Santa Casa realizou mais de 1,5 milhão de atendimentos e procedumentosw

 

Dados tabulados de sala de Situação e Inteligência da Santa Casa de Campo Grande de Atendimento descobriram que, durante todo o ano 2021, o hospital experimentou 1.544.564s e procedimentos entre internações por especialidade na urgência e emergência, cirurgias e exames no geral. Números que cuidam dos pacientes à importância da Instituição mais diversas das patologias da Capital, do Estado e dos países vizinhos.

 

Ao longo de 2021, apenas no Pronto-socorro que recebe pacientes pelo Sistema Único de Saúde (SUS), 42.579 pessoas deram entrada na urgência e emergência. Já na linha privada, no Prontomed, foram recebidos3 11.35 pacientes no decorrer do ano. E dos 18.899 internados para intervenções no hospital, foram realizados 38.939 procedimentos. Sendo que as quatro especialidades que mais operaram foram: ortopedia e traumatologia com 22.361; neurocirurgia com 5.657; cirurgia vascular com 2.710 e cirurgia geral com 2.318. Que juntas representam 85% no ano geral de procedimentos cirúrgicos anteriores.

 

Na maternidade da Santa Casa, foram registrados 2.529 partos no último ano, uma média de 211 partos por mês. Sendo que 2.363 partes foram pelo SUS e outros 166 na linha privada.

 

Em relação ao número de exames laboratoriais, a Santa Casa realizou uma média de 104,026 mil por mês, o que totalizou ao final dos 12 meses 1.248.314. Já os exames por imagens foram 203.379 no ano. O Centro de Imagens produziu o montante de 1 raio-x, 56.3975 diagnósticos por diagnósticocardiogramas, 18.380 ultrassonografias e 18.817 ressonâncias magnéticas, além de 15.57 outros exames de ecocardiograma, outros exames de ecocardiograma e endoscopia.

 

DOF apreende quase 120 quilos de drogas no município de Paranhos

 

O DOF (Departamento de Operações de Fronteira), apreendeu na sexta-feira (21/01), na MS-295 na zona rural do município de Paranhos, 119.68 quilos de entorpecentes, em um Renault/Kwid. Na ação ninguém foi preso.

 

Os policiais faziam bloqueio na rodovia quando o condutor do veículo, ao perceber a barreira policial, abandonou o carro carregado em uma plantação e fugiu em meio a uma mata. No Kwid foram localizados 106,95 de maconha e 12,73 quilos de skank.

 

Foram realizadas rondas na região, mas nenhum suspeito foi encontrado. O material apreendido, avaliado em mais de R$ 260 mil, foi encaminhado à Delegacia da Polícia Civil de Paranhos.

 

A ação envolvendo os policiais do DOF aconteceu dentro da Operação Hórus, parceria da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública com o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

 

O DOF mantém um canal aberto direto com o cidadão para tirar dúvidas e fazer denúncias no telefone 0800 647-6300. Não precisa se identificar e, a ligação, será mantida em absoluto sigilo. O serviço funciona 24 horas por dia, sete dias por semana.

V Concurso Extrajudicial: TJ convoca candidatos para prova escrita e prática

 

Foi publicado no Diário da Justiça desta sexta-feira, dia 21 de janeiro, o edital de convocação dos candidatos habilitados após o resultado definitivo da prova objetiva, incluindo os candidatos na condição de Pessoa com Deficiência, para a realização da prova escrita e prática do V Concurso Público para Outorga e Delegação de Serviços Notariais e Registrais do Estado de Mato Grosso do Sul, de ambos os critérios de ingresso (provimento e remoção). As provas serão realizadas no dia 6 de fevereiro (domingo), das 13 às 18 horas (horário local), na Universidade Católica Dom Bosco, situada na Avenida Tamandaré, 6000, em Campo Grande.

 

Os candidatos deverão, obrigatoriamente, acessar o endereço eletrônico www.institutoconsulplan.org.br para consultar por meio de busca individual o Documento de Confirmação da Convocação.

 

Na Prova Escrita e Prática será permitida a consulta apenas à legislação, desacompanhada de qualquer comentário, anotação, comparação, jurisprudência, exposição de motivos ou súmula dos Tribunais, vedada a utilização de qualquer tipo de cópias xerográficas, especialmente de livros doutrinários e/ou de obras publicadas.

 

A Comissão Examinadora esclarece que é proibida a consulta a textos grifados ou realçados, a obras de doutrina, a obras que contenham formulários e/ou modelos, a anotações pessoais, a dicionários, a revistas, a folhetos, a calendários e a apostilas. Também é igualmente vedado o empréstimo de material de consulta entre os candidatos.

 

Será permitido o uso de post-it e assemelhados desde que não contenham qualquer anotação ou comentário. Qualquer legislação que contenha exposição de motivos, jurisprudência, súmulas ou outros conteúdos proibidos, poderá ser utilizada, desde que as folhas a elas referentes estejam previamente grampeadas pelo(a) candidato(a). Não será permitida a consulta a Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul e dos Tribunais Superiores.

 

Serão observadas medidas rígidas de segurança à saúde na data e local da realização da prova, como distanciamento social, exigência do uso de máscara cobrindo nariz e boca, higienização das mãos na entrada do local de prova e na entrada da sala respectiva, dentre outras.

 

O Concurso Extrajudicial do TJMS destina-se à seleção dos interessados na outorga de delegação de serviços notariais e registrais, pelo Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul, em 60 serventias atualmente vagas, sendo 40 a serem preenchidas por candidatos inscritos no critério de Provimento e 20 para preenchimento no critério de Remoção.

 

Do total de vagas disponíveis, 5% é reservado para Pessoas com Deficiência (PcD). Para as vagas com ingresso por remoção, puderam se inscrever os titulares de serventias extrajudiciais do Estado de Mato Grosso do Sul que já tenham a delegação por mais de dois anos. Para as vagas com ingresso por provimento se inscreveram candidatos que tenham concluído a graduação em Direito ou que tenham exercido, por 10 anos completos, função em serviço notarial ou de registro.

 

As provas objetivas de seleção foram realizadas no dia 22 de agosto, na UCDB e na Unigran Capital, reunindo 1.786 candidatos no período da manhã para o critério Provimento e 40 candidatos no período da tarde no critério Remoção.

PMA, Bombeiros, empresários, pescadores e voluntários limpam Rio Aquidauana e retiram duas toneladas de lixo

 

Neste sábado (22), a Polícia Militar Ambiental de Aquidauana, vários pescadores profissionais, amadores, empresários, piloteitos, proprietários de pousadas de turismo, veterinários e outros profissionais liberais, funcionários públicos em geral e o corpo de bombeiros se uniram em uma atividade conjunta de limpeza do Rio Aquidauana. A atividade foi realizada das 7h às 15h, nos trechos entre a foz do rio Taquaruçu, especialmente nos locais urbanizados até o local conhecido como Baía do Pindó.

 

Foram 30 embarcações e cerca de 100 pessoas na atividade. Durante o percurso, todos os participantes estavam com coletes salva-vidas, além de máscaras e conseguiram recolher os mais diversos tipos de materiais no leito e margem do rio: foram pneus, garrafas PETs, latas, sacolas plásticas em grande número, tambores, anzóis, redes, dentre outros, totalizando 1.985 Kg.  A iniciativa foi montada pelas redes sociais e foi tão bem sucedida, que os participantes reivindicarão que a atividade seja inserida no calendário oficial do município como uma atividade semestral, ou até que ocorra em um período mais curto.

Entre microscópios e telescópios, brasileira descobre 25 asteroides; um deles é considerado raro por sua rota

 

É entre microscópios e telescópios que a estudante de medicina Verena Paccola Menezes, de 22 anos, passa boa parte de seu tempo. Se, por um lado, o primeiro instrumento a ajuda nos caminhos que trilha para se tornar uma neurocirurgiã, é pelo telescópio que ela anteviu uma outra possibilidade: a medicina espacial, paixão que surgiu após, nos momentos de hobby, ter descoberto 25 asteroides. Um deles, classificado como raro pela órbita diferenciada que poderá colocá-lo na direção da Terra.

 

Nos momentos livres, Verena é uma “caçadora de asteroides”. Mas a verdade é que ela, desde criança, sempre se considerou uma cientista.

 

“A ciência sempre esteve presente na minha vida. Nem lembro quando comecei a me interessar. Brinco que já nasci cientista porque, para mim, fazer ciência e ser cientista é fazer perguntas, questionar o mundo e ir atrás das respostas por conta própria, sem se contentar com o superficial. Sempre vivi dessa forma. Sempre fui uma criança muito curiosa para descobrir o mundo”, disse a estudante de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), que é também técnica de Enfermagem.

 

Brinquedo na escola

 

Verena ganhou o primeiro microscópio quando tinha apenas 4 anos de idade. “Eu o levava como brinquedo para a escola, enquanto minhas amigas levavam bonecas e jogos”, lembra. O telescópio veio um pouco depois, aos 8 anos. “Tenho ele até hoje no meu quarto principalmente para olhar a Lua”, disse a estudante, que há dois anos cursa a faculdade da USP em Ribeirão Preto, onde faz pesquisas sobre Alzheimer.

 

“Microscópio e telescópio representam coisas diferentes na minha vida. O microscópio é mais voltado para minha profissão porque envolve o que quero trabalhar, que é a medicina e a área acadêmica. O telescópio é mais um hobby, devido à minha curiosidade – o que abrange também céu e espaço. Sempre tive curiosidade para saber o que existe para além do que a gente pode ver. Amo os dois instrumentos”, resume ela à Agência Brasil.

 

O curso técnico de enfermagem foi feito durante o ensino médio, na Unicamp entre 2015 e 2017. Foi ali que ela começou a viver o ambiente hospitalar de forma mais profissional para, em seguida, já formada e no Hospital Albert Einstein (SP), fazer pesquisas na área de neurociência computacional para crianças do espectro autista.

 

Em 2019, representou o Brasil na Assembleia da Juventude nas Nações Unidas (ONU) e se mudou para o Canadá, onde iniciou graduação em neurociência. “Só que sempre sonhei em fazer medicina na USP, o que acabou voltando aos meus planos após ter de retornar ao Brasil porque, em termos financeiros, estava inviável continuar no Canadá”.

 

Recomeço

 

O problema é que a jovem, que já era uma pesquisadora, teve de começar tudo de novo, para entrar na USP. “Fazia muito tempo que eu tinha feito o curso médio, e já não lembrava bem do conteúdo. Tive de reaprender tudo do zero. Não foi uma fase legal, depois de fazer tanta pesquisa, voltar a estudar as matérias do ensino médio. Vivi muita pressão”.

 

E foi exatamente a angústia de não praticar ciência que a fez avançar em uma outra paixão: a astronomia. “Eu precisava de algo científico para me estimular. Foi quando me deparei, em um grupo de Whatsapp, com essa oportunidade de aprender a caçar asteroide”.

 

Ela fez então todo um treinamento que a capacitou para o novo hobby. “Gostei muito disso. Depois de capacitada, comecei a usar o software que eles usam para caçar asteroides. Eu recebia imagens tiradas por um telescópio do Havaí. Cada pacote de imagens feitas pelo telescópio era composto de quatro imagens tiradas com diferença de segundos. Eu pegava esse pacote de imagens e o jogava no software que as piscava seguidamente, em ordem. Como elas tinham diferença de tempo, dava para perceber se alguma coisa se movia no Espaço”.

 

Quando Verena encontrava algum pontinho se movimentando, fazia a análise numérica do objeto para ver se ele se encaixava nos padrões de um asteroide. Caso o resultado fosse positivo, ela gerava um relatório e o enviava para o centro internacional que estuda isso em Harvard (EUA).

 

Foi dessa forma que ela descobriu nada menos que 25 novos asteroides. Diante do feito, foi convidada, em dezembro do ano passado, a receber uma medalha de ordem ao mérito, dada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, em Brasília, durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.

 

Verena Paccola, 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) - MCTI
Verena Paccola recebe medalha de ordem ao mérito do MCTI- Neila Rocha (ASCOM/SEAPC/MCTI)

Asteroide raro

 

“Acabei recebendo mais que uma medalha. Quando achei que a premiação tinha acabado, me chamaram novamente ao palco para receber um troféu. Foi ali que me contaram que eu havia descoberto um asteroide importante e raro, que segue uma órbita diferente em torno do Sol”.

 

Normalmente os asteroides do Sistema Solar estão localizados entre Marte e Júpiter, onde fica o chamado Cinturão Principal. Um dos asteroides descobertos por Verena seguia uma órbita diferente da dos demais, o que aumenta as possibilidades de sua rota coincidir com a do planeta Terra.

 

“Agora a gente tem de ver para onde ele está indo, de forma a prever possíveis impactos com a Terra. Não sei se isso vai acontecer. A possibilidade existe, mas se a gente olhar para as dimensões do Universo, vemos que a probabilidade é muito pequena”, diz ela, esperançosa de que sua descoberta não seja algo apocalíptico semelhante à história contada no filme Não Olhe para o Cima, na qual uma pesquisadora descobre um cometa com rota em direção a Terra, que dará fim à vida no planeta.

 

“Fiquei chocada com esse filme. Ele é muito bom até do ponto de vista científico. É também o retrato da sociedade e da mulher na ciência. Claro que me identifiquei muito com a personagem por também ser uma mulher na ciência. E, na ciência, as mulheres, além de não serem ouvidas, vivem em um contexto no qual é o homem quem leva a maioria dos créditos. No filme, ela inclusive foi tachada de louca”.

 

Na avaliação da estudante caçadora de asteroides, o filme vai além, abordando a humanidade atual como um todo. “Fala muito sobre essa onda negacionista que vivemos no Brasil. Dá para relacionar a muitos assuntos, além de um cometa ou um asteroide. É também uma metáfora para a questão do aquecimento global, que os cientistas tanto falam que está acontecendo e que ninguém ouve. Mostra também o peso da economia em decisões”, argumenta.

 

Futuro

 

As oportunidades abertas pela astronomia à estudante de medicina estão fazendo-a repensar os planos para o futuro. “Tenho certeza de que realizarei o sonho de me formar em medicina. Estou no segundo ano do curso e tudo segue para que eu faça residência em neurocirurgia”, diz a caçadora de asteroides. “Só que agora eu tenho uma pulga atrás da orelha”, acrescentou.

 

Essa “pulga” foi colocada pelo presidente da Agência Espacial Brasileira, Carlos Moura. “Depois da premiação em Brasília, visitei a agência. Lá, ele me falou sobre medicina espacial, que até então eu não conhecia porque não é uma área muito divulgada aqui no Brasil como especialização”.

 

O assunto despertou o interesse de Verena. “Comecei então a pesquisar e vi que tem médicos que estão no espaço agora, fazendo pesquisas em gravidade zero para ver como determinados tecidos se desenvolvem; como algumas células se multiplicam. É muito legal. E tem médicos desenvolvendo tecnologias para as pessoas irem ao espaço. É uma área muito grande que eu nem imaginava existir. Agora, é uma nova área para explorar e considerar para o meu futuro. Mas vamos ver”.

 

“Por enquanto, vou continuar caçando asteroides e, se tudo der certo, ser também treinadora de caçadores de asteroides para que outras pessoas façam o mesmo e formemos equipes. Planejo fazer isso pelo meu Instagram”, completou.

 

(Agência Brasil)

Código de Trânsito Brasileiro completa 24 anos neste sábado

 

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) completa 24 anos neste sábado (22), com mudanças introduzidas por meio da Lei 14.229 de outubro de 2021, e que começarão a valer a partir de abril.

 

Entre as principais modificações estão as que tratam da aplicação de multa sobre carros de pessoas jurídicas sem identificação de condutor e da fiscalização do limite de peso de veículos ou combinação de veículos de transporte de carga. Outras, como a aplicação do efeito suspensivo para os motoristas que cometerem alguma infração, só passarão a valer a partir de 2024.

 

As regras para a aplicação de multa por Não Indicação de Condutor (NIC) no caso de pessoa jurídica proprietária de veículo mudarão. Atualmente, a legislação prevê multa com valor equivalente à multiplicação pelo número de infrações cometidas pelo veículo no período de 12 meses.

 

A alteração que vai entrar em vigor em abril, diz que se o infrator não for identificado no prazo de 30 dias, será mantida a multa originada pela infração e lavrada nova multa à pessoa jurídica proprietária do veículo, cujo valor será igual a duas vezes o da multa originária, “garantidos o direito de defesa prévia e de interposição de recursos”.

 

Outra mudança que vai começar a valer a partir de abril é a que trata da competência da Polícia Rodoviária Federal (PRF), no âmbito das rodovias e estradas federais. A mudança insere entre as atribuições do órgão a realização de perícia administrativa nos locais de acidentes de trânsito. Antes não existia tal previsão.

 

A partir de abril, também começará a valer as mudanças na parte do código que trata da fiscalização do limite de peso de veículos ou combinação de veículos de transporte de carga com peso regulamentar igual ou inferior a 50 toneladas.

 

O texto em vigor diz que somente poderá haver autuação, durante a pesagem, quando o veículo ou a combinação de veículos ultrapassar os limites de peso fixados pelo pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

 

A legislação manteve o percentual de 5% sobre os limites de peso bruto total ou peso bruto total combinado, mas aumentou a tolerância do peso máximo por eixo que subirá, casos de 10% para 12,5% sem que haja a aplicação de penalidades. O texto diz ainda que, a partir do dia 30 de setembro deste ano, caberá ao Contran regular o excesso de peso dos veículos.

 

Nos casos de permissão especial para o tráfego em via pública, caberá ao Contran determinar os requisitos mínimos e específicos a serem observados pela autoridade com circunscrição sobre a via quando o veículo ou a combinação de veículos trafegar exclusivamente em via rural não pavimentada. Vale lembrar que tipo de autorização especial de trânsito, deve ter prazo certo, válida para cada viagem ou por período, atendidas as medidas de segurança consideradas necessárias.

 

Outra novidade neste ano é a nova Carteira Nacional de Habilitação (CNH), que começará a valer a partir de 1° de junho. O documento vai ganhar uma nova versão para preencher requisitos internacionais de segurança. Entre as alterações, a CNH vai passar a registrar categorias novas como A e A1, B e B1, C e C1 e assim por diante, identificando os tipos de veículo que o condutor está apto a dirigir.

 

Os condutores não serão obrigados a trocar sua CNH pela nova versão. A substituição ocorrerá gradualmente à medida em que houver necessidade de renovação do documento ou de emissão de segunda via.

 

Para 2024, a principal alteração no CTB está relacionada ao efeito suspensivo para condutores que cometeram alguma infração. A partir de 1º janeiro de 2024, a legislação passará a conceder efeito suspensivo das penalidades automaticamente para os condutores durante a fase de recurso.

 

Até o momento, o efeito suspensivo da penalidade, é concedido mediante solicitação do motorista que estiver com processo administrativo aberto e está condicionado ao julgamento do órgão.

 

Com a mudança, a aplicação das punições só ocorrerá, após o término do processo administrativo. Ou seja, o pagamento de multas não poderá ser obrigatório, nem impedir quaisquer procedimentos, como renovação de carteira, licenciamento ou transferência de propriedade do veículo até o término da fase final do julgamento, em segunda instância. A legislação também estabelece prazo de até 24 meses para o julgamento dos recursos, em cada instância.

 

Desde outubro do ano passado, outras medidas já estão valendo, como a que trata das informações referentes às campanhas de chamamento de consumidores para substituição ou reparo de veículos, o chamado recall, realizadas a partir de 1º de outubro de 2019 e não atendidas no prazo de um ano, contado da data de sua comunicação, deverão constar do Certificado de Licenciamento Anual do veículo. Caberá ao Contran regulamentar a inserção da informação na documentação.

 

(Agência Brasil)

Vacinação das crianças completa uma semana com aplicação de 15 mil doses

 

A vacinação das crianças de 5 a 11 anos contra Covid-19 já completa uma semana em Mato Grosso do Sul, e segundo os dados do “Vacinômetro”, já foram mais de 15 mil doses aplicadas nos 79 municípios. A procura tem sido efetiva e os pais comemoram a chance dos filhos terem acesso a imunização.

 

O Governo do Estado, por meio da SES (Secretaria Estadual de Saúde), sempre se posicionou a favor da vacinação das crianças, ao destacar que é mais uma ferramenta importante para conter a pandemia do coronavírus em Mato Grosso do Sul.

 

Por meio de Resolução a Secretaria Estadual de Saúde inclusive autorizou os municípios a vacinar as crianças, sem exigência de pedido médico, seguindo a decisão da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Esta posição foi elogiada pelos gestores e autoridades de saúde de diferentes cidades do Estado.

 

O primeiro lote de vacinas pediátricas da Pfizer, com 18.300 doses, chegou no dia 14 de janeiro, no final do dia. Elas foram distribuídas aos municípios, que no sábado (15) começaram a vacinação nas cidades. A prioridade foi para crianças de 5 a 11 anos indígenas, quilombolas ou com comorbidades. Cada cidade organizou o calendário de forma decrescente, começando pelos 11 anos. O segundo lote foi entregue na terça-feira (18).

 

Segundo os dados do “Vacinômetro”, já são mais de 15 mil doses aplicadas nesta faixa etária no Estado, o que equivale a 5% do público estimado, que é 301.026 crianças. As doses enviadas para esta imunização são específicas para este público.

 

Confiança e dever cumprido

 

Para os pais que levaram seus filhos para vacinar, o sentimento era de confiança na ciência e sensação de “dever cumprido”, por estarem cuidando da saúde deles e os protegendo contra a Covid-19. Muitos disseram que assim “toda família estava vacinada”.

 

“Todo mundo em casa vacinou, então minha filha não ficaria para trás. Só estava esperando sua vez. Meus outros filhos mais velhos também já vacinaram”, ressaltou Luiz Postingher, que levou sua filha Maria Eduarda, de 10 anos, para vacinar na Seleta, em Campo Grande.

 

Alan Balero destacou que a vacina é a melhor alternativa para se proteger do vírus. Por esta razão levou sua filha, Isabela Balero, de 11 anos, para fazer parte da imunização. “Tem muita informação para confundir, mas a carteira de vacinação das minhas filhas está completa, não seria diferente agora”.

TCE divulga regulamentos de concursos de procurador e cargos efetivos

 

O Diário Oficial do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul desta sexta-feira, 21 de janeiro de 2022, traz duas resoluções (158 e 159) que dispõem sobre o regulamento dos concursos públicos para ingresso na carreira do Ministério Público de Contas de MS e cargos efetivos no quadro de pessoal do TCE-MS.

 

Para a carreira de Procurador de Contas, inicialmente substituto, é necessário que o candidato tenha graduação em direito. Serão realizadas provas escritas, objetiva e discursiva, prova oral e de títulos, investigação social e avaliação física e mental dos candidatos.

 

Os candidatos interessados em ingressar no Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul nos cargos de auditor estadual de controle externo também serão submetidos a avaliações escritas (objetiva e discursiva) e prova de títulos. Para os cargos de analista de gestão institucional e de técnico de gestão institucional, as provas serão objetivas e de títulos. Em ambos os casos, haverá também a investigação social e avaliação de saúde física e mental.

 

Os critérios de aplicação das provas e de avaliação de condições individuais dos concorrentes serão estabelecidos no edital de abertura e, quando for o caso, em edital específico. A participação dos candidatos na fase subsequente se efetivará com habilitação na fase anterior, na forma das condições e do ordenamento definidos no edital de abertura. A divulgação dos resultados será feita, em cada fase e a classificação final, em duas listas, uma contendo todos os candidatos e a outra as concorrentes com deficiência, que participarem do concurso nessa condição.

 

Os editais de abertura dos concursos públicos serão elaborados e aprovados pela comissão do concurso e conterão as informações sobre o prazo de validade do concurso e a possibilidade de prorrogação, observado princípio inscrito no inciso III do art. 37 da Constituição Federal; número de vagas oferecidas e as reservadas às pessoas com deficiência; requisitos para a investidura no cargo; vencimento inicial de cada cargo; indicação do período, horários, procedimentos e condições para inscrição; valor para inscrição; hipóteses de isenção e de comprovação das condições para habilitação nessa modalidade; conteúdo programático, indicação de datas prováveis para as provas objetiva e discursiva; identificação da instituição executora do concurso, entre outras informações.

 

Os editais serão publicados no DOETC-MS e disponibilizados nos sites do TCE-MS e da instituição que executar o certame, dando-se ampla publicidade da realização do concurso por outros meios de comunicação.

 

Os concursos terão a validade de dois anos, podendo ser prorrogado por igual período.

Voluntários da Capital podem doar sangue das 7h às 17h neste sábado

 

Neste sábado (22) o Hemosul Coordenador de Campo Grande abre as portas em período integral e convoca doadores de todas as tipagens sanguíneas, em especial dos tipos O+, O-, A- e B- que desde o começo do ano estão com baixos estoques.

 

Aos sábados o Hemosul trabalha com demanda espontânea, ou seja, não é necessário agendar doação, basta comparecer a unidade com documentos pessoais, estar bem alimentado e bem de saúde.

 

Além dos critérios tradicionais como: ter entre 16 a 69 anos e pesar 55kg ou mais, é importante ficar atento ao intervalo necessário para quem se vacinou contra a Covid: Coronavac são 48h e para a Astrazeneca, Pfizer e Janssen intervalo de 7 dias. O Hemosul também reforça que doenças respiratórias deixam o doador inapto enquanto doente.

 

Desde o início da pandemia, diversas medidas de biossegurança foram adotadas na Rede Hemosul para garantir um ambiente saudável aos doadores, como: álcool gel, uso obrigatório de máscara, limpeza frequente dos ambientes, distanciamento das cadeiras de espera e coleta.

 

Outras dúvidas podem ser esclarecidas através do site www.hemosul.ms.gov.br ou mesmo nas redes sociais do Hemosul: @hemosulms.

 

Hemosul Coordenador 

Avenida Fernando Correa da Costa, n° 1304

Campo Grande / MS

Fones: (67) 3312-1500 | PABX: 3312-1517  | Whatsapp (67) 99298-6316 | Atendimento ao Doador (67) 3312-1516 | Campanhas 3312-1529