Santa Casa realiza primeira cirurgia para tratamento de Parkinson em 2022

A primeira neurocirurgia de 2022 para tratamento de Parkinson na Santa Casa de Campo Grande ocorreu no começo deste mês de maio. O procedimento foi realizado pelo especialista, Dr. Newton Moreira, com a presença da equipe do Serviço de Neurocirurgia do hospital. A primeira paciente a se submeter à cirurgia em 2022 sofre da doença há seis anos.

 

A técnica de Estimulação Cerebral Profunda, ou Deep Brain Stimulation (DBS) em inglês, é usada para reduzir os principais sintomas da doença de Parkinson, que são a lentidão nos movimentos, a rigidez e principalmente os tremores. O procedimento é feito em conjunto com algumas medicações e pode ser reversível e ajustável, além de considerado efetivo.

 

De acordo com o Dr. Newton Moreira, o procedimento ocorreu sem intercorrências. “Por ser com o paciente desperto, já se observa uma melhora substancial dos movimentos ainda no intra-operatório, tanto pelo efeito insercional do eletrodo ao chegar no alvo cirúrgico, quanto pela estimulação quando o eletrodo é ligado”, explica o médico.

 

Para o neurocirurgião, o perfil da paciente foi decisivo no resultado do procedimento. “A forma rígido-acinética apresentada pela paciente é aquela onde o tremor não é o sintoma mais evidente, mas sim a rigidez e bradicinesia, a lentidão dos movimentos e no caminhar”, complementa o neurocirurgião.

 

Nos principais benefícios da Deep Brain Stimulation estão a melhora a qualidade de vida dos pacientes com Parkinson, o impacto minimizado dos sintomas da doença, a diminuição da medicação, o aumenta o tempo do efeito dos medicamentos e a melhora dos principais sintomas, que são os tremores, a rigidez e o excesso de movimentos involuntários (discinesias).

 

A população precisa saber que, apesar de ser um procedimento relativamente novo se tratando de neurocirurgia, desenvolvido na França nos anos 90, é uma terapia disponível em Campo Grande há alguns anos, sendo a Santa Casa CG referência no Estado nesse tipo de cirurgia neurológica”, ressalta. “Até hoje, mesmo com vários procedimentos já realizados, ainda me traz emoção vendo a melhora imediata dos sintomas principais”, finaliza Dr. Newton Moreira.

POLÍTICA