Estudo aponta relação entre consumo de drogas e internações por trauma: álcool, cocaína e maconha

 

Estudo conduzido por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e colaboração de pesquisadores do Hospital Universitário de Oslo, na Noruega, mostrou que 31,4% das pessoas internadas por trauma no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina (HC/FM-USP) apresentavam traços de consumo de substâncias psicoativas.

 

O álcool foi a substância mais encontrada, com 23%, seguido da cocaína (12%) e da maconha (5%). Em 9% das amostras de sangue foram encontrados sinais de mais de uma droga.

O estudo foi feito entre julho de 2018 e junho de 2019 com pacientes maiores de 18 anos que tiveram lesões traumáticas por acidentes de trânsito, quedas e episódios de violência, como agressões, armas de fogo e esfaqueamentos.

 

Entre os pesquisados, 44% apresentaram algum padrão de consumo prejudicial de álcool. Com idade média de 36 anos, os 376 participantes do estudo, dos quais 80% eram homens, foram recrutados dentro do próprio Hospital das Clínicas. As amostras de sangue eram coletadas depois de os pacientes já estarem estabilizados, no máximo seis horas depois do acidente. Os voluntários também responderam questões socioeconômicas.

 

Segundo a pesquisa, das hospitalizações analisadas, 56% foram causadas por acidentes de trânsito, e quase metade deles envolveu motociclistas. Entre estas pessoas, 31% tiveram resultado positivo em testes sobre uso de entorpecentes. Entre os voluntários do estudo, a prevalência de consumo de substâncias psicoativas era maior em homens (35%), indivíduos entre 18 e 39 anos (41%), solteiros (43%) e pacientes que sofreram traumas no período noturno (44%).

 

“São grupos que tendem a consumir mais drogas e a se expor mais a situações de risco. O álcool ainda é a substância de maior preocupação em questão de saúde pública. O dado interessante é que os mais impactados por esses acidentes foram os motociclistas. Pela primeira vez, motociclistas ultrapassaram pedestres em taxa de letalidade, porque eram o principal grupo atingido. Desde 2018, eles ocupam a primeira colocação, talvez pelo aumento do número de aplicativos de entrega”, disse Henrique Bombana, um dos autores do estudo e pesquisador colaborador do Centro de Ciências Forenses da FM-USP.

 

Bombana destacou que, quanto mais grave o acidente, maior a prevalência do uso de drogas. “Alguns estudos já demonstram que pacientes com lesões traumáticas que fizeram uso de substâncias estimulantes, como cocaína, tendem a ter lesões mais graves do que aqueles que não usaram nada. Nós conseguimos observar, comparando com outros estudos, que também com motoristas no trânsito, a sequência do uso do álcool e drogas aumenta com relação a acidentes e mortes.”

 

Treze por cento dos participantes da pesquisa foram hospitalizados em decorrência de atos violentos. Metade apresentava lesões por armas de fogo, um quarto por agressões físicas e um quinto por traumas penetrantes, como esfaqueamentos. Nesse grupo, foi maior a prevalência de uso de álcool e drogas ilícitas (44%) e mais baixa a média de idade (31 anos). Nas agressões físicas, as amostras positivas para entorpecentes chegaram a 75%.

 

As internações provenientes de quedas representaram 32% dos indivíduos, com idade média de 42 anos, dos quais 29% haviam consumido álcool ou drogas ilícitas. O estudo também indicou que a prevalência do uso de cocaína foi maior entre os pacientes e que a combinação entre álcool e cocaína foi a mais encontrada nas amostras dessa investigação.

 

De acordo com Bombana, não havia dados sobre o uso dessas substâncias entre pacientes graves de traumas e a existência de tais informações poderia contribuir para a elaboração de políticas públicas de conscientização e prevenção. Para o pesquisador, ainda é preciso aprofundar os estudos com relação ao tema, mas é possível afirmar que é necessário que fiscalizar, principalmente no trânsito, não só o consumo de álcool, que já é feito, mas de outras drogas, como cocaína e maconha. “Existem alguns métodos para isso, mas não são usados no Brasil, também por falta de investimento”, afirmou.

 

(Agência Brasil)

Material escolar reaproveitado ajuda famílas a economizar nas compras; até livros didáticos podem ser reutilizados

 

Mais um ano letivo se aproxima, e os pais têm que dar a atenção aos filhos em férias e, ao mesmo tempo, cuidar da compra do material escolar. Em grande parte das escolas, a volta às  aulas está programada para fevereiro. Com estimativa de alta de até 30% nos preços do material escolar, uma das alternativas é reaproveitar os itens do ano anterior.

 

É o que pretende fazer a dona de casa Amanda Oliveira do Nascimento. Mãe de Ana Luísa, de 6 anos, que vai para a 1ª série do ensino fundamental em uma escola particular no Rio de Janeiro, Amanda diz que vai reaproveitar alguns itens, como lápis, borracha e apontador.

 

A dona de casa, que já comprou os demais itens da lista, constatou aumento de preços do material escolar. “Aumentaram justamente quando começou a campanha da volta às aulas. Por exemplo, um caderno brochura de 96 folhas, estava por R$ 7,90, no mesmo dia que coloquei no carrinho do aplicativo, aumentou para R$ 9,90 antes de eu conseguir finalizar a compra.”

 

A educadora financeira Lorelay Lopes diz que reutilizar o que está conservado é uma boa alternativa para economizar. “Guardando o material do ano anterior, a pessoa vai apenas repondo o necessário. Isso vale, por exemplo, para lápis de cor e canetinhas, priorize a marca. Assim, você pega aquela cor que desapareceu da sobra de anos anteriores. Borrachas de qualidade duram muito. O principal é conscientizar a criança de que, ao comprar algo apenas para ter uma coisa nova, gera-se lixo desnecessariamente. O resultado é economia e educação.”

 

Lorelay indica o comércio eletrônico para fazer a comparação de preços. “Quanto ao que precisa realmente ser comprado, a internet está aí para que possamos comparar preços. Com muitos sites oferecendo frete grátis, comprar tudo pela internet salva seu tempo e seu dinheiro.”

 

No entanto, o ambiente virtual também pode ser um influenciador para crianças desejarem materiais novos e diferentes, ressalta a educadora financeira. “A internet está cheia de vídeos com crianças expondo material escolar importado. Mas também tem muito conteúdo sobre como reaproveitar o material antigo. Fique de olho nas influências, no por quê as crianças acham tão importante ter tudo novo na volta às aulas. Conscientize, explique o impacto das compras”, recomenda Lorelay.

 

Já a analista financeira Rosana Archila Michelin, mãe de Diego, que vai para o 3° ano do ensino fundamental em uma escola pública de São Paulo, não precisa se preocupar com a compra de material escolar. É que o estado fornece kits de material escolar para os estudantes.

 

Mesmo assim, Rosana diz que reaproveitará material do ano passado porque a entrega dos kits é feita em meados de fevereiro, depois de iniciadas as aulas. “O kit vem com uma quantidade que dá para aproveitar nos outros anos. Então, aproveito os lápis de escrever, apontador, régua, borracha e cola branca”. Na rede pública, os livros também são fornecidos pelo estado.

 

Livros usados

 

Hoje (29) é dia Nacional do Livro. Na foto, o Sebinho, em Brasília, é referência no setor de livros usados. Possui um amplo acervo de títulos nas mais variadas áreas (José Cruz/Agência Brasil)
Comprados em sebos ou de outros alunos, livros usados ajudam a reduzir gasto com material – José Cruz/Arquivo/Agência Brasil

 

 

A empresária Claudia de Oliveira Rocha, mãe de Julia, de 14 anos, que vai começar o 1º ano do ensino médio em uma escola particular de São Paulo, conta que a  única vez que conseguiu aproveitar livros usados foi quando a filha trocou de colégio, em meados de 2019. “Consegui os livros de uma aluna que tinha mudado para outra escola depois de ter comprado os livros. E ainda dois livros de história da arte que ela usou do 7º até o 9º ano.”

 

Segundo Claudia, no colégio anterior, existia a Ciranda de Livros, que são livros de literatura que os alunos leem ao longo do ano. “Estes eu conseguia emprestar ou pegar emprestado, às vezes, pois a própria escola não repetia. Então, os do Juan [filho mais velho], que já havia passado da 5ª série, por exemplo, às vezes, eu conseguia emprestar para uma amiga quando o filho dela chegava à 5ª série.”

 

Para a educadora financeira Lorelay, é importante essa rede de contatos para troca ou venda de livros usados. “Use e abuse dos grupos de pais e mães do WhatsApp. A troca entre os anos faz toda diferença nessa hora. Venda os seus livros nos grupos de alunos que ingressam no ano escolar anterior ao de seu filho e compre dos que estão um ano à frente. Sem vergonha de economizar e cuidar do planeta.”

 

No entanto, muitos livros didáticos das séries iniciais são interativos, ou seja, usam recursos didáticos como jogos de recortar, adesivos, desenhos para colorir e lacunas de preenchimento que inviabilizam a reutilização. O jeito é ficar de olhos nos descontos, como faz Amanda, do Rio de Janeiro. “Nunca comprei livros didáticos usados. Porque a escola oferece e dá desconto pagando tudo de uma vez e também porque é o primeiro ano do ensino fundamental.”

 

Erica Cardoso, gerente de Marketing e Comunicação da Estante Virtual, um sebo que vende livros usados pela internet, explica que 80% dos livros comprados no início do ano são seminovos e usados. “A procura de paradidáticos é para todos os anos do ensino fundamental ao ensino médio. Já os didáticos mais buscados são os a partir do 6º ano.”

 

No caso dos livros em que os estudantes escrevem, muitos são aceitos, mas os didáticos têm algumas particularidades, diz Erica. “Primeiro, é o fato de as edições terem tempo de validade, que varia de dois a quatro anos. Normalmente, as escolas pedem uma edição específica, a mais atual. Os livros didáticos no Brasil não são feitos para durar. Muitas coleções até quebram o conteúdo em um caderno principal e um de exercícios, o que permite a compra separada apenas da parte perecível, mas este não é um padrão universal.”

 

Livros já usados ou com grifos e anotações podem ser vendidos na Estante Virtual. “Todos os seminovos e usados disponíveis no site têm descrições detalhadas dos vendedores sobre o estado de conservação e condições gerais”, explica Erica, que lamenta o fato de edições muito antigas e de publicações com muitos exercícios feitos não serem atrativas e perderem valor. “Já os paradidáticos, que são as leituras obrigatórias e/ou sugeridas pelas escolas, não sofrem tanto esse efeito.”

 

Erica ressalta que o cenário econômico tem impulsionado a procura por livros usados. “Estamos com aumento de visitas e de vendas de 40% em relação ao mês de dezembro, muito puxado pela busca de livros didáticos. A compra de livros seminovos e usados é uma realidade no atual cenário de inflação, com preços mais altos em tudo que é essencial. Então, vemos o sebo como uma oportunidade para os pais economizarem neste período em que a compra de material didático pesa no orçamento.”

 

Dicas para economizar

 

material escolar
Comprados em conjunto, no atacado, por grupos de pais, itens como lápis de cor ficam mais baratos – Arquivo Agência Brasil

 

 

O educador financeiro Roberto de Souza Barbosa, da Escola de Pais XD, tem dicas para que os pais economizem na compra do material escolar e recomenda que estes ensinem educação financeira aos filhos:

 

– Faça uma lista do que é básico. “Algumas escolas já oferecem aos alunos, mas, se este não for o seu caso, faça a própria lista e lembre-se de colocar o que for realmente básico, porque na papelaria há muitas coisas que são uma tentação aos olhos dos pais e dos filhos.”

 

– Pesquise em pelo menos três sites na internet e veja os orçamentos. “Compare os preços das lojas, olhe em aplicativos, que sempre têm promoções e vendem a preços acessíveis, pois, às vezes, mesmo pagando o frete, os produtos ainda saem mais baratos.”

 

– Cuidado com as exigências dos pequenos. Todos os pais e mães já devem ter passado por isso: os filhos veem aqueles artigos coloridos, com desenhos, que custam o triplo ou quatro vezes mais que os outros. “Estamos vivendo uma época em que toda economia é bem-vinda, seja a curto ou longo prazo. E estamos em um período em que o IPTU e o IPVA vão começar a chegar. Portanto, tenham equilíbrio para agradar a criança, mas não se endividar com isso.”

 

– Compre em conjunto. “Junte-se a outros pais para comprar o material em conjunto, pois no atacado sai bem mais barato. Por exemplo, ao invés de comprar cinco lápis de escrever, compra-se uma caixa fechada e divide-se com os demais. Haverá uma quantidade maior e ainda sairá mais barato para todo mundo.”

 

– Compre à vista. “Eu sei que talvez este não seja um bom momento, porém, se puder, pense a respeito, pois à vista é possível conseguir um descontinho maior, que vai ajudar bastante.”

 

– Dê prioridade ao que for urgente. “Se sua condição na hora da compra estiver difícil, priorize o que for urgente e compre o restante no decorrer das aulas.”

 

(Agência Brasil)

ANAC dá primeira autorização para entrega comercial usando drones

 

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) concedeu a primeira autorização para uma empresa utilizar drones para entregas comerciais. A contemplada foi a companhia Speedbird Aero, que poderá utilizar aeronaves não tripuladas em suas operações de entrega de produtos.

 

A Speedbird Aero utilizará a aeronave pilotada remotamente chamada DLV-1 NEO. Poderão ser carregadas cargas de até 2,5 quilos em um raio de até 3 quilômetros. A autorização contempla áreas rurais e urbanas.

 

Mas a licença envolve uma série de requisitos e parâmetros de segurança. Entre eles estão não sobrevoar pessoas, manter distância de fontes de interferência eletromagnética e respeitar as alturas máximas e mínimas fixadas pela ANAC.

 

O processo de análise do pedido durou oito meses. Técnicos da ANAC acompanharam quatro ensaios com a empresa, sendo três voltados para observação das características físicas do equipamento e outro para analisar a atuação operacional.

 

(Agência Brasil)

Reforço de marca diferente é mais eficaz para vacinados com CoronaVac

 

A pesquisa analisou dados de 1.240 voluntários em São Paulo e Salvador que receberam doses da CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan, em um intervalo de seis meses antes do início do estudo. Os voluntários receberam doses de reforço da Janssen, Pfizer-BioNTech e AstraZeneca e da própria CoronaVac.

 

Os índices de aumento da concentração de anticorpos, 28 dias após a dose de reforço, ficaram em 152% para a vacina da Pfizer-BioNTech; 90% para a da AstraZeneca; 77% para a da Janssen, e 12% para a CoronaVac.

 

 

“Em adultos idosos, a diferença dos títulos de anticorpos neutralizadores foi entre 8 e 22 vezes maior em esquemas heterólogos de reforço do que no reforço homólogo com a CoronaVac”, relataram os autores do estudo.

 

 

Conforme os autores, o uso das doses de reforço mostrou eficácia contra variantes como a Delta e a Ômicron. O estudo também apontou a necessidade da dose de reforço para quem completou o ciclo com a CoronaVac.

 

A pesquisa foi publicada no periódico científico Lancet

 

(Agência Brasil)

TripAdvisor: 7 destinos brasileiros estão entre os melhores do mundo em 2022

 

Sete destinos brasileiros estão entre os melhores do mundo neste ano, segundo o prêmio “Travellers Choice 2022”, da plataforma TripAdvisor. Os atrativos nacionais constam em quatro categorias, com destaque para Natal (RN) e Paraty (RJ) que aparecem na lista de destinos em alta para 2022 e o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, que despontou com um dos principais locais para quem procura opções ao ar livre. Já São Paulo (SP) foi eleita uma das dez cidades do mundo para quem ama gastronomia e Rio de Janeiro (RJ), Praia Grande (SC) e Campos do Jordão (SP) para quem prefere destinos de sol.

 

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, parabenizou os destinos brasileiros premiados e destacou a importância do reconhecimento para a promoção dos destinos nacionais mundo a fora. “Estamos muito satisfeitos com o reconhecimento destes atrativos por meio dos turistas que utilizam o TripAdvisor. É um reconhecimento dos esforços de todo o setor para promover passeios e viagens inesquecíveis, mas, também, reflexo da hospitalidade do povo brasileiro e das belezas naturais e encantadoras que o nosso país possui. Temos potencial para muito mais e trabalharemos para isso”, destacou.

 

Um dos principais destinos em alta para 2022, a cidade de Natal (RN) guarda grandes atrativos turísticos, principalmente para os apaixonados por sol e mar. Além das praias deslumbrantes, os turistas podem apreciar a culinária sem igual, uma arte ímpar, cultura e uma hospitalidade que só os natalenses têm. Outra que apareceu na lista, Paraty (RJ) é palco de uma das principais feiras literárias do mundo e é considerada um destino-referência no segmento de turismo cultural, de acordo com o Ministério do Turismo. Em 2019, recebeu o primeiro título de Patrimônio Mundial Misto do Brasil, pela Unesco.

 

Para quem ama sol, os turistas destacaram como opções as cidades do Rio de Janeiro (RJ), Praia Grande (SC) e Campos do Jordão (SP). A primeira é uma das queridinhas dos viajantes estrangeiros e nacionais e uma das mais belas do Brasil. A segunda tem despontado por suas riquezas naturais, principalmente por seus Canyons, já que está situada aos pés de vários deles, como o Itaimbezinho e o Malacara. E a última, dispensa comentários, não é mesmo? Cercada de romantismo, a cidade oferece atrações para quem busca a tríade sossego, boa gastronomia e festivais culturais.

 

São Paulo (SP) figurou entre os destinos preferidos de quem ama gastronomia. E não foi por menos, lá os turistas podem degustar a culinária de cada região do país, além de pratos internacionais por meio de seus diversos restaurantes de gastronomia.

 

E por fim, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, localizado no município de Alto Paraíso (GO), foi escolhidos um dos principais destinos para quem gosta de opções de passeios ao ar livre. Reconhecida como Patrimônio Natural da Humanidade, a cidade possui grande diversidade de fauna e flora, além do emaranhado de montanhas e nascentes que descem rios formando corredeiras, cânions e cachoeiras, deixando os visitantes deslumbrados.

Indústrias de máquinas contestam cobrança de diferencial de ICMS em 2022

 

A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) pede ao Supremo Tribunal Federal (STF) que a Lei Complementar (LC) 190/2022, editada para regular a cobrança do Diferencial de Alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (Difal/ICMS), não produza efeitos este ano. Na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 7066, com pedido de liminar, a entidade argumenta que, como a lei foi promulgada em 2022, a cobrança só poderá vigorar em 2023, em obediência ao princípio constitucional da anterioridade geral (ou anual).

 

Lei complementar

 

A cobrança do Difal/ICMS foi introduzida pela Emenda Constitucional (EC) 87/2015 e era regulamentada por um convênio do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). Em fevereiro de 2021, o STF decidiu que esse mecanismo de compensação teria de ser disciplinado por meio da edição de lei complementar.

 

Ao final do julgamento conjunto do Recurso Extraordinário (RE) 1287019, com repercussão geral (Tema 1.093), e da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5469, os ministros decidiram que a decisão produziria efeitos apenas a partir de 2022, dando oportunidade ao Congresso Nacional para que editasse lei complementar sobre a questão. Em dezembro de 2021, o Congresso aprovou a LC 190, mas a sanção ocorreu apenas em 4 de janeiro de 2022.

 

Anterioridade anual

 

Na ação, a associação sustenta que, embora a lei estabeleça a necessidade de observar o prazo constitucional de 90 dias (anterioridade nonagesimal) para que passe a fazer efeito, essa norma deve ser aplicada em conjunto com o princípio da anterioridade anual, que veda a possibilidade da cobrança de impostos “no mesmo exercício financeiro em que haja sido publicada a lei que os instituiu ou aumentou” (artigo 150, inciso III, alínea “b”, da Constituição Federal).

 

Insegurança jurídica

 

Segundo a entidade, o texto da lei tem gerado controvérsias sobre o início de cobrança do Difal em operações interestaduais para consumidor final não contribuinte do ICMS. Em pronunciamentos oficiais, a maioria dos estados já está comunicando aos contribuintes que as operações serão oneradas após transcorrido o prazo da “noventena”, diante da menção ao dispositivo constitucional no artigo 3º da LC 190/2022.

 

A Abimaq argumenta que essa situação estaria gerando insegurança jurídica e que as empresas estariam submetidas a uma situação de risco que poderá levar à uma “enxurrada de processos” em cada unidade da federação para questionar a cobrança.

 

O relator da ADI 7066 é o ministro Alexandre de Moraes.

 

Poder Executivo deverá explicar à PGR nova regulação de cavernas

 

A Procuradoria-Geral da República enviou oficios aos ministros do Meio Ambiente e de Minas e Energia – Joaquim Leite e Bento Albuquerque, respectivamente – e ao advogado-geral da União, Bruno Bianco Leal, solicitando informações sobre o Decreto nº 10.935/2022, que trata da disciplina das cavidades naturais subterrâneas (cavernas) existentes em todo o território nacional. O MPF pede aos Ministérios o histórico normativo do tema, incluindo alterações em 1990, 2008 e 2022, com as razões que motivaram as mudanças normativas ao longo do tempo e a avaliação dos resultados e dos impactos a elas associados. À AGU, o órgão pede considerações preliminares sobre a constitucionalidade do decreto editado em janeiro.

 

As informações vão subsidiar análise do tema no âmbito da Assessoria Constitucional do Gabinete do procurador-geral da República. O objetivo é aprofundar o exame do decreto e verificar sua adequação às regras previstas na Constituição Federal, de modo a subsidiar eventual atuação do PGR perante o Supremo Tribunal Federal no caso. Os ofícios foram assinados no último dia 17.

 

O assunto é objeto de análise do MPF desde o ano passado, quando foram feitas reuniões entre representantes do Ministério de Minas e Energia (MME) e das Câmaras de Coordenação e Revisão relacionadas à temática. O procurador-geral da República, Augusto Aras, destaca a importância da preservação desse patrimônio que tem valor histórico, paisagístico, turístico e ambiental, entre outros. Ele lembra que o país conta com cerca de 30 mil cavidades subterrâneas, com características diversas, o que faz com que a adequada proteção desse patrimônio demande análises e ações complexas.

 

Sobre o decreto, Aras pontua que essa análise está em curso na PGR, mesmo no recesso do Judiciário, sem prejuízo de eventuais medidas que venham a ser adotadas perante a Justiça Federal em primeira instância, para proteção das cavernas distribuídas pelo território nacional. No Distrito Federal, por exemplo, o MPF já instaurou inquérito civil sobre o assunto, para analisar a possibilidade de questionar o decreto em primeira instância.

 

Avaliação da Câmara Ambiental

 

A Câmara de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural do MPF (4CCR) realizou uma análise inicial sobre o assunto e enviou, nesta semana, informações preliminares ao procurador-geral da República, Augusto Aras, e ao MPF no Distrito Federal. De acordo com o órgão colegiado, a norma reduz a proteção das cavernas brasileiras e ameaça áreas intocadas. A 4CCR alerta que a regra não observou princípios constitucionais como o da vedação ao retrocesso ambiental. Além disso, frisa que as cavidades naturais subterrâneas e os sítios arqueológicos e pré-históricos são bens de propriedade da União e, de acordo com a Constituição, devem ser integrados ao patrimônio cultural brasileiro, sendo dever do poder público e da comunidade a sua proteção.

Calor se intensifica e Estado pode registrar máximas de 40°C hoje

 

O domingo (23) será de tempo firme em todas as áreas de Mato Grosso do Sul, com destaque para o calor que conforme a meteorologia, deve se intensificar.

 

O sol predomina entre poucas nuvens ao longo de todo o dia, e as temperaturas seguirão bastante elevadas podendo chegar aos 40°C nas regiões pantaneira e sudoeste.

 

De acordo com o Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima uma ampla circulação anticiclônica em médios níveis favorece o tempo estável. Mas a passagem de cavados combinada ao aquecimento diurno pode provocar pancadas de chuvas e tempestades bem isoladas nas regiões pantaneira e centro-norte.

 

Para o domingo são esperadas temperaturas mínimas entre 20°C a 26°C no Estado, enquanto as máximas podem variar entre 29°C a 40°C. São esperados índices de umidade relativa do ar abaixo de 30%. Ingerir bastante líquido para aumentar a hidratação do corpo, umidificar ambientes e evitar exposição direta ao sol estão entre as recomendações para aliviar o desconforto do tempo seco.

 

Confira no mapa as condições de tempo e temperatura estimados pelo Cemtec para Campo Grande e alguns municípios de Mato Grosso do Sul.

IFMS: Inscrições para qualificação profissional a distância vão até hoje

 

O Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) recebe até este domingo, 23, as inscrições no processo seletivo com 1.730 vagas para cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) na modalidade a distância em Espanhol Básico I e II, Inglês Básico I e II, Operador de Computador e Vendedor.

 

Os cursos terão polos presenciais em oito cidades onde o IFMS possui campi (Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Coxim, Dourados, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas) e em 10 municípios onde não há unidades da instituição (Amambai, Antônio João, Camapuã, Costa Rica, Figueirão, Nova Alvorada do Sul, Porto Murtinho, Ribas do Rio Pardo, São Gabriel do Oeste e Sonora). Nesses casos, a coordenação do curso será feita pelo campus mais próximo.

 

Os cursos são de qualificação profissional a distância, também chamados FIC EAD, possuem duração média de quatro meses e preveem encontros semanais presenciais no polo em que o estudante estiver matriculado. As aulas estão previstas para começarem em março.

 

O quadro completo de vagas, com a escolaridade e a idade mínimas exigidas para o curso escolhido e dias e turnos dos encontros presenciais, e o cronograma do processo seletivo estão disponíveis no edital de abertura, publicado na Central de Seleção do IFMS.

 

Inscrições – São gratuitas e devem ser feitas na Página do Candidato da Central de Seleção.

 

No ato da inscrição, o candidato deverá informar o número do Cadastro de Pessoa Física (CPF) em seu nome e escolher uma das opções de cursos oferecidos pelo IFMS no edital.

 

Os candidatos que não têm acesso à internet poderão fazer a inscrição nos endereços e horários informados no anexo III do edital de abertura do processo seletivo, de segunda a sexta-feira, exceto em recessos e feriados.

 

Seleção

 

Os inscritos serão selecionados e classificados por sorteio eletrônico, a ser realizado no dia 26 de janeiro, sob responsabilidade do Centro de Referência em Tecnologias Educacionais e Educação a Distância do IFMS (Cread).

 

Cada candidato receberá um número de participação no sorteio. A classificação será feita de acordo com a ordem dos números sorteados.

 

O resultado preliminar do sorteio, com a classificação de todos os inscritos, será publicado no dia 28. A classificação final do processo seletivo e a primeira chamada estão previstas para 2 de fevereiro.

 

Os candidatos aprovados e convocados para os cursos de línguas deverão realizar prova de nivelamento entre 3 e 6 de fevereiro. O resultado será divulgado no dia 8.

 

As matrículas da primeira chamada deverão ser feitas entre os dias 9 e 11 de fevereiro. As chamadas subsequentes para vagas remanescentes começam no dia 15. O início das aulas está previsto para 7 de março.

 

Dúvidas sobre o edital devem ser enviadas ao e-mail .

 

Quadro de vagas

Campus Cidade/Polo Curso Vagas
Aquidauana Aquidauana Vendedor 40
Operador de Computador 40
Campo Grande Campo Grande Vendedor 40
Vendedor 40
Operador de Computador 40
Operador de Computador 40
Ribas do Rio Pardo Operador de Computador 40
Vendedor 40
Nova Alvorada do Sul Operador de Computador 40
Vendedor 40
Inglês básico I 20
Corumbá Corumbá Operador de Computador 40
Vendedor 40
Coxim Coxim Operador de Computador 40
Vendedor 40
Sonora Inglês Básico I 20
Inglês Básico II 20
Espanhol Básico II 20
São Gabriel do Oeste Inglês Básico I 20
Espanhol Básico I 20
Vendedor 40
Operador de Computador 40
Figueirão Vendedor 40
Operador de Computador 40
Camapuã Inglês Básico I 20
Inglês Básico II 20
Espanhol Básico I 20
Espanhol Básico II 20
Vendedor 40
Operador de Computador 40
Dourados Dourados Operador de Computador 40
Operador de Computador 40
Vendedor 40
Vendedor 40
Jardim Porto Murtinho Espanhol Básico I 60
Nova Andradina  Nova Andradina Inglês Básico I 40
Espanhol Básico I 40
Ponta Porã Amambai Espanhol Básico I 20
Inglês Básico I 20
Inglês Básico II 20
Vendedor 80
Operador de Computador 20
Ponta Porã Operador de Computador 25
Vendedor 35
Antônio João Operador de Computador 20
Vendedor 20
Três Lagoas Três Lagoas Vendedor 40
Operador de Computador 40
Espanhol Básico II 20
Costa Rica Espanhol básico II 20
Inglês básico II 20
Operador de Computador 30