PMA autua 10 infratores, aplica R$ 53 mil em multas e apreende 48 Kg de pescado na operação Padroeira do Brasil

A Polícia Militar Ambiental (PMA) encerrou nesta segunda-feira (15.10), às 8h, a operação Padroeira do Brasil, iniciada no dia (10.10), às 12h, contando com efetivo de 362 homens. A PMA deu prioridade à prevenção e repressão à pesca predatória e ao tráfico de papagaios.

 

A fiscalização à pesca já vinha sendo reforçada, desde o dia 1º de outubro, quando a Polícia Militar Ambiental iniciou a operação Pré-piracema de reforço à fiscalização nos rios de Mato Grosso do Sul, tendo em vista a proximidade do período de defeso para a piracema e, portanto, quando vários cardumes já se encontram formados e a quantidade de turistas e pescadores intensifica, exatamente, em razão das facilidades de captura do pescado.

 

Com os feriados prolongados (Criação de MS e Padroeira do Brasil), a fiscalização, que já era efetuada com bastante intensidade, inclusive, com vários pescadores presos foi aumentada nos rios, com uso de todo efetivo administrativo e deslocamento de efetivo de subunidades em que a região não possui tradição de pesca, para reforço nas áreas de pesca do Estado.

 

Os comandantes das 25 subunidades empregaram todo o efetivo no trabalho de fiscalização em suas respectivas áreas de atuação. Todo efetivo administrativo, que já foi reduzido para a operação Pré-piracema, foi utilizado na Padroeira do Brasil.

 

A operação Padroeira do Brasil deste ano foi a mais tranquila, desde 2009.

 

Resultados

 

A operação Padroeira do Brasil deste ano foi a mais tranquila, desde 2009. Além de, no início, as chuvas atrapalharem os pescadores, as pessoas que foram aos rios e que foram fiscalizadas pela PMA respeitaram a legislação. Apesar de ter dado prioridade à prevenção a fiscalização à pesca predatória e ao tráfico de papagaios, o destaque das autuações foi o desmatamento ilegal.

 

Durante a Operação houve redução de 78% no número de autuados, com relação a 2017. Foram autuadas 10 pessoas por infrações ambientais e 46 na Operação anterior. As infrações por pesca foram 93% inferiores a 2017. Foram três nesta e 44 na operação passada.

 

A quantidade de pescado apreendida foi 84% inferior (48 Kg) e no ano passado (300 Kg). As multas aplicadas por pesca ilegal foram de R$ 52.700,00 e de R$ 37.700.000,00 em 2017. Ressalta-se que o maior valor em multas foi devido às infrações por desmatamento que foram destaque e que têm multas mais altas à pesca.

 

Com relação aos petrechos ilegais houve um aumento na quantidade de redes de pesca apreendidas 33 contra 20 na Operação anterior e redução na quantidade de anzóis de galho 357 e 514, no ano passado. A fiscalização intensificada é fundamental para a retirada desses petrechos proibidos, com alto poder de dizimação de cardumes.

 

Com relação aos outros crimes e infrações ambientais foram cinco pessoas autuadas por desmatamento, uma por maus-tratos a um cachorro e uma por construção em área protegida por degradação de preservação permanente (APP), sendo as multas aplicadas de R$ 25.050,00 por essas infrações.

Apenas 3,3% dos estudantes brasileiros querem ser professores, diz Iede

“Meu sonho mesmo é dar aula para o ensino médio, pode ser em escola estadual,  municipal ou particular”, diz Lucas dos Anjos Castro, 16 anos, estudante do 2º ano do ensino médio da Escola Estadual Professor Botelho Reis, em Leopoldina, Minas Gerais. “Eu me vejo como professor, igual aos meus, na correria, rodando para lá e para cá, entrando em uma sala e outra. É o que eu gosto”.

 

O sonho com a carreira docente, como o de Castro, é cada vez mais raro. De acordo com levantamento feito pelo Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede), com base nos dados do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) de 2015, apenas 3,3% dos estudantes brasileiros de 15 anos querem ser professores. Quando se trata daqueles que querem ser professores em escolas, na educação básica, esse percentual cai para 2,4%.

 

Hoje (15), no Dia do Professor, a Agência Brasil mostra as ideias de quem quer seguir a carreira docente e de professores que não abrem mão da profissão.

 

“Quando eu contei para a minha mãe, ela me disse: ‘você pode ganhar mal, como será o seu futuro?’ Eu falei que queria e que se eu não trabalhar no que quero, não vou ser feliz”, diz Castro.

 

Um dos professores que influenciou a decisão do estudante foi João Paulo de Araújo que, além de lecionar história na Escola Estadual Professor Botelho Reis, trabalha também na Escola Estadual Doutor Pompilio Guimarães e no Colégio Equipe, que é particular. “Acho que no primeiro momento, os alunos não escolhem porque a própria família recrimina, a sociedade julga muito. Eu tenho buscado ser um professor melhor, que inspire, que mostre que a profissão é tão boa quanto qualquer outra, que tem desafio como qualquer outra”.

 

Araújo foi um dos vencedores do prêmio Educador Nota 10, em 2013. “É a forma que posso retribuir tudo que educação fez por mim. Venho de família humilde. Meu pai é ex-presidiário e minha mãe era doméstica. A oportunidade que eu tive foi graças à educação”.

 

Carreira pouco atrativa

 

professor, sala de aula, ensino médio
Estudantes que pretendem ser professores tiveram desempenho abaixo da média no Pisa (Arquivo/Agência Brasil)

 

O estudo elaborado pelo Iede mostra que a carreira docente não atrai os alunos que têm um melhor desempenho no Pisa. A avaliação internacional da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é aplicada a estudantes de 15 anos que fazem provas de leitura, matemática e ciências. Entre os 70 países e regiões avaliados, o Brasil ficou na 63ª posição em ciências, 59ª em leitura e 65ª em matemática. Os estudantes que disseram que pretendem ser professores obtiveram 18,6 pontos a menos da média do país em matemática, 20,1 pontos a menos em ciências e 18,5 a menos em leitura.

 

Dentre os países participantes do Pisa, a Alemanha é o que apresenta a maior diferença entre a nota dos alunos que esperam ser professores e a média geral do país. Aqueles que querem seguir a carreira docente obtiveram 42,9 pontos a mais em matemática, 52,5 em ciências e 59,1 em leitura.

 

Os países com os maiores percentuais de estudantes que querem ser professores são Argélia, onde 21,7% dos estudantes querem ser professores, e Kosovo, onde esse percentual chega a 18,3%. Nesses países, no entanto, o desempenho desses alunos não é bom, “mas é muito similar ao desempenho geral dos estudantes do país, que é baixo”, diz o estudo. Coreia e a Irlanda estão também entre os países com os maiores percentuais, respectivamente 13,8 e 12,6%. Ao contrário da Argélia e Kosovo, o desempenho dos alunos é bom, chegando, na Coreia, a ser superior à média nacional.

 

“O que o dado brasileiro revela é o fato que a ocupação de professor está com problemas de atratividade. As pessoas que têm notas mais altas escolhem outras profissões”, diz o professor de economia da Universidade Federal Fluminense (UFF) Fábio Waltenberg, um dos autores do estudo Ser ou não ser professor da Educação Básica? Salário esperado e outros fatores na escolha ocupacional de concluintes de licenciaturas. Segundo Waltenberg, o salário é um dos  entraves para a escolha da profissão.

 

Equiparação salarial

 

Recife – Alunos da Escola Municipal Abílio Gomes, na capital pernambucana, usam livros didáticos que podem ser proibidos pela Câmara de Vereadores (Sumaia Vilela / Agência Brasil)
Até 2020, o salário dos professores deve ser equivalente ao de outros profissionais com a mesma formação (Sumaia Vilela/Agência Brasil)

 

Professores de escolas públicas ganham, em média, 74,8% do que ganham profissionais assalariados de outras áreas, ou seja, cerca de 25% a menos, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)Essa porcentagem subiu desde 2012, quando era 65,2%.

 

Por lei, pelo Plano Nacional de Educação, esse salário deve ser equivalente ao de outros profissionais com formação equivalente até 2020.

 

De acordo com o diretor do Iede, Ernesto Martins Faria, três aspectos contribuem para a atratividade da profissão. “Planos de carreira para professores e educadores, ações específicas de valorização, que geram estímulo e permanência, e coesão escolar. O funcionamento da escola tem a ver com visão consistente, semelhante de gestor, coordenador pedagógico e educadores”, diz.

 

Segundo ele, o fato de os professores serem muitos e estarem ligados a estados e municípios, muitas vezes com orçamentos restritos, dificulta sobretudo a existência de planos de carreira atrativos. “Estamos falando da carreira de 2 milhões de professores, [não apenas o Brasil], o mundo sofre para oferecer uma carreira atrativa”.

 

Apesar das dificuldades, a estudante de licenciatura em ciências sociais Aniely Silva, 20 anos, não desiste do sonho de ser, assim como Castro, professora de ensino médio. Ela conta que a vontade ficou mais forte após participar das ocupações de escolas em São Paulo.

 

“Durante as ocupações das escolas, percebi o quanto de informação não chega para nós, que somos de periferia e de escola pública. Queria conseguir levar informação para as pessoas. Quando a informação chega como conhecimento, muda a realidade das pessoas, como mudou a minha”.

 

Aniely arremata: “Não escolhi a profissão pelo salário e não me desmotiva. Quero estudar muito para ser muito boa no que eu faço e lutar para melhorar a educação, por mais investimento e valorização dos professores”.

 

 

Fonte: Agência Brasil

Curso da Faculdade Senai é o melhor de MS no Enade; está entre os 15 melhores

O curso superior de Tecnologia em Gestão da Produção Industrial, oferecido pela Faculdade Senai de Campo Grande, obteve a melhor nota de Mato Grosso do Sul entre as instituições avaliadas pelo Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes) e ficou entre os 15 melhores do Brasil. Com nota 4, em uma escala que vai de zero a 5, o curso deixou para trás, em nível nacional, outros 46 avaliados em todo o País.

 

Na avaliação do gerente do Senai de Campo Grande, Helio Pereira Vilaça, o resultado é motivo de muito orgulho e o reconhecimento de um bom trabalho realizado pela instituição. “Reforça o posicionamento do Senai de Mato Grosso do Sul como instituição de Ensino Superior. Nossa missão é atender com qualidade e contamos com um corpo docente de excelência, além da infraestrutura de ótima qualidade. Mesmo figurando com a melhor nota do Estado, ainda temos alguns pontos a melhorar para que na próxima avaliação alcancemos a nota máxima”, afirmou.

 

A coordenadora pedagógica do ensino superior da Faculdade Senai de Campo Grande, Rosangela Vargas Cassola, comemorou o resultado, destacando o bom trabalho realizado pela instituição, que é referência em Mato Grosso do Sul. “Muitas empresas do Estado nos procuram pedindo indicações de profissionais que estudaram aqui porque sabem da qualidade da nossa formação, então acredito que o principal diferencial é essa credibilidade de um diploma Senai no mercado de trabalho. A nota 4 no Enade só reforça que estamos no caminho certo”, declarou.

 

O coordenador do curso de superior de Tecnologia em Gestão da Produção Industrial na Faculdade Senai da Capital, Joe Schmitz, explicou que na prova são avaliados os seguintes itens: desempenho do estudante (nota dos conceitos do Enade e nota de indicadores); corpo docente (nota da quantidade de professores mestres e doutores e regime de trabalho); e a percepção do aluno (nota de como o aluno percebe o curso e a nota referente à didática pedagógica, infraestrutura e instalações e as oportunidades de ampliação da formação).

 

“O bom resultado que obtivemos é atribuído em primeira instância à faculdade, aos professores e acadêmicos. Por conta da dedicação dos professores na orientação dos acadêmicos e da vontade destes alunos em aprender é que alcançamos a nota 4. Agora temos de trabalhar ainda mais para manter a qualidade do ensino e aprimorar nossos processos educativos a cada dia”, finalizou Joe Schmitz.

 

Receita Federal paga o quinto lote de restituições do Imposto de Renda

A Secretaria da Receita Federal paga hoje (15) as restituições referentes ao quinto lote do Imposto de Renda de Pessoa Física de 2018. O lote inclui restituições residuais de 2008 a 2017. As consultasforam liberadas no último dia 5.

 

De acordo com a Receita Federal, serão pagos R$ 3,3 bilhões para 2.532.716 contribuintes. Desse total, R$ 3,157 bilhões referem-se ao quinto lote do IR de 2018, que contemplará 2.459.482 contribuintes.

 

A Receita Federal recebeu 29.269.987 declarações do Imposto de Renda dentro do prazo legal neste ano. O número superou a estimativa inicial, que era de 28,8 milhões de declarações.

 

Para acessar o extrato do IR é necessário utilizar o código de acesso gerado na própria página da Receita Federal, ou certificado digital emitido por autoridade habilitada.

 

Fonte: Agência Brasil

7 órgãos abrem inscrições nesta segunda-feira para quase 16 mil vagas; veja a lista

Pelo menos 7 órgãos abrem as inscrições nesta segunda-feira (15) para quase 16 mil vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade.

O maior concurso é o da Secretaria de Educação do Paraná com 15,5 mil vagas. Os salários chegam a R$ 26.125,15 na Defensoria Pública do Maranhão.

Veja abaixo detalhes dos concursos:

Câmara Municipal de Tatuí (SP)

  • Inscrições: até 13/11/2018
  • 7 vagas
  • Salários de até R$ 3.180,48
  • Cargos de nível fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

Defensoria Pública do Maranhão

  • Inscrições: até 05/11/2018
  • 8 vagas
  • Salários de até R$ 26.125,15
  • Cargos de nível superior
  • Veja o edital

Prefeitura de Guarani (MG)

  • Inscrições: até 15/11/2018
  • 57 vagas
  • Salários de até R$ 7.478,22
  • Cargos de nível fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul

  • Inscrições: até 13/11/2018
  • 50 vagas
  • Salários de até R$ 20.463,50
  • Cargos de nível superior
  • Veja o edital

Tribunal de Justiça de São Paulo

  • Inscrições: até 13/11/2018
  • 34 vagas
  • Salários de até R$ 8.723,57
  • Cargos de nível superior
  • Veja o edital

Prefeitura de São Paulo

  • Inscrições: até 12/11/2018
  • 168 vagas
  • Salários de até R$ 7.032,90
  • Cargos de nível superior
  • Veja o edital

Secretaria de Educação do Paraná

  • Inscrições: até 25/10/2018
  • 15,5 mil vagas
  • Salários de até R$ 1.523,83
  • Cargos de nível fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

 

 

Fonte: G1

Palestra com astrofísica da Nasa abre o V Saberes em Ação da UCDB, na Capital

A primeira noite do V Congresso de Ensino, Pesquisa e Extensão — Saberes em Ação — será realizada no dia 23 deste mês e traz uma conferência de abertura com o tema principal do evento “Universidade: Espaço de conhecimento infinito”. Nas quadras esportivas do campus Tamandaré, às 19h, a palestra será ministrada pela astrofísica associada à Nasa e vice-reitora da Universidade Católica da América (Washington, Estados Unidos), Duilia Fernandes de Mello.

 

Na mesma data, um pouco antes, das 17h30 às 18h, o saguão do bloco Administrativo da Católica será palco para o lançamento de 14 livros, incluindo o volume II do Saberes em Ação que é composto pelos melhores trabalhos apresentados na edição anterior do evento. As outras obras trazem pesquisas desenvolvidas por professores e acadêmicos da UCDB e envolvem diferentes áreas do conhecimento.

 

Voltada para alunos da graduação, pós-graduação e também do ensino médio, a quinta edição do maior congresso científico de Mato Grosso do Sul segue até o dia 25 e traz nos outros dois dias uma ampla programação composta por mesas-redondas, 58 oficinas, 1197 apresentações de trabalhos por meio de banners, tertúlias e comunicações orais, além de uma mostra de produtos com 58 itens inovadores.

 

Mais do que a participação da comunidade acadêmica da Católica, o Saberes em Ação também é aberto para alunos de outras instituições de ensino superior. Para participar do evento, interessados devem fazer a inscrição até o dia 22 de outubro, por meio do site http://saberesemacao.ucdb.br/.

Procon-MS encontra diferença superior a 700% em preços cobrados por laboratórios de Campo Grande

Pesquisa realizada por equipes da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon-MS), órgão ligado à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), envolvendo seis laboratórios de análises clínicas em Campo Grande detectou diferenças de até 770,97 % nos preços dos serviços prestados ao consumidor, dependendo do tipo de exame solicitado.

 

O trabalho dos fiscais foi realizado no período de 2 a 10 de outubro após denúncias de consumidores que ficaram surpresos com a diferença constatada em alguns laboratórios, após tomada de preços, o que levou o Procon-MS a verificar a veracidade das declarações.

 

Em um sistema de amostragem, as equipes visitou os laboratórios Sabin – Medicina Diagnóstica, Labclin – Laboratório de Análises Clinicas, Laboratório Bioclínico, Laboratório Bio Diagnostic, Laboratório Célula e Laboratório Multilab.

 

A diferença mais expressiva encontrada entre os 63 itens pesquisados, diz respeito a “atividade da proteína C”. Enquanto em um laboratório o custo é de R$ 278,71 em outro o exame é realizado por R$ 12,00. A segunda diferença considerada exorbitante pelo consumidor e verificada pelo Procon-MS trata-se do “colesterol HDL” que em um local custa R$ 40,32 em outro sai por R$ 5,00.

 

Confira a pesquisa

Acidentes nas rodovias estaduais reduzem em 40% no feriado em comparação a 2017

No feriadão, o número de acidentes nas rodovias estaduais de Mato Grosso do Sul caiu 40% em comparação com o mesmo período de 2017. Já o número de vítimas, apresentou uma redução ainda maior, de 76%, conforme informa o Batalhão de Polícia Militar Rodoviária (BPMRv).

 

Foram quatro dias de intensa fiscalização que resultaram em mais de 260 autos de infração e apreensão de 3,7 toneladas de drogas.

 

A operação MS 41 empregou 160 policiais militares e fiscalizou os quase 15 mil quilômetros de estradas estaduais. Foram abordados 2.938 veículos e atendidos quase seis mil acidentes de trânsito, com duas vítimas graves e cinco vítimas leves.

 

A ação recuperou ainda dois veículos roubados e prendeu uma pessoa que utilizava a carteira de motorista falsa. De acordo com a Polícia Militar Rodoviária, foram registradas cinco ocorrências de descaminho e 40 pacotes de cigarro foram apreendidos.

 

Foram usadas 12 bases operacionais rodoviárias fixas distribuídas pelos municípios de Amambai, Campo Grande, Corumbá, Bonito, Dourados, Ivinhema, Maracaju, Nova Andradina, Paranaíba, Ponta Porã e Três Lagoas, além de 12 equipes volantes que percorreram pontos específicos das rodovias.

 

Operação MS 41

 

A Operação foi deflagrada na quinta-feira (11.10), às 6h e terminou nesta segunda-feira (15.10), às 6h.  Foram 96 horas de intensa fiscalização para controlar a velocidade dos veículos, combater a embriaguez ao volante, coibir ultrapassagens proibidas, atuar no enfrentamento ao tráfico de drogas, contrabando e descaminho. O nome da operação fez alusão aos 41 anos de criação do Estado.

 

Defesa Civil de MS monitora as regiões mais afetadas pelas fortes chuvas

A Coordenadoria de Defesa Civil de Mato Grosso do Sul (Cedec/MS) mantém monitoramento em todas as regiões do Estado suscetíveis a desastres naturais motivados pelo volume de chuvas acima da média nesse período do ano, priorizando os municípios que já decretaram situação de emergência em setembro: Amambai, Caarapó e Bandeirantes.

 

A meteorologia prevê chuvas localizadas acima da média durante a estação da primavera, com ocorrência de vendavais e subida repentina de níveis de rios. Na última semana, as precipitações atingiram áreas urbanas de Tacuru e Jardim e também regiões rurais de vários municípios.

 

Miranda: nível normal

 

Em Bonito, a elevação do nível do rio Miranda, nos dias 13 e 14 de outubro, chegou a 6,24 metros. O Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) lançou aviso de evento crítico, no dia 13, devido ao nível de emergência atingido pelo rio após chover 81 milímetros por 72 horas na região. O Miranda transbordou, contudo não afetou a população lindeira.

 

Boletim divulgado na manhã desta segunda-feira (15.10) pela Sala de Situação do Imasul indica que o rio Miranda voltou ao nível normal (4,59 metros) em Bonito, mantendo-se inalterado em Miranda (5,56 metros).