que até a presente data não foi cumprida.

 

Assim, o Ministério Público Estadual pede que seja concedida, em caráter liminar, a antecipação da tutela, sob consequência inclusive de multa, contra o Estado e Agepen no valor de R$ 50 mil por dia para cada um dos detentos e que seja determinado aos requeridos que tão logo se realize a audiência de custódia de novos presos, providencie-se suas transferências para estabelecimentos prisionais adequados, localizados preferencialmente em cidade próxima a Bonito.

 

Atribui-se à causa o valor de R$ 100 mil dada a incontestável importância dos direitos tratados na presente demanda.

Primeiro balanço da ”Boas Festas” da PM registra abordagem a 769 pessoas

O Comando de Policiamento Metropolitano – CPM, divulgou ontem (14) o primeiro balanço dos resultados obtidos durante operação denominada “Boas Festas”, iniciada na sexta-feira (8). De acordo com o comandante coronel Renato Tolentino Alves, foram computadas 769 pessoas  e 382 veículos abordados, além de 10 suspeitos conduzidaos para a delegacia para registro de Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

 

Somente na última terça-feira (13), as unidades operacionais subordinadas ao CPM (1º BPM, 9º BPM, 10º BPM, 17º BPTRAN, 5ª CIPM, 6ª CIPM), realizaram uma média de cinco operações em diferentes bairros, empregando um efetivo de aproximadamente 110 policiais militares.

 

Com a entrega das novas viaturas, feita pelo governo do estado, e o aumento do efetivo, devido ao início do Curso de Formação de Sargentos – CFS 2017, as unidades operacionais do CPM, intensificaram, ainda mais, o policiamento ostensivo e preventivo. Segundo a PM, em consequência disso, estão sendo bons os resultados no que tange aos índices criminais (roubo, furto, etc.), na capital.

 

 

Confira as imagens:

 

      

Prefeitura diz que obras evitaram transbordamento no período de chuva recorde

A barragem construída na Praça das Águas, inaugurada em outubro, passou no seu primeiro teste, quando Campo Grande registrou nos últimos 45 dias um volume de chuva 40% superior ao previsto.  Desta vez, comerciantes e moradores do entorno das ruas Joaquim Murtinho e Chaadi  Scaff  não enfrentam transtornos, nem tiveram prejuízo com  os alagamentos provocados pelos córregos Prosa e Vendas, seu afluente.

 

“Choveu muito, mas não houve nenhum problema”, relata Letícia de  Paula, funcionária de um restaurante localizado exatamente no cruzamento da Ricardo Brandão e a Chaadi Scaff,  que sofria duplamente com o transbordamento dos dois córregos.

 

“O proprietário construiu uma mureta e mesmo assim, quando chovia muito, alagava  a dispensa e a enxurrada dificultava o acesso dos clientes. Desta vez, tudo foi tranquilo”, relata.

 

Segundo os engenheiros da prefeitura, o que fez a diferença desta vez foi a barragem construída  na Praça das Águas em outubro. Com capacidade para reter até 22 milhões de litros de água, ela ajudou a regular o escoamento da água que vem das cabeceiras do Córrego Prosa e seus afluentes, evitando que transbordasse, mesmo em locais críticos, como no cruzamento da Avenida Ricardo Brandão com a Rua Chaadi Scaff, onde recebesse as águas do Vendas.

 

“A barragem passou no teste”, assegura o engenheiro Marcos  Cristaldo, ex-secretário e ex-diretor da Planurb, que trabalhou  na elaboração do Plano Municipal de Drenagem . Ele fez questão de percorrer  os trechos do canal, nesta região onde normalmente transbordava durante as chuvas mais intensas, para se certificar de que a obra de contenção de enchente construída mais acima surtiu os  efeitos esperados.

 

A barragem chegou a ficar a cheia, reteve um volume de água suficiente para abastecer por um mês quase 800 casas com consumo médio de 30 mil litros. Houve o represamento, mas o excedente  passou pelo vertedouro ou por cima. Sem esta retenção, segundo o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fiorese,  inevitavelmente o córrego transbordaria mais abaixo, alagando as regiões próximas a suas margens.

 

Ele  admite que a barragem, embora tenha evitado alagamentos nesta região da cidade, não resolve os problemas de alagamento. É necessário dar continuidade aos investimentos previstos no plano municipal de drenagem.  “É importante buscar recursos para construção de barragens e bacias de detenção”, explica o secretário, já que a Prefeitura não tem capacidade financeira para bancar com recursos próprios.

 

Busca por recurso

 

No curto prazo já está garantida a construção de um piscinão ( também com capacidade para 22 mil metros cúbicos) nos altos da Avenida Mato Grosso, que quando estiver pronto , também vai ajudar a melhorar a  vazão do Prosa, além de  evitar o assoreamento do lago do Parque das Nações, que receberá  uma comporta para regulação do seu  nível . O transbordamento do lago também impacta o Prosa.

 

No Córrego Vendas, por exemplo, que despeja suas águas no Prosa, é necessária a construção de uma bacia de detenção com capacidade para 5 mil metros cúbicos. Só esta obra tem um custo estimado em R$ 2,2 milhões.

 

No Sóter, outro afluente do Prosa, também é preciso construir uma barragem de amortecimento com capacidade para 56 mil metros cúbicos, que exigiria mais R$ 7,7 milhões, valor orçado no primeiro semestre.

 

A represa

 

A construção da barragem na Praça das Águas, um investimento em torno de R$ 1 milhão, foi viabilizada  por uma parceria com a iniciativa privada.  A Prefeitura cedeu a área e o Shopping Campo Grande viabilizou a obra como medida compensatória,  já que teria de construir uma piscinão com capacidade de 6 mil metros cúbicos.

 

No Córrego Segredo, região do conjunto Estrela do Sul, também custeada pela iniciativa privada, como medida compensatória, foi feita a dragagem de duas barragens de amortecimento para contenção de enchentes no Córrego Segredo. Houve a retirada de 15 mil cúbicos de material, uma quantidade suficiente para encher 1.250 caminhões (cada caminhão com 12 metros cúbicos).

 

Estas barragens têm capacidade para reter 30 mil metros cúbicos de água, mas estavam comprometidas, cheias de bancos de areia. A limpeza, segundo o engenheiro Ivan Pedro, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, evitou o transbordamento do  Segredo na altura da rotatória com a Avenida Rachid Neder, onde recebe as águas do Córrego Cascudo.

Governo lança licitações em parceria com emendas e MS terá mais de R$ 3 milhões

O Governo do Estado, por meio da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos divulgou nesta quinta-feira (14.12) mais investimentos para os municípios de Mato Grosso do Sul que serão realizados em parceria com emendas parlamentares referente a 2016. Foram publicados cinco editais de licitação com investimentos orçados em R$ 3,4 milhões, para quatro diferentes cidades.

 

Os editais lançados hoje contemplam alguns de Norte a Sul. O município de Caracol, o primeiro beneficiado, tem obras orçadas em quase R$ 1 milhão, precisamente R$ 973.993,97 segundo o setor de licitações da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul), para pavimentação asfáltica e drenagem de água pluviais da rua João Loureiro.

 

No lado oposto, em Alcinópolis estão previstas obras de pavimentação e drenagem na avenida Averaldo Barbosa, com valores orçados em R$ 555.905,86. Pedro Gomes terá as ruas Santopolis, 1º de Abril e 15 de novembro também contempladas com pavimentação e drenagem, e investimentos que podem chegar a R$ 493.566,67.

 

Para finalizar, o município de Guia Lopes da Laguna deve receber até R$ 1.250.538,23, para pavimentação e drenagem da rua Major Pires, 13 de Maio, Rubens Bertola, Izidoro Ferreira Souza e rua Jardim, na vila Nery Arce.

 

Ao todo são 75 emendas parlamentares referentes ao período de 2016 e, deste montante, 19 já foram liberadas para licitação. Os  recursos são empenhados através do Ministério das Cidades e foram viabilizados por emendas dos deputados federais Carlos Marun, Elizeu Dionízio, Vander Loubet e ex-senador Delcídio do Amaral.

 

Mais R$ 1 milhão para Paranaíba

 

O Governo também publicou a licitação para implantar o acesso à indústria Latasa, em Paranaíba, na BR-158/MS. A extensão é de 497,500 m e estão orçados investimentos da ordem de R$ 1.092.501,17. A obra em questão será 100% executada com recursos próprio do Estado, do Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado do Mato Grosso do Sul (Fundersul).

Governo do Estado projeta Campo Grande como novo centro de logística de cargas

O Governo de Mato Grosso do Sul estuda a possibilidade de transformar Campo Grande em um centro de logística de cargas aeroviárias para a América Latina, e um passo importante na formatação desse projeto foi dado nesta quinta-feira (14.12) em reunião do governador Reinaldo Azambuja com a representante da empresa alemã Lufthansa, Liége Emmerz, na Governadoria.

 

A estruturação do aeroporto da Capital para operar com grande volume de cargas para exportação e importação sem embaraços aduaneiros é uma meta que o Governo do Estado vem buscando há três anos, em atuação conjunta com a Federação das Indústrias de Mato Grosso doSul (Fiems), e a Infraero já sinalizou investimentos em infraestrutura do terminal de cargas.

 

Presente ao encontro com a representante da Lufthansa, os secretários de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck; e o de Infraestrutura (Seinfra), Marcelo Miglioli.

 

O titular da Semagro explicou que o Governo vem estudando há algum tempo viabilizar o aeroporto internacional em um centro de logística de cargas, pela posição estratégica de Campo Grande como corredor bioceânico. “Trouxemos a Lufthansa para mostrar esse potencial que temos para fomentar e atrair novos negócios internacionais, e também para ouvir da empresa, uma das maiores do mundo no segmento de cargas, quanto ao seu nível de interesse em atuar futuramente como umas das concessionárias e fazer investimentos”.

 

Lufthansa quer cooperar

 

Durante o encontro, do qual também participou o coordenador-geral de Assuntos Econômicos Latino-Americanos e Caribenhos do Ministério das Relações Exteriores, João Carlos Parkinson de Castro, o governador Reinaldo Azambuja explanou sobre o empenho de seu governo para concretizar os corredores bioceânicos rodoviário e ferroviário passando por Mato Grosso do Sul.

 

Diretora-presidente do escritório da Lufthansa Consulting no Brasil, Liége Emmerz, adiantou que a logística de cargas proposta é viável, envolvendo Brasil, Argentina, Paraguai e Bolívia

Diretora-presidente do escritório da Lufthansa Consulting no Brasil, Liége Emmerz, disse que a apresentação feita pelo governador e pelo secretário a deixou impressionada pelo papel estratégico do Estado e da Capital não só em relação ao Brasil, pela força do agronegócio, mas ao continente latino-americano. Ela adiantou que a logística de cargas proposta é viável, envolvendo Brasil, Argentina, Paraguai e Bolívia.

 

“Nos parece que existe aqui esse potencial, inclusive até na diversificação da malha, descentralizando o destino da carga, que hoje se concentra em Viracopos, em direção a algumas regiões do Brasil e da América Latina”, observou a dirigente, ressaltando que a empresa é especialista em estudos de viabilidade econômica em logística de transporte.

 

Mais desenvolvimento

 

Liége Emmerz informou que a empresa já desenvolve projetos similares em várias partes do mundo, operando não só com linhas aéreas, mas cargueiras nos maiores aeroportos e terminais. “A estratégia e o interesse do governo local é fundamental, na facilitação das ideias de negócios e serviços, e podemos cooperar e auxiliar nesses estudos”, disse ela.

 

O secretário Jaime Verruck falou que este projeto é de longo prazo e requer outros estudos e implica em investimentos no aeroporto. “Mas deixamos muito claro que o aeroporto de Campo Grande tem condições favoráveis que outros não tem, como pista longa e capacidade de até 80 toneladas, e um porto seco alfandegado pronto para operar”, completou.

 

Verruck considera que Mato Grosso do Sul tem uma série de condições para atrair investidores para este projeto de logística, onde a Lufthansa, como referência no setor, poderia fazer parte do pool de investimentos. Sobre as vantagens, citou que o Estado teria maior concentração de cargas e atrairia mais indústrias, aumento no número de voos e mais desenvolvimento.

 

Na América do Sul

 

A Lufthansa Consulting criou no Brasil a Lufthansa Consulting Ltda, uma sociedade limitada, que atuará como base representativa e operacional de suas atividades na América do Sul. A intenção da nova empresa é oferecer serviços de consultoria a especialistas brasileiros de alto potencial no atrativo ambiente das atividades aéreas. A diretora Liége Emmerz é responsável pela região da América do Sul.

 

Segundo a Lufthansa, sua divisão de consultoria tem prestado apoio, há 25 anos, a empresas aéreas, agências nacionais de aeronáutica e atividades correlacionadas, tais como empresas de logística ou portos em todo o mundo.  Na América do Sul, a empresa está concentrando atualmente suas atividades no Brasil, no Peru, no México e na Colômbia.

 

As demandas de maior relevância na região se dão nas áreas de privatização de aeroportos, de administração de aeroportos, de atividades de cargas aéreas, de empresas aéreas de baixo custo e do gerenciamento de malhas, além da excelência operacional. Entre as mais recentes atribuições da Lufthansa Consulting estão os melhoramentos no terminal de cargas do Aeroporto Internacional de São Paulo.

Criação de aplicativo ”Mulher Segura” é aprovado e segue para sanção do governador

Em sessão ordinária desta quinta-feira (14),o Projeto de Lei de autoria da deputada estadual Grazielle Machado (PR) que cria o aplicativo para smartphones intitulado “Mulher Segura” foi aprovado em 2ª discussão pela Assembleia Legislativa. Agora ele segue para sanção do governador e, isto acontecendo, a lei entra em vigor depois de 120 dias.

 

Pelo aplicativo, a mulher poderá denunciar casos de agressão ou ameaças à sua integridade, que será enviado à uma equipe de monitoramento. Por sua vez, a Polícia Militar será acionada para prestar o devido apoio à vítima.

 

Para implementar a ferramenta, o estado poderá firmar convênios, contratos e termos de cooperação com entidades. E visando não gerar custos aos cofres públicos, o aplicativo poderá ser desenvolvido pelos acadêmicos da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems).

 

“Infelizmente a violência contra a mulher ainda tem índices muito preocupantes e, tudo que se pode fazer contra essas agressões é fundamental para preservar a integridade e dignidade feminina. Acredito na sensibilidade do Governador para sancionar este projeto”. defende a deputada.

Equipe de neurocirurgia da Santa Casa de Campo Grande realizou cirurgia de Parkinson

A equipe de neurocirurgia da Santa Casa de Campo Grnde realizou na quarta-feira (13), um procedimento cirúrgico altamente complexo e inovador para o tratamento da doença de Parkinson. A técnica conhecida como Deep Brain Estimulation (Estimulação Cerebral Profunda) consiste na implantação de um eletrodo na região que controla os movimentos do corpo, localizada no núcleo subtalâmico (região profunda do cérebro). O dispositivo introduzido é semelhante a um marca-passo usado em cirurgias cardíacas, porém este serve para estimulação cerebral.

 

O aparelho implantado permite alívio imediato do paciente a partir da estimulação elétrica de alta frequência no ponto do cérebro em que é instalado. O médico Felipe Guardini, um dos responsáveis pelo procedimento, informa que as indicações para este tipo de tratamento são bem restritas e não são todos os casos de Parkinson que têm tal indicação cirúrgica. Por essa razão, a avaliação deve ser feita de forma minuciosa. “Em geral os pacientes que apresentam refratariedade ou intolerância medicamentosa e que não possuam doença demencial recebem indicação para esse tipo de tratamento neurocirúrgico”, comenta.

 

Henrique Cestari, 48, foi diagnosticado há cinco anos com a doença que comprometeu sua mobilidade de forma mais agressiva nos últimos sete meses. O uso dos medicamentos já não controlavam os efeitos, por isso, houve a necessidade da intervenção cirúrgica. “Os últimos meses não estavam sendo fáceis. Eram tombos e muitas situações ruins que acabei passando por conta da doença. Ontem após o procedimento, que correu tudo bem, percebi nitidamente a melhora dos meus movimentos e falas. Meu antes e depois pode ser percebido visualmente”, comenta o paciente.

 

Durante a cirurgia o paciente permaneceu acordado, porém sob sedação anestésica local. Com isso, ele pôde responder às perguntas e obedecer aos comandos motores comuns, como o de abrir e fechar as mãos. Com a implantação do eletrodo no cérebro é possível perceber a melhora nos movimentos do paciente de forma visível. Em seguida, uma outra equipe cirúrgica faz a implantação de um pequeno gerador de marca-passo na região torácica, gerador este, que irá fornecer a eletricidade para o estimulador implantado no cérebro.

 

Os primeiros sintomas e sinais da doença de Parkinson podem ser leves, passando despercebidos e podem variar de pessoa para pessoa. Frequentemente, os sintomas começam em um lado do corpo e permanecem piores nessa parte mesmo depois que começam a afetar o outro lado. Eles podem incluir: tremor de repouso, rigidez, dificuldade de caminhar (instabilidade postural) e hipomimia facial (face pouco expressiva).

 

A equipe responsável pelo procedimento é composta pelos médicos neurocirurgiões, Dr. Felipe Guardini, Dr. Luís Henrique Kanashiro e Dr. Halisson Yoshinari, além da participação clínica do médico neurologista, Dr. Renato Ferraz e de médicos anestesistas, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Em Campo Grande, CPI do Táxi vai ouvir novas testemunhas nesta sexta-feira

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Táxi, instaurada na Câmara Municipal para apurar irregularidades na concessão de alvarás de táxi e mototáxi em Campo Grande, vai ouvir novas testemunhas nesta sexta-feira (15). As oitivas acontecem a partir das 14h, no Plenário Edroim Revertido.

 

A maioria das testemunhas foi intimada e não compareceu durante oitiva realizada na última segunda-feira. Outros não chegaram a ser localizados.

 

O relatório final segue em fase final e a intenção, segundo o presidente da CPI, vereador Vinicius Siqueira, é que seja votado ainda este ano.

 

Também fazem parte da Comissão o relator Odilon de Oliveira (PDT) e os membros Veterinário Francisco (PSDB), Pastor Jeremias (Avante) e Junior Longo (PSDB).