PMA autua 19 infratores, aplica R$ 52 mil em multas e prende 6 por pesca predatória

Depois de ter estendido por mais um dia, em razão de trabalhos preventivos que estavam sendo executados na área rural em locais muitos distantes, A Polícia Militar Ambiental encerrou hoje (10) às 7h00, a Operação Corpus Christi/Big Fish III, em comemoração à Semana do Meio Ambiente solidária, educativa, informativa, preventiva e repressiva aos crimes e infrações ambientais no Estado.

 

A operação envolveu 295 policiais distribuídos nos rios, em barreiras nas estradas, fiscalização em propriedades rurais, em locais de belezas naturais de prática de turismo cênico e de recreio e outras variáveis de interesse ambiental, para prevenir e combater infrações e crimes que possam degradar esses recursos naturais, nos quatro dias no feriado prolongado.

 

A operação fez parte da comemoração da Semana do Meio Ambiente, lançada no dia (2) às 8h00, pelo Governador do Estado no auditório do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul). As comemorações da semana, além da operação preventiva e repressiva, foram também solidária, educativa e informativa.

 

A PMA possui 26 subunidades que cuidaram de suas respectivas áreas, mas houve remanejamento de Policiais para as áreas mais críticas inclusive do efetivo administrativo e fiscaliza o ambiente como um sistema complexo em que todos os entes são importantes e precisam estar equilibrados. Dessa forma, o combate ao transporte de produtos perigosos, desmatamentos, exploração ilegal de madeira, incêndios, às carvoarias ilegais e ao transporte de carvão e de outros produtos florestais, caça, bem como demais crimes contra a flora foi intensificado.

 

RESULTADO DA OPERAÇÃO CORPUS CHRISTI 2020 e 2021

 

A operação Corpus Christi/2021 manteve a mesma estrutura de fiscalização do ano passado, e teve uma redução de 36% em relação a operação de 2020 no número de autuados, porém, a operação do ano passado foi fora da curva com relação às demais operações Corpus Christi, desde o ano de 2009 (ver tabela 2). Houve 19 autuados administrativamente contra 30 na operação do ano passado. Dos 19 autuados, 14 foram por pesca, sendo dois presos por pesca predatória e 12 foram por pescar sem a licença de pesca.

 

PESCADO APEENDIDO (2020 – 2021)

 

Foram apreendidos 101 kg de pescado, número 12% superior à operação de 2020, quando foram apreendidos 90 kg. Ressalta-se que 30 kg de peixes foram soltos nos rios de petrechos ilegais. O pescado morto apreendido foi doado a instituições de caridade.

 

Parte do pescado apreendido.

 

MULTAS AMBIENTAIS 2019 – 2020

 

Os valores em multas foram 44% inferiores à operação anterior (2019). Foram R$ 51.913,80 e R$ 92.140,00 na operação passada. Os valores de multas não são determinantes para se medir resultados de uma operação. A diferença nos valores de multas pode acontecer em razão de algumas ocorrências com previsão de multas altas na norma legislativa, como por exemplo, a infração de poluição, em que um único autuado pode ser multado em até R$ 50 milhões.

 

PETRECHOS PROIBIDOS

 

O número de petrechos proibidos apreendidos na operação Corpus Christi/Big Fish III-2021 também foi inferior ao ano anterior (2019). Com relação às redes de pesca, petrecho mais preocupante pelo seu alto poder de depredação de cardumes, foram 30 apreendidas, 65% a menos do que na operação passada (2020), quando foram 86 redes apreendidas. De qualquer forma, o número de petrechos tem sido expressivo nas últimas operações. Só nessa operação foram 430 anzóis de galho retirados dos rios e apreendidos.

 

Parte das redes apreendidas

POLÍTICA