Campo Grande é a única Capital a participar de oficinas para atingir meta 2030 da ONU

Campo Grande é única do país a participar do “Projeto Inovação Social de Políticas Públicas – Oficina Regional com Técnicos da SNAS”. O projeto diz respeito aos ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – que são os 17 objetivos que contemplam 169 metas da Agenda 2030 da ONU.

 

A ideia é avaliar os projetos sociais que estão sendo desenvolvidos em Campo Grande com recursos federais, verificar como estão sendo executados e o que pode ser feito para ficar ainda melhor.

 

Primeira-dama e presidente do Comitê Gestor do FAC, Tatiana Trad explica estão sendo desenvolvidas oficinas para buscar a melhor aplicabilidade das políticas públicas.

 

1B9A1090“Creio que Campo Grande, assim como todos municípios de Mato Grosso do Sul, tem muito a ganhar com esse trabalho. Vamos desenvolver uma governança integrada entre todas as secretarias, nas esferas nacional, estadual e municipal. Essa integração visa um melhor atendimento daqueles que são os reais beneficiários dos programas, que são os munícipes. E hoje o que vai acontecer aqui vai trazer essa realidade. É uma etapa da oficina onde já foi garimpado todos os problemas, todos os programas que estão em desenvolvimento e agora vamos buscar soluções para este melhor aperfeiçoamento, para eficácia desses programas”, frisou.

 

Secretário-adjunto Nacional de Articulação Social, Cláudio Cavalcante Ribeiro explicou que o Governo Federal veio à Capital dar o suporte necessário para que se atinja a Agenda 2030. “Nós estamos aqui trabalhando uma etapa de um projeto que tenta utilizar os princípios e os fundamentos da inovação social para o aprimoramento de políticas públicas, visando atingir as metas da Agenda 2030. Então, nós estamos trabalhando com os objetivos do desenvolvimento sustentável e com a inovação social para que possamos ter um resultado melhor para a população”, frisou.

 

Para isso, o Governo Federal, em conjunto com o Estado e os Municípios, foi a campo ver quais eram as principais dificuldades e quais eram os principais problemas efetivos na execução das políticas públicas.

 

1B9A1166O prefeito Marquinhos Trad pontuou que é fundamental haver este direcionamento, pois sem direção certa não há como atingir o alvo.

 

“Qual direção teria uma flecha atirada sem um objetivo? Esta etapa é justamente para que a equipe da Secretaria Nacional de Articulação Social possa segurar o nosso arco, para que a nossa flecha tenha a direção certeira. Trazer efetivamente os resultados para que nós possamos continuar os serviços que estão sendo executados corretamente, melhorar e aperfeiçoar aqueles que necessitam de orientação técnica”, disse.

 

Marquinhos ainda pediu a celeridade do Governo Federal para superar os obstáculos da Lei 8.666. “Devem ser obedecidas, mas que a gente mostre uma vez por todas, principalmente para a comunidade que nos aguarda lá fora, que essas etapas foram realizadas e executadas não apenas na teoria, mas na prática”, afirmou.

 

Representando os demais municípios participantes, o prefeito de Sidrolândia, Marcelo Araújo, disse ter certeza que com essas ações as políticas públicas vão melhorar. “As pessoas que estão em nossos municípios esperam de nós as melhores ações, as melhores políticas públicas, o melhor uso dos recursos públicos. Nós poderemos com esse trabalho melhorar as nossas ações, as nossas políticas públicas com mais êxito”, finalizou.

Esportes