Mais de 220 mil bovinos já foram cadastrados no programa Precoce MS

Equipe da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro) responsável pelo programa de incentivo à produção de bovinos precoces em Mato Grosso do Sul, o ‘Precoce MS’, tem realizado um trabalho permanente para inserção de novos produtores, frigoríficos, empresas independentes de classificação e profissionais responsáveis para participação no Programa. Nessa quarta-feira (29.11), 29 técnicos estão em Três Lagoas realizando vistorias para adesão de mais uma indústria frigorífica.

 

Conforme o último relatório da Semagro estão habilitados para atender os produtores, através do Precoce MS, 449 profissionais que passaram pelo treinamento em uma das 19 edições realizadas e que atendem atualmente 816 propriedades participantes.

 

No sistema, constam em processo de cadastro, 59 propriedades rurais, autorizadas a abater animais precoces pelo Programa em oito frigoríficos credenciadas no Estado, nos municípios de Naviraí, Nova Andradina, Cassilândia, Bataguassu, Aparecida do Taboado, Rochedo, e Campo Grande, onde estão credenciadas duas unidades.

 

Sistema totalmente informatizado garante segurança e agilidade

 

Outros seis frigoríficos nos municípios de Três Lagoas, Amambai, Nova Andradina, Santa Rita do Pardo, Iguatemi e Paranaíba encontram-se em processo de credenciamento junto à Semagro. Três empresas de classificação e tipificação de carcaças bovinas estão credenciadas, após participação em cursos oferecidos pela Secretaria em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

 

Desde a reformulação do Precoce MS, no início do ano, o programa que previa uma meta de 80 mil animais até dezembro, já no primeiro trimestre em funcionamento, abateu mais de 267 mil animais, e pagou incentivos por 227 mil precoces, ou seja, 85%.

 

Os recursos arrecadados com a taxa de coordenação recolhida pela Iagro, no momento do abate, permitiu a Agência realizar obras de reforma em diversas unidades de atendimento no interior do Estado, conforme relatório apresentado recentemente ao secretário da Semagro, Jaime Verruck.

 

Conforme Verruck, outros programas governamentais, como o de incentivo à produção de suínos (Leitão Vida), devem ser reformulados com o mesmo escopo do Precoce MS, e nos mesmos moldes, com a organização de grupos de trabalho formado por representantes de todos os elos da cadeia produtiva participando ativamente de todas as fases até a implantação. “Mato Grosso do Sul tem hoje uma política publica eficiente e transparente para a cadeia produtiva da carne e que serve de modelo para o País” completou.

POLÍTICA