Combate com 170 homens e chuva reduzem focos de calor no Pantanal

A incidência de focos de calor no Pantanal de Corumbá, Miranda e Aquidauana, em Mato Grosso do Sul, reduziu significativamente nas últimas 24 horas com o combate intensivo da força-tarefa criada pelo Estado e a chegada das chuvas na região. De 120 focos registrados pelos satélites do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), na quarta-feira (6), ontem ocorreram 22, sendo 16 em Corumbá.

 

“Estamos caminhando para o controle do fogo, com trabalhos de rescaldo e monitoramento aéreo e terrestre das áreas ainda críticas”, informou o tenente-coronel Fábio Catarinelli, coordenador da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec).

 

Catarinelli adiantou, com base em estimativa do Inpe, que a área queimada no Pantanal, desde o dia 26 de outubro, e na borda do Parque Estadual do Rio Negro somam 173 mil hectares. O combate aos focos que atingiram a borda e o Parque Estadual do Rio Negro está sendo realizado por 44 homens. Os focos no Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema foram debelados.

 

Chove na região

 

A Operação Pantanal 2, coordenada pelo Corpo de Bombeiros do Estado, conta com um contingente de 170 homens e cinco aeronaves. O efetivo foi reforçado esta semana com a chegada de 38 bombeiros do Corpo de Distrito Federal. Participam ainda das ações o Corpo de Bombeiros do Estado, Ibama (Prevfogo), ICMbio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), Exército, Polícia Militar Ambiental (PMA), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Militar de Mato Grosso do Sul

 

As chuvas que caíram na região atingida pelos focos de calor somaram 70 milímetros, na quarta-feira. Com as mudanças no cenário das queimadas, devido aos ventos, a base operacional de combate foi transferida da fazenda BR Pec, que teve uma extensa área queimada, para a fazenda Bodoquena, situada na margem da MS-243, entre Miranda e Corumbá. Voltou a chover na região, no período da tarde desta quinta-feira.