Médico-veterinário adverte sobre os riscos de intoxicação por automedicação em pets

 

É de conhecimento de todos os riscos da automedicação sem prescrição médica aos humanos, no entanto, o mesmo vale para os pets. Uma medicação errada pode ocasionar desde vômitos e diarreias, a sintomas mais sérios como tremores e convulsões.

 

Médico-veterinário da Subsecretaria de Bem-Estar Animal (Subea), Edvaldo Salles, explica que até medicamentos de fácil acesso e comum nos lares, como as aspirinas, são perigosos para os bichinhos.

 

“Nossa orientação é que nunca forneça nenhum medicamento sem uma orientação veterinária, sem uma indicação para o animal, porque temos animais extremamente sensíveis aos medicamentos, como é o caso dos felinos. Até mesmo aspirinas, paracetamol, diclofenaco e ibuprofeno, causam intoxicação”, explica.

 

Edvaldo ressalta ainda que é preciso tomar cuidado até com medicamentos próprios para os pets. “Já tivemos casos de animais que receberam prescrição para um tratamento e foram medicados novamente e acabaram intoxicados. Antibióticos e anti-inflamatórios são remédios de curto prazo, se eu prolongo esse tratamento também posso ocasionar uma alteração renal”.

 

Os sintomas de intoxicação podem variar desde vômito e diarreia, com ou sem presença de sangue, salivação constante, comportamento atípico, até sintomas mais sérios como febre, dificuldade respiratória, tremores e convulsões.

 

“Também pode acontecer do animal ingerir um remédio acidentalmente e é preciso que o tutor esteja atento aos sinais. Identificado algum desses sintomas, que busque atendimento veterinário imediatamente para que o profissional prescreva um carvão ativado ou até mesmo internação do animal”, conclui Edvaldo.

 

 

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Subea, localizada na Rua Rui Barbosa, 3538 – Vila Alta, oferece consultas veterinárias gratuitas às segundas, terças, quintas e sextas-feiras. Às quartas, a equipe realiza atendimentos exclusivos para ONGs e protetores independentes. Para mais informações, o tutor interessado pode ligar para 2020-1397.

 

No local, são distribuídas 15 senhas pela manhã, a partir das 7h30min, e 15 senhas à tarde, a partir das 13h. O tutor deve comparecer à unidade de atendimento com o seu animal, além de documento com foto, comprovante de residência e o número do NIS.

 

Em casos mais graves, onde o animal precisa de internação, a Subsecretaria oferece, por meio de convênio com a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), atendimento veterinário de alta complexidade. Cirurgias ortopédicas, exames de imagem, piometra, cesariana de urgência, internação, ultrassonografia, radiografia, eletrocardiograma, endoscopia, exames laboratoriais bioquímicos e parasitológicos, além de consultas veterinárias especializadas, são alguns dos serviços oferecidos pelo convênio.