Segurança de MS terá binóculos com detecção térmica de pessoas e veículos

Para reforçar o trabalho de segurança, Mato Grosso do Sul terá binóculos que utilizam tecnologia térmica avançada, com detecção de pessoas e veículos a até oito quilômetros de distância.

 

Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, os binóculos vêm com tripé, baterias, cabos e computadores para visualizar as imagens e possibilitam o aumento da consciência situacional das equipes policiais em atuação nas fronteiras e utilizam tecnologia superior na ampliação da visão termal, com capacidade de juntar imagens e sua geolocalização, processo pelo qual algo ou alguém pode ser localizado com base em coordenadas geográficas.

 

Os equipamentos serão destinados aos agentes de segurança pública do Programa Nacional de Vigilância das Fronteiras e Divisas (Vigia), com o objetivo de potencializar a prevenção e a repressão da criminalidade.

 

Conforme o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, os equipamentos irão reforçar as ações no combate ao crime organizado e na repressão aos crimes de fronteira. “Policiais equipados com ferramentas de tecnologia avançada trazem, cada vez mais, resultados positivos na luta contra a criminalidade”, destacou Torres.

 

Para a utilização dos binóculos, os profissionais iniciaram, nesta semana, treinamento realizado em Manaus (AM). Participam 10 agentes de segurança pública que se encarregarão de multiplicar o conhecimento da utilização do equipamento e da manutenção preventiva, a fim de maximizar o ciclo de vida dos binóculos e acessórios.

 

Além de Mato Grosso do Sul, a tecnologia será implantada no Paraná e no Amazonas.

 

Vigia

 

Há dois anos em operação em Mato Grosso do Sul, o Vigia tem revolucionado a repressão aos crimes de fronteira e fez com que o crime organizado tivesse uma perda de R$ 1,8 bilhão no Estado, de acordo com dados do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

 

Os investimentos no programa VIGIA garantem o sucesso das ações, que incluem aquisições de equipamentos de ponta, capacitação de pessoal por organizações nacionais e internacionais e a instalação de bases operacionais com integração de sistemas.

 

Em dois anos de Programa, o Ministério da Justiça e Segurança Pública investiu mais de R$ 1,3 milhão em capacitações, treinando quase 2 mil operadores para atuarem como multiplicadores, além de fortalecerem a integração entre si. Também foram investidos cerca de R$ 130 milhões em aquisições de equipamentos de alta tecnologia para dar suporte às equipes em campo, como drones, óculos de visão noturna e equipamentos de radiocomunicação.

 

 

POLÍTICA