Governo Presente começa nesta quinta; 14 prefeitos serão atendidos em dois dias

O governo municipalista de Reinaldo Azambuja inicia nesta quinta-feira (12.9) o Governo Presente, iniciativa que vai levar o gabinete para o interior. Será a primeira edição do projeto que aproximará ainda mais a administração estadual das pessoas. Em Três Lagoas, durante dois dias (12 e 13), o governador Reinaldo Azambuja vai receber demandas de 14 prefeitos e lideranças da região.

 

Além de Três Lagoas, passarão por atendimento Água Clara, Aparecida do Taboado, Bataguassu, Brasilândia, Cassilândia, Chapadão do Sul, Figueirão, Inocência, Paraíso das Águas, Paranaíba, Ribas do Rio Pardo, Santa Rita do Pardo e Selvíria.

 

Nesses 14 municípios já foram investidos mais de R$ 1,1 bilhão pelo governo estadual entre 2015 e 2019. Os recursos podem ser percebidos na construção em andamento do Hospital Regional de Três Lagoas, que vai abrir novos leitos; na edificação do prédio da Delegacia de Polícia Civil de Chapadão do Sul; na restauração asfáltica da MS-040, em Santa Rita do Pardo; e em outros empreendimentos espalhados pelas cidades.

 

“Ao longo dos últimos quatro anos e meio construímos parcerias que resultaram em investimentos nos 79 municípios. Administrar é isso, compartilhar situações e buscar soluções conjuntas. Agora, vamos reforçar nosso governo municipalista indo ao interior para nos aproximarmos ainda mais das pessoas”, afirma Reinaldo Azambuja.

 

Para o secretário especial de articulação política do Governo, Sérgio de Paula, o novo projeto vai descentralizar as ações da gestão estadual. “Vamos ampliar a discussão de projetos diretamente com vereadores, prefeitos e demais representantes do povo para poder potencializar a participação dos municípios no desenvolvimento do Estado”, avaliou.

 

Também estão envolvidas no “Gabinete Presente” as secretarias estaduais de Governo Gestão Estratégica (Segov); Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro); Infraestrutura (Seinfra); Saúde (SES); e Educação (SED). Secretários e técnicos também irão despachar com os representantes municipais.