Santa Casa de Campo Grande realiza a 17ª captação de órgãos e tecidos; a 1ª do mês

A Organização de Procura de Órgãos (OPO) da Santa Casa de Campo Grande realizou, na sexta-feira (10), o primeiro acompanhamento e captação de órgãos e tecidos do mês de julho. O paciente doou coração, fígado, rins e córneas ao evoluir para morte encefálica, dias depois de ser internado devido a um traumatismo craniano grave.

 

O coração captado foi encaminhado para Brasília e o fígado do paciente foi levado para o Rio de Janeiro. O transporte dos órgãos e das equipes contou com o apoio da Força Aérea Brasileira (FAB). Já os rins, captados pela equipe de Urologia da Santa Casa, tiveram destinos diferentes: um foi para Salvador/BA e o outro para São Paulo, em voos comerciais. Além disto, as córneas doadas permaneceram no Banco de Olhos do hospital para análise e, posteriormente, serem transplantadas.

 

A OPO Santa Casa registrou neste ano 17 doações em que foram captados quatro corações, sendo que dois deles ficaram no hospital e transplantados em pacientes que estavam internados com estágio avançado da doença e que há anos aguardavam a compatibilidade do órgão, 23 rins sendo que 13 foram transplantados em pacientes que faziam tratamento de hemodiálise há mais de um ano e seis fígados que puderam ajudar na recuperação de pacientes em todo o país.

 

De janeiro a junho de 2020 o hospital contabilizou 56 pacientes que evoluíram para morte encefálica, sendo realizadas 33 entrevistas sobre a possibilidade da doação de órgãos e, destas, 17 famílias autorizaram. Com a doação de múltiplos órgãos e tecidos é possível ajudar até nove pessoas que aguardam nas listas nacionais de transplantes.

POLÍTICA