Instituto Federal de MS: parceria com Estado permite instalação de estação meteorológica

Por meio de uma cooperação técnica entre e o Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) e o Governo Estadual, o Campus Nova Andradina recebeu nesta semana uma estação meteorológica automática, que irá contribuir para as pesquisas desenvolvidas no campus e auxiliar os produtores agrícolas locais.

 

A estação – cuja instalação foi finalizada na última segunda-feira, 9 – coleta informações referentes à temperatura, umidade, pressão atmosférica, velocidade e direção do vento, precipitação e radiação solar.

 

Além dos aparelhos que compõem a estação, há ainda um computador, responsável por transmitir as informações diretamente ao Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Após serem formatados, os dados retornam ao Centro de Monitoramento de Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos do MS (Cemtec), onde os técnicos do órgão irão transformá-los em boletins com dados sobre o clima e o tempo em Nova Andradina e região.

 

Isso permitirá a otimização das áreas ocupadas pelos produtores, a adequação com as melhores épocas de plantio e o aproveitamento gradativamente das áreas inativas, promovendo o incremento da produtividade agrícola.

 

A coordenadora de Extensão e Relações Institucionais do Campus Nova Andradina, Débora Cristina Ocon, destaca que a estação também será importante para as pesquisas voltadas à área de Ciências Agrárias – atualmente a unidade oferta os cursos técnicos em Agropecuária (integrado) e Zootecnia (subsequente), além das graduações em Agronomia e Produção de Grãos.

 

“Ela refletirá, do ponto de vista meteorológico, os dados da área, do perímetro do campus, apresentando informações com mais exatidão e representatividade para a leitura do clima e, consequente, para as pesquisas na área”.

 

Clima e tempo 

O docente Félix Placencia Garcia, que ministra aulas para os cursos de Ciências Agrárias do campus, explica que uma das vantagens da instalação da estação meteorológica em Nova Andradina é a coleta de dados in loco.

 

“Isso vai facilitar a tomada de decisão. As aplicações desenvolvidas pelo Inmet também utilizarão informações mais exatas, auxiliando no suporte aos produtores rurais”.

 

O professor também ressalta que, com o passar do tempo,  a exatidão das informações tende a aumentar. “Conforme tivermos um conjunto de dados maior, coletados ao longo de um período mais extenso, teremos parâmetros cada vez mais precisos”, finalizou.

 

Cooperação – O termo de cooperação técnica foi viabilizado por meio da Secretaria de Estado de Promoção e Agricultura Familiar (Sepaf), que deverá manter a estação funcionando, além de realizar a manutenção periódica dos sensores e demais instrumentos que a compõem. Já o IFMS, que cedeu a área para a instalação, ficará responsável pela conservação e limpeza do local.

 

A coleta e envio das informações meteorológicas no Campus Nova Andradina já se encontra em andamento e, em breve, as informações começarão a serem disponibilizadas publicamente, tanto na página do Inmet quanto na do Cemtec.

 

Além da estação de Nova Andradina, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro) prevê instalar outras 16 nos municípios do interior de Mato Grosso do Sul até o final de junho. Elas se somam às 28 estações que já operam no Estado.

 

Esportes